Os grandes goleiros do Corinthians

Os grandes goleiros do Corinthians
Os grandes goleiros da história corinthiana: Gylmar, Tobias, Ronaldo e Dida

 São vários os ídolos do Corinthians. Com uma história tão nobre, o Timão pode contar com inúmeros atletas que passaram pelo clube e marcaram diversas gerações. Geralmente, quando nos lembramos desses jogadores, os atacantes são os primeiros da lista. Contudo, hoje vamos quebrar esse costume e contar a história dos que, ao invés de fazerem os gols, os evitavam: os goleiros!

O primeiro a defender o gol do Sport Club Corinthians Paulista foi Felipe Aversa Valente. Ele participou do primeiro jogo do time, no dia 10 de janeiro de 1910, contra o União da Lapa. Como as informações sobre as primeiras partidas são escassas, não temos muitas informações sobre a história de vida deste atleta.

Gylmar dos Santos Neves, anos depois de Valente, fez história no Corinthians. Ele foi goleiro do Timão de 1951 a 1961, época na qual os jogadores ficavam anos vestindo uma única camisa. Começou a carreira no Jabaquara em 1951 e, depois do Corinthians, jogou no Santos também. Gylmar brilhou no Parque São Jorge defendendo o alvinegro em 395 partidas. Conquistou títulos paulistas de 1951, 52 e 54, e um Rio-São Paulo, também em 1954. Não podemos nos esquecer de sua participação na campanha do IV Cenenário. Gylmar se aposentou em 1969, no time da Vila Belmiro.

Outro ídolo inesquecível que defendeu as traves Corinthianas foi o grande José Benedito Tobias. Sempre lembrado pelo clube e pelos jogadores, Tobias é um exemplo, não só como ex-atleta, mas como pessoa também. O goleiro foi figura importante para o título de 77, um dos mais emocionantes do Coringão. Tobias começou a carreira no Noroeste, mas jogou em outros times conhecidos como o Sport e Fluminense. De 1968 a 1974 jogou no Guarani, antes de ir para o Parque São Jorge. Tobias ficou no Corinthians até 1980 e participou de grandes partidas. A que o consagrou foi à famosa Invasão do Maracanã, jogo contra o Fluminense, em 1976. Após fechar o gol durante os 90 minutos, a disputa foi para os pênaltis e Tobias parou o time das laranjeiras. O goleiro encerrou sua carreia em 1986, no Bangu do Rio de Janeiro.

Um dos poucos goleiros negros a chegar à seleção brasileira também defendeu o Timão. Jairo do Nascimento começou a escrever seu capítulo na história do Corinthians em 1977. Depois de jogar no Coritiba, Jairão foi reserva do grande Tobias na caminhada do título Paulista daquele ano. Em 1979, ele foi o titular absoluto e ficou 1.131 minutos sem tomar um gol se quer – este é um recorde entre todos os goleiros Corinthianos. O jogador defendeu as traves alvinegras em 189 partidas. Jairão deixou o Parque São Jorge em 1980. Hoje ele segue a carreira de treinador e cuida de uma escolinha de futebol, em Coritiba.

E Ronaldo Soares Giovannelli, quem não se lembra? Ídolo da geração de 90, Ronaldo representou o gol alvinegro com muita honra. O goleiro roqueiro começou a brilhar no Corinthians em 1988. Sua estréia como titular foi no Morumbi, num clássico contra o São Paulo – quanta responsabilidade. O Timão, claro, venceu a partida por 2x1, e ídolo Corinthiano foi considerado o melhor da partida, defendendo inclusive um pênalti de Darío Pereyra. Ronaldo foi campeão Paulista em 1989, 1995 e 1997, além de conquistar o Brasileiro de 1990 e a Copa do Brasil também de 1995. O goleiro deixou o Corinthians para jogar no Fluminense, em 1998, após o técnico Vanderlei Luxemburgo assumir o time. Ronaldo também jogou na Internacional de Limeira, Cruzeiro, Portuguesa, Gama, Ponte Preta, e ABC de Natal, encerrando a carreira na Portuguesa Santista, em 2006.

Quem vê o nome Nelson de Jesus Silva logo não consegue imaginar de quem estamos falando. Mas se chamarmos de Dida, com certeza a torcida Corinthiana vai se lembrar. Além de ser um dos melhores Defensores de pênalti do futebol mundial , Dida também foi goleiro do Corinthians. O baiano começou sua carreira com apenas 17 anos, nas categorias de base do Asa de Alagoas. Em 1999 chegou ao Corinthians e já foi contribuindo para a conquista do tricampeonato Brasileiro. Na semi-final da competição, Dida ficou marcado por defender dois pênaltis de Raí, ex-jogador e ídolo do São Paulo. Em 2000, faturou o título Mundial de Clubes da FIFA. Depois de ser negociado com o Milan, retornou para ao Parque São Jorge e foi campeão da Copa do Brasil e do Torneio Rio-São Paulo, em 2002. Hoje, o goleiro se firmou novamente no Milan, onde ganhou diversos títulos, além de jogar pela Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2006.

Depois de tantos nomes expressivos defendendo o gol Corinthiano, nosso time voltou a ser bem representado em 2008. Julio César de Souza Santos, nosso atual goleiro, veio das categorias de base. Foi titular do Timão pela primeira vez em 2005, aos 20 anos, ajudando o time a vencer o Figueirense por 2 a 1. Após a saída de Fábio Costa, em 2006, o Corinthians recebeu uma série de goleiros no período de 3 anos. Bruno, Jean e Felipe, nosso último e polêmico jogador da posição, fizeram com que Júlio só se firmasse de vez em julho de 2010, para alegria da Fiel torcida!

Comentários

  • 1000 caracteres restantes
veja mais fechar

Mais história

Os Presidentes do Corinthians

Veja quem foram os presidentes do Corinthians e quais os nomes que mais se destacaram em 100 anos de história