Os patrocinadores do Corinthians

Os patrocinadores do Corinthians
O estranho chuveiro da Corona estampada na frente do uniforme foi um valioso patrocínio: permitiu a renovação com Sócrates

A idéia de patrocinadores nas camisas dos clubes brasileiros surgiu junto com a modernização do futebol mundial . Hoje é difícil encontrar um time que não possua pelo menos uma marca estampada na sua camisa.

No Corinthians esse tipo de marketing começou em 1982, com a Bombril. A empresa foi a primeira a estampar sua marca no manto sagrado, exclusivamente para a decisão do título Paulista contra o São Paulo. Como aquele jogo seria assistido por milhares de pessoas, uma ação de marketing como essa era “novidade” e poderia gerar uma visibilidade enorme para a empresa. Mas na época a legislação só permitia o patrocínio nas costas da camisa, e com isso a marca só foi estampada na parte de trás do uniforme.

A Cofap foi a primeira empresa a aparecer na parte frontal da camisa do Timão em 1983, a partir do Campeonato Paulista . Foi com esse patrocínio que o Corinthians chegou ao bicampeonato da competição. Em 1984 foi a vez da Citizen, que apareceu apenas no início do Brasileirão . No mesmo ano a empresa Bic também estampou a nossa camisa, mas em um único jogo. Ainda em 1984 a Corona também patrocinou o alvinegro, ajudando no pagamento da renovação do contrato do jogador Sócrates -  e assim, o Corinthians jogou aquela temporada com um chuveiro estampado na frente da camisa.

Em 1985 foi a vez de a Kalunga ilustrar sua marca no Corinthians. A empresa fechou um contrato com o clube e ficou como patrocinadora até 1994, sendo o acordo com maior duração no Parque São Jorge . A primeira vez que ela apareceu na camisa foi no Campeonato Brasileiro , no dia 27 de janeiro de 1985, num jogo contra o Vasco que terminou empatado por 2 a 2. A última vez que o Timão jogou com este patrocínio foi num clássico com o seu maior rival, o Palmeiras, num jogo que ficou no 1 a 1. 

De 1995 a 1996 foi a vez da Suvinil aparecer no Corinthians e ver o time ser campeão Paulista e da Copa do Brasil. Em 1997 a 1998 o banco Excel, além aparecer na camisa, também participou de contratação de jogadores e outros investimento em comum com o clube. Neste período o Timão foi campeão Paulista mais uma vez. Em 1998 a DDD/Embratel patrocinou o alvinegro nas finais do Brasileirão, contra o Cruzeiro. A marca deu sorte e o Corinthians foi campeão.

De 1999 a 2000 foi a vez da Batavo estampar sua marca no manto sagrado. Foi um dos períodos mais vitoriosos da história do Corinthians, com a conquista do bicampeonato Brasileiro e do Mundial da FIFA de 2000. Ainda no mesmo ano, no dia 21 de janeiro, apenas uma semana após a final do Mundial, a Pespi chegou e estampou o uniforme.

A Kolumbus fechou um acordo com o Corinthians em 2003, ajudando o clube no pagamento da contratação do volante Vampeta. A marca saiu apenas nas mangas da camisa e deixou o Timão no mesmo ano. Neste período fomos campeões Paulista de 2003. Já 2004 a Siemens também apareceu somente nas mangas, saindo no mesmo ano como a Kolumbus.

De 2005 a 2007 a Samung foi o patrocínio da camisa alvinegra. Na época a MSI investia no Corinthians e ajudou no fechamento do acordo da empresa com o clube. Em 3 anos, o Tetra Campeonato Brasileiro chegou, mas em 2007 foi a vez de enfrentar a série B, o que resultou num decréscimo no valor do contrato. Durante a disputa da segunda divisão a Medial Saúde trouxe sorte para o Timão, pagando 16,5 milhões de reais para estampar sua marca. O valor do acordo foi fechado durante um ano.

Em 2009, com a volta triunfante para série A, várias marcas foram atraídas pelo forte trabalho desenvolvido pelo departamento de marketing do Corinthians, e claro, pelas conquistas em campo que contavam com a presença de Ronaldo. Ford, Vivo e Locaweb fecharam um contrato de apenas um jogo -  o amistoso contra o Estudiantes de La Plata, no dia 17 de Janeiro. Somando a estampa das 3 marcas na camisa, mais os banners de propaganda no Estádio e os direitos de TV, o clube gerou 1,5 milhões de reais para os seus cofres. Até o início do campeonato Paulista, o Timão continuou com os 3 anunciantes.

Ainda no mesmo ano a Suvinil voltou a patrocinar o Timão nas 2 partidas finais da Copa São Paulo de Juniores. A marca saiu na frente e atrás da camisa alvinegra. A Syl também patrocinou o clube nas mangas, assistindo o Heptacampeonato do Corinthians na Copinha.

No período de Ronaldo, que além do salário, recebia percentuais do patrocínio, a Hypermarcas entrou como patrocinador oficial do clube, lançando formatos inusitados - como o desodorante Avanço, estampado nas axilas dos jogadores corinthianos. Sendo a maior empresa de consumo do Brasil, a Hypermarcas colocou o Corinthians no ranking dos patrocínios mais lucrativos do mundo: segundo um levantamento da Sport+Markt (Janeiro de 2011) o Corinthians divide a quarta posição com o Bayern de Munique, ficando atrás apenas de Manchester United, Liverpool e Real Madrid, e na frente do Chelsea.

Comentários

  • 1000 caracteres restantes
veja mais fechar

Mais história

A invasão Corinthiana no Maracanã

Em 5 de dezembro de 1976 mais de 70mil torcedores corinthianos saem de São Paulo e lotam as arquibancadas do Maracanã para apoiar o Corinthians na semi-final que poderia acabar com o jejum de...