Por que esses três clubes da Série A podem ajudar Corinthians

Lucas Faraldo

Editor e apresentador no canal do Meu Timão no YouTube

ver detalhes

Por que esses três clubes da Série A podem ajudar Corinthians

Coluna do Lucas Faraldo Knopf

Análise de Lucas Faraldo

82 mil visualizações 122 comentários Comunicar erro

Hoje existem na Séria A do Campeonato Brasileiro três times cujas torcidas têm participação democrática no dia a dia do clube. Segue um resumo de como funciona a participação de torcedores tricolores e colorados nas eleições de Bahia, Grêmio e Internacional (e depois uma explicação sobre onde o Corinthians e o Fiel Torcedor podem entrar nessa história).

No Bahia, o torcedor:

  • vota para presidente, conselho deliberativo e em todas as assembleias gerais;
  • precisa ser sócio-torcedor há no mínimo um ano;
  • precisa estar em dia com as mensalidades.

No Grêmio e no Internacional, o torcedor:

  • vota para presidente e conselho deliberativo;
  • precisa ser sócio-torcedor há no mínimo um ano no Internacional e dois anos no Grêmio;
  • precisa estar em dia com as mensalidades.

Para se inspirar nesses clubes e tirar algum proveito de modelos já existentes, é claro que o Corinthians tem de considerar suas particularidades. Algumas dificultam a implementação desse sistema de eleição nos moldes do trio citado; outras, entretanto, exigem que a discussão séria entre dirigentes e conselheiros ocorra já nesta próxima gestão.

Por que é difícil imaginar o Corinthians nos mesmos moldes de Bahia, Internacional e Grêmio?

  • O Corinthians tem um clube social. Ou seja, um espaço para confraternização e prática de esportes amadores para associados (geralmente moradores da região), com restaurantes, piscinas, eventos particulares, etc.
  • O Corinthians disputa outras modalidade profissionais além do futebol. Ativos atualmente, os times de futsal, basquete e natação, por exemplo, lutam por títulos e medalhas não só hoje mas historicamente no cenário nacional, fazendo jus ao nome, do inglês, "Clube Esportivo" Corinthians Paulista.

Praticamente nada disso existe na dupla gaúcha ou no Tricolor Baiano. O Grêmio até tinha piscinas no antigo estádio Olímpico, mas simplesmente deu de ombros pra isso quando trocou pra Arena. O Internacional até tem o Parque Gigante, uma área de lazer com piscinas, quadras e quiosques, mas exige associação independente do clube de futebol. E o Bahia promove eventos para seus sócios-torcedores, antes dos jogos, em espaços públicos.

O tema no Corinthians, portanto, é mais espinhoso e a discussão pode passar até pela separação ou não do futebol do resto do clube - e assim vamos, enfim, para a particularidade corinthiana que aumenta a exigência por uma revolução estatutária no que tange às eleições.

Por que a exigência pela democratização das eleições não pode mais esperar?

O Corinthians se tornou uma marca bilionária com a Neo Química Arena. E mesmo sem ela já era uma marca de centenas de milhões de reais. Quem diz isso é a Forbes, que apontou o Timão como segundo time mais valioso das Américas. E tudo isso graças à torcida.

Até a década de 80, a principal forma de receita dos clubes era a bilheteria. Quando surgem os patrocínios e os direitos de transmissão de TV, clubes como Corinthians e Flamengo seguem levando óbvia vantagem em potencial de faturamento por terem mais público-alvo para as marcas e emissoras.

Se hoje o Corinthians é o que é nos cenários nacional e internacional, é por causa do Corinthians de Itaquera. E até outro dia do Pacaembu. Antes, do Morumbi; etc. São as casas do Timão. É onde a torcida se encontra. É onde está o clube de potencial bilionário.

O Corinthians do Parque São Jorge, infelizmente, é hoje o Corinthians que deu prejuízo de mais de R$ 100 milhões se somados os déficits de 2018 e 2019; e até setembro de 2020 fechava o atual exercício em mais R$ 42,6 milhões negativos. Onde vai parar?

Balanço do Parque São Jorge aponta déficits de R$ 42,6 mi, R$ 32 mi e R$ 61,5 em 2020 (até setembro), 2019 e 2018; na linha de baixo, o resultado geral (PSJ + futebol)

Balanço do clube social e esportes amadores mostra a bola de neve. De junho/2020 a setembro/2020: déficit saltou de R$ 32 mi a 42,6 mi; em 2019, déficit foi de R$ 61,5 mi

Reprodução/Corinthians

Pergunta retórica. Até porque não sei onde vai parar. Mas é esse Corinthians do Parque São Jorge, hoje claramente desgovernado, que decide o presidente "dos Corinthians". Inclusive o de Itaquera. Já era absurdo antes da Neo Química Arena. Agora é inimaginável.

Juntos, os menos de 3 mil sócios que decidiram o futuro do Corinthians no último sábado não ocupariam sequer um terço do setor Norte da Arena. É muito pequeno.

O estatuto precisa se atualizar. Porque o Corinthians é muito grande.

Por fim: o ponto de partida pra essa mudança jamais partirá de quem já está no poder, seja como presidente ou conselheiro. Cabe ao torcedor (comum ou organizado) levar incansavelmente essa pauta à frente com bandeiras, gritos, protestos, campanhas, hashtags... Vale tudo pra colocar o Corinthians em rumos mais democráticos.

Veja mais em: Eleições no Corinthians, Parque São Jorge, Neo Química Arena, Presidentes, Duílio Monteiro Alves, Torcida do Corinthians e Fiel Torcedor.

Coluna do Lucas Faraldo Knopf

Por Lucas Faraldo Knopf

Jornalista pela ECA-USP e ex-Esporte Interativo, Jovem Pan e Lance!. Hoje trabalha no Meu Timão. Autor do livro 'Impedimento - Machismo, racismo, homofobia e elitização como opressões no futebol'.

O que você achou do post do Lucas Faraldo?

  • Comentários mais curtidos

    Foto do perfil de Bernardo

    Ranking: 20º

    Bernardo 25197 comentários

    @bernardo.sa em

    Que inveja boa desses clubes!

  • Foto do perfil de ~BiLL~

    Ranking: 11821º

    ~bill~ 107 comentários

    @enzoauditore em

    Já é tempo, torcedor do Corinthians deixa de comprar pra casa pra colocar dinheiro no clube (sócio torcedor) é o mínimo que administração do Corinthians deveria fazer mudar o estatuto e dar ao povo o voto de escolher nas próximas eleições do clube.

  • Últimos comentários

    Foto do perfil de Ronald

    Ranking: 733º

    Ronald 1988 comentários

    122º. @ronald.graff em

    Era só juntar a torcido e fazer protesto na sede do clube contra 'os que mandam' igual eles cobra jogador, ou cobravam...

  • Publicidade

  • Foto do perfil de Wladmir

    Ranking: 3147º

    Wladmir 590 comentários

    121º. @wladmir.gf em

    Perfeito. E ainda tem quem seja contra. Acho que vai precisar desenhar.

  • Foto do perfil de Paulo

    Ranking: 5156º

    Paulo 339 comentários

    120º. @paulo.curtin em

    Essa era a proposta do candidato Melo, além disso ele tinha como proposta a responsabilidade fistal dos governantes. Infelizmente hoje o clube tem praticamente um dono: Andrés e sua quadrilha, e a torcida já não é atuante como no passado. Literalmente alguém salve o Corinthians dessa quadrilha e de torcidas organizanas oportunistas. Isso não é mas Corinthians.

  • Foto do perfil de Giovani Batista de Souza

    Giovani 15 comentários

    119º. @giovani.batista.de.2 em

    Sempre achei isso que o Corintihans precisa mudar o seu estatuto porque a panela e corrompida a muitas décadas, deveríamos implantar o modelo mais democrático para que as porta do clube podecem se abrir mais para o seu torcedor que mora em lugares mais vulneráveis, e assim conseqüentemente, gerar altos lucros para seu caixa, trazer o torcedor mais para acompanhar o time de perto acho que falta interesse dos marqueteiros para elaborar um plano mais vantajoso imagina nosso Corinthians com 600 mil de sócios torcedores pagando uma mensalidade de 50 reais, qual grande séria esse lucro, aproximadamente de 10 milhões mensais, 120 milhões anuais somos um clube de alto potencial econômico, mas nninguém parece se interessar nessas diretorias(no plural) por esse engajamento são realmente muito incompetente sem nenhum nível de administração.

  • Foto do perfil de Jose

    Ranking: 8568º

    Jose 175 comentários

    118º. @jose.luis.rodrigues2 em

    E tem mais: quem contrata Jonathan Cafu, Leo Nstel, Gustavo Mosquito?

  • Foto do perfil de Jose

    Ranking: 8568º

    Jose 175 comentários

    117º. @jose.luis.rodrigues2 em

    O clube social precisa ser separado do futebol. As receitas do futebol não podem ser usadas no clube social. Os associados que banquem o clube social e o futebol precisar ser melhor administrado, por as receitas são milhonarias e os gastos com jogadores mediocres são enormes. Chega de pagar milhões por jogadores como Sornoza, Luan, Everaldo evoutros 'pés de rato'...

  • Foto do perfil de Lenielson

    Lenielson 6 comentários

    116º. @lenielson.santos em

    Concordo plenamente. Está mais que na hora do sócio torcedor ter voz no clube. E inadmissível que 3000 pessoas, que em muitos casos nem corinthianos são (sim há pessoas que são sócias do clube apenas porque moram na região), que estes decidam o futuro de um dia maiores clubes do país.

  • Foto do perfil de Maicon

    Ranking: 6369º

    Maicon 260 comentários

    115º. @maicon.douglas35 em

    O difícil é o presidente peitar os conselheiros e sócios torcedores e por o direito a voto para o fiel torcedor, o Corinthians lucra entre 14 e 18 milhões por ano com fiel torcedor, se os conselheiros e sócio torcedores não fossem tão burros e egoístas de pensarem só neles e aceitassem dar o direito a voto pra fiel torcedor o Corinthians facilmente ultrapassaria uma arrecadação anual de 60 milhões, coisa que seria bom pra eles também com os outros esportes do clube podendo receber um pouco mais de investimento e parando de dar prejuízo!

x