De Guerrero a Claudinho: novo passo no Cifut é melhor notícia do Corinthians no ano

Lucas Faraldo

Escrevendo sobre o Corinthians desde 2014

ver detalhes

De Guerrero a Claudinho: a melhor notícia do Corinthians no ano está no Cifut

Coluna do Lucas Faraldo Knopf

Opinião de Lucas Faraldo

39 mil visualizações 37 comentários Comunicar erro

De Guerrero a Claudinho: a melhor notícia do Corinthians no ano está no Cifut

Cifut ajudou na contratação de Guerrero; subutilização do Cifut pesou na perda de Claudinho

Foto: Agência Corinthians/Montagem Meu Timão

O torcedor do Corinthians que respira o Meu Timão certamente se deparou na última segunda-feira com a notícia da volta de Fernando Lázaro ao cargo de coordenador do Cifut, Centro de Inteligência do Futebol do clube que teve seus tempos áureos até 2017, com foco em captação de reforços e uso da base justamente com Fernando na coordenação.

O Cifut, agora coordenado por Fernando, tem também os analistas Vitor Misumi, Fábio Roberto, Tassio Rodrigues e Claudio de Andrade. Claudio é recém-chegado, vinculado a Vagner Mancini, e, além de fazer parte do Cifut, tem também relação específica com a comissão técnica e a rotina de treinos e jogos do Corinthians - lembra a relação de braço-direito do próprio Lázaro com Tite no CT Joaquim Grava e na seleção.

O dia de ontem foi comemorado por atuais e até ex-funcionários do clube, em conversas e nas redes sociais, como um passo importante nessa reconstrução de departamentos iniciada na gestão Duilio. Considerando que a notícia da chegada de Colagrossi é do ano passado, digo convicto que a melhor novidade apresentada pelo Corinthians em 2021 até aqui é esse indício de uma nova era de maior utilização do Cifut.

Pra ilustrar: o Cifut, setor do departamento de futebol do qual o Corinthians se gabava ser referência na América Latina, foi parte fundamental na contratação de Paolo Guerrero, talvez o maior centroavante do clube no século, ídolo com média de gols similar a Liedson e só superada por Tevez entre os grandes nomes do milênio.


Mas também ontem, como corinthiano, "me frustrou" ver o Red Bull Bragantino dando liga com Claudinho faixa e camisa 10. E nada contra ele. Pelo contrário. Está legal ver jogos do time de Bragança e o crescimento de Claudinho nesse processo. Mas pensar que não valeu nada para o Corinthians... E na minha opinião, totalmente relacionado ao sucateamento do Cifut no CT Joaquim Grava.

Sobre Claudinho: como tá longe de ser veterano, o jogador de 23 anos pode até pintar como revelação do Brasileirão, se destacando com mais protagonismo no Red Bull Bragantino do que a ótima geração da base de Cotia no São Paulo.

Sobre esse mesmo jogador: o Corinthians se desfez sem nunca dar chance. Vendeu sua parte (50%) por R$ 1,5 milhão, em outubro de 2019. O Red Bull Bragantino agora planeja vendê-lo, em junho, por 12 milhões de euros (R$ 78 milhões), segundo o portal Goal.

Grande marco de Claudinho no Corinthians foi estar no elenco campeão brasileiro de 2015, com 18 anos. Mas sem entrar em campo. Ele então some quando o CT Joaquim Grava, incluindo o Cifut, se desmantela a partir da saída de Tite rumo à seleção brasileira.

Começou então a subutilização do Cifut. Um dos problemas encontrados por Tiago Nunes foi o trabalho do setor pouco avançado em mapeamento, que impossibilita conhecer seus próprios jogadores, como Claudinho. Isso é consequência de o clube olhar cada vez menos para seus analistas. É sintoma gritante de quem se perdeu na gestão de futebol.

E nessa perdeu bons nomes. Claudinho é um deles, ainda que pouco lembrado - certamente porque soma só um único jogo pelo time profissional, ainda com Tite no Paulista de 2016.

Com Cifut sucateado combinado à roleta de técnicos que se seguiu ao trabalho brilhante de Carille de 2017, o Corinthians ficou pra trás em análise de desempenho interno e externo. E agora indica uma retomada importantíssima no setor.

Mas fico me perguntando quantos Claudinhos e Guerreros o Corinthians perdeu, no próprio clube e no mercado, nos últimos anos...

Assista abaixo ao trecho do Redação Meu Timão em que discutimos o novo passo no Cifut do Corinthians

Veja mais em: CT Joaquim Grava, Mercado da bola, Contratações do Corinthians, Duílio Monteiro Alves e Vagner Mancini.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Lucas Faraldo Knopf

Por Lucas Faraldo Knopf

Jornalista pela ECA-USP e ex-Esporte Interativo, Jovem Pan e Lance!. Hoje trabalha no Meu Timão. Autor do livro 'Impedimento - Machismo, racismo, homofobia e elitização como opressões no futebol'.

O que você achou do post do Lucas Faraldo?