O Corinthians é pior que o Santos?

Marco Bello

Setorista do Corinthians desde 2009 pela Rádio Transamérica, Marco Bello acompanha o dia a dia do clube

ver detalhes

O Corinthians é pior que o Santos?

Coluna do Marco Bello

Opinião de Marco Bello

10 mil visualizações 160 comentários Comunicar erro

O Corinthians é pior que o Santos?

Timão foi mal na Vila. Mas será pior que o Santos?

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

A derrota do Corinthians por 2 a 0 para o Santos na última quarta-feira pela Copa do Brasil trouxe uma questão interessante: como o líder do Campeonato Brasileiro pode perder (jogando pior) para um time que está brigando para não cair?

Primeiro, é preciso exaltar a partida de Lucas Lima. O Corinthians não tem um jogador como ele. Renato Augusto e Jadson são bons, mas inconstantes. Na Vila, não jogaram nada. O santista resolveu o jogo praticamente sozinho.

O Corinthians não tem um atacante que resolve. Luciano estava fazendo gols, sim, mas o corinthiano que tem um pouco de memória sabe que ele não é “o cara”. Vágner Love vive péssima fase. Malcom é bom driblador, jogador jovem, tem tudo para crescer, mas ainda não assume a responsabilidade e, principalmente, não é fazedor de gols. Mendoza até entrou bem no segundo tempo, mas também não é o cara. Romero nem vou comentar e Rildo, que não pode jogar a Copa do Brasil, também não se salva.

O Santos tem Ricardo Oliveira em grande fase e ontem teve Gabriel fazendo uma boa partida, apesar de não jogar bem há bastante tempo. O gol de cabeça que ele fez no primeiro tempo apenas Luciano faria no Corinthians. O cabeceio não é especialidade de nenhum outro citado acima.

Bruno Henrique e Elias também não foram bem, e Renato jogou talvez sua melhor partida desde o retorno ao peixe. Óbvio que Elias e até Bruno, na média (e no Campeonato Brasileiro de pontos corridos vale a média e não apenas uma partida), jogam mais que Renato aos 36 anos de idade. Mas ontem não foi assim.

Um dos diferenciais do Corinthians no Campeonato Brasileiro tem sido o apoio dos laterais, mas na partida da Copa do Brasil Fagner e Uendel pareciam estar proibidos de chegarem à linha de fundo. Estavam presos, ao contrário dos dois laterais santistas, Victor Ferraz e Zeca, que são fracos mas ontem tiveram liberdade.

Cássio mais uma vez foi monstro e se não fosse ele o time poderia ter sofrido derrota pior. Felipe e Gil também seguraram bem, embora o garoto tenha falhado em um dos gols.

Falei dos jogadores mas não esqueci o principal responsável pela derrota: Tite. E aí cabe um pensamento. O treinador queria segurar o 0 X 0. Armou a equipe para isso. Será que é por que faltam peças? Com os jogadores que tem, o Corinthians não teria condições de atacar o Santos na Vila?

O Timão já foi medroso contra o São Paulo no Morumbi, contra o Avaí na Ressacada, e em diversas outras partidas do Brasileiro. Às vezes dá certo, o time acerta uma bola e ganha o jogo. Mas no mata-mata vale o risco? Contra o Guarani no Paraguai pela Libertadores foi a mesma coisa. O time viajou pronto para empatar e resolver em casa. Cássio tomou um frango e a estratégia foi por água abaixo.

A estratégia é errada? Em 2012 deu certo. Na Libertadores invicta, para quem não se lembra, o time jogava todas para empatar fora de casa e conseguia. Resolvia no Pacaembu. Por que tinha peças? Jogadores que resolviam?

O time só se defende porque não tem atacantes ou o ataque não funciona por que o time só se defende? Essa pergunta eu deixo no ar.

Coluna do Marco Bello

Por Marco Bello

Marco Bello é jornalista, apresentador e repórter da Rede Transamérica de Rádio, setorista do Corinthians desde 2009

O que você achou do post do Marco Bello?