Ideias não faltam para o Corinthians obter mais receita

Marco Bello

Setorista do Corinthians desde 2009 pela Rádio Transamérica, Marco Bello acompanha o dia a dia do clube

ver detalhes

Corinthians lança Parque Temático do clube na zona leste de SP

Coluna do Marco Bello

Opinião de Marco Bello

23 mil visualizações 152 comentários Comunicar erro

Corinthians lança Parque Temático do clube na zona leste de SP

Um sonho não tão impossível assim

“Bonecos em tamanho real dos ídolos do clube, campos de jogo virtuais, brinquedos e diversões para o torcedor do Corinthians de todas as idades.”

Infelizmente, essa notícia não é real. Mas se você, como eu, achou essa ideia legal, por que será que o clube ainda não pensou nisso, ou se pensou, não colocou em prática?

O clube com o maior número de torcedores do Brasil não aproveita o potencial que tem para interagir com sua torcida e assim ganhar muito dinheiro para sair da pendenga financeira. Em geral, não só o Corinthians, mas todos os clubes brasileiros pensam que receita é apenas bilheteria, patrocínio na camisa e direitos de TV. Por isso estão falidos.

No local onde a Arena Corinthians foi construída, há um enorme espaço disponível para uso do clube. Mas hoje quem sai do metrô Itaquera e anda até as bilheterias, vê camelôs vendendo camisas piratas, barracas de hot-dog e cerveja, e até cambistas vendendo ingressos. Tudo isso fazendo o dinheiro do torcedor não chegar ao clube.

E se na porta do metrô houvesse uma enorme loja oficial do Timão? Com produtos, lanchonete, local para fotos. O dinheiro iria para as contas do clube. Vou mais longe: imagine uma “cidade do Corinthians” do lado de fora do estádio. Uma enorme roda-gigante em que o objetivo seja ver o campo de jogo quando estiver na parte de cima.

Você pode estar pensando: “mas se eu moro longe do estádio e não costumo frequentar a Arena? Isso não serve pra mim”. Errado, o clube pode lucrar também com os torcedores que não vão ao estádio. Que tal bares temáticos do Corinthians espalhados pela cidade? Se você não quiser ou não puder pagar o preço do ingresso no estádio, pode assistir aos jogos em bares oficiais, com telões e decoração totalmente corinthiana. Bares na zona sul, oeste, norte, leste, no centro. Seriam 40 mil no estádio e mais milhares fora dele, e repetindo: com o dinheiro indo parar nas contas do clube.

Aposto que você também tem muitas ideias de como o clube pode lucrar e, principalmente, em como o torcedor pode se sentir mais perto do Corinthians. Há um enorme potencial não explorado e não se sabe porquê. Seria divertido, inteligente, interativo, fidelizador e lucrativo.

Quem sabe um dia essas ideias não sejam ouvidas e deixem de ser apenas um sonho do torcedor.

Coluna do Marco Bello

Por Marco Bello

Marco Bello é jornalista, apresentador e repórter da Rede Transamérica de Rádio, setorista do Corinthians desde 2009

O que você achou do post do Marco Bello?