Tite, Vagner Love e Família podem segurar Jadson no Timão

Marco Bello

Setorista do Corinthians desde 2009 pela Rádio Transamérica, Marco Bello acompanha o dia a dia do clube

ver detalhes

Tite, Vagner Love e Família podem segurar Jadson no Timão

Coluna do Marco Bello

Opinião de Marco Bello

64 mil visualizações 280 comentários Comunicar erro

Tite, Vagner Love e Família podem segurar Jadson no Timão

Com tudo certo para ida à China, Jadson balança e pode ficar

Foto: Daniel Augusto Jr./ Agência Corinthians

Corinthians e Jiangsu Sainty acertaram nesta terça-feira os últimos detalhes que faltavam para o pagamento da multa contratual do meia Jadson. O jogador é esperado na província de Jiangsu ainda esta semana para assinar um contrato de três anos, ganhando o dobro do que recebe no clube brasileiro.

Mas parece que dinheiro não é a única coisa que passa hoje na cabeça do atleta de 31 anos de idade. Primeiro, a família de Jadson mostrou preocupação com alguns problemas que poderiam enfrentar do outro lado do mundo. A esposa e os filhos do jogador se mostraram preocupados principalmente com a poluição e a diferença de costumes e hábitos no país asiático.

Depois, Jadson ouviu os conselhos de seu novo companheiro de clube, Vagner Love. O camisa 29 do Timão passou dois anos morando na China e pôde mostrar o que trouxe de bom e de ruim da experiência. Love também pôde falar sobre o futebol local e informar que o Sainty é apenas um time médio, de uma província sem muita tradição no campeonato chinês.

Por último, e este talvez o motivo principal da dúvida do jogador, veio a palavra de Tite. O treinador do Timão é conhecido pelo forte discurso emocional e por manter um contato direto com seus atletas. Não foi diferente com Jadson. Quando ficou sabendo da possível transferência, Tite entrou na jogada e conversou bastante sobre a importância do atleta no grupo e sobre o projeto vitorioso que tem para o Corinthians em 2015.

Jadson balançou. Os conselhos da família, a experiência de Love e os pedidos de Tite fizeram o meia pensar que talvez o dinheiro não seja o mais importante por ora. O bom momento vivido no clube, claro, também ajudou. Jadson confia em seu futebol. Pensa que pode voltar aos bons tempos em que chegou a vestir a camisa da seleção brasileira.

Cabe à diretoria do Corinthians, ao clube da China e aos empresários de Jadson apenas esperar a decisão. Pode ser que Jadson decida ir, e amanhã esteja tudo resolvido. Pode ser que resolva ficar.

As cartas estão na mesa.

Coluna do Marco Bello

Por Marco Bello

Marco Bello é jornalista, apresentador e repórter da Rede Transamérica de Rádio, setorista do Corinthians desde 2009

O que você achou do post do Marco Bello?