Preparador do Corinthians abre o jogo: 'Um dos melhores grupos que já trabalhei'

Marco Bello

Setorista do Corinthians desde 2009 pela Rádio Transamérica, Marco Bello acompanha o dia a dia do clube

ver detalhes

Preparador do Corinthians abre o jogo: 'Um dos melhores grupos que já trabalhei'

Coluna do Marco Bello

Opinião de Marco Bello

8.8 mil visualizações 71 comentários Comunicar erro

Preparador do Corinthians abre o jogo: 'Um dos melhores grupos que já trabalhei'

Walmir Cruz chegou ao clube em janeiro para trabalhar com Fabio Carille

Foto: Daniel Augusto Jr. - Agência Corinthians

O preparador físico do Corinthians, Walmir Cruz, de 54 anos de idade, tem larga experiência no futebol. Com passagens por grandes clubes do futebol brasileiro e mundial, o profissional chegou até mesmo a trabalhar no próprio Corinthians em 2009, quando conheceu o atual treinador Fábio Carille.

Na ocasião, foi um dos responsáveis pela recuperação de Ronaldo Fenômeno. Walmir também trabalhou no Palmeiras, Santos, Atlético Mineiro, Ceará, Tokyo Verdy, entre outros.

Mas, nesta entrevista exclusiva ao Meu Timão, o preparador abriu o coração e disse ser este um dos melhores grupos em que já trabalhou na carreira:

“Desde a minha chegada para trabalhar aqui no Corinthians em janeiro deste ano, ouço de todos os jogadores. Eles são unânimes ao afirmarem que o ambiente é bem diferente do que havia ano passado. Era geral que o pessoal falava que esse ano mudou muito o ambiente”.

Walmir continua destacando:

“O pessoal está muito unido. Tem gente até que fala que união de grupo é lorota. Mas aqui eu posso te dar vários exemplos de que o grupo se gosta. Por exemplo, naquele gol do Jô na partida contra o São Paulo no final do primeiro tempo, o banco de reservas saiu inteiro para comemorar e abraçar o Jô. Isso mostra que aqui não tem vaidade. Não importa quem tá jogando ou não".

O preparador fala sobre o clima nos vestiários:

"Eu já participei de muitos grupos bons e e alguns muito ruins. Esse aqui é um dos melhores. Nosso vestiário é muito simples. Quem quer falar fala, quem quer dar opinião dá. Mostra sua força. E a garotada tem entendido o recado".

E sobre Fábio Carille:

"O Fábio (Carille) não é de falar muito, mas é muito pontual. Sabe acertar as coisas. E isso ajuda bastante".

Sobre o final do jogo contra a Ponte Preta, em Campinas, Walmir revelou um segredo de vestiário:

“Depois que o jogo acabou, na reza do vestiário, fizemos uma oração pela vitória, mas também pedindo respeito. Todos estavam muito concentrados. Pedimos que todos tenham respeito a uma equipe adversária que não chegou à final por acaso. Não podendo sair falando asneiras. Tirar sarro fica a cargo do torcedor. Temos que ter os pés no chão".

"Essa semana tem que ser de muita dedicação, evitando brincadeiras. Eu já estive do outro lado. Já passei o que a Ponte deve estar passando. E é muito ruim ouvir do outro lado que já ganhou. Devemos continuar respeitando para conseguir um resultado bom e aí sim carimbar a questão do título.”

Walmir Cruz também falou sobre a questão do capitão. Como o técnico Fábio Carille, assim como seu antecessor Tite, promove um rodízio em quem utiliza a faixa, ninguém sabe quem será o jogador a levantar a taça em caso de título no domingo:

“Essa informação eu não tenho. Mesmo porque o Fábio Carille costuma só definir e avisar os jogadores durante a preleção no vestiário. Foi assim o campeonato todo, foi assim no Moisés Lucarelli, quando ele colocou o Jô como capitão. E deve ser assim também na final".

"O Fábio segura até o último momento, e não deve ser diferente agora. Até porque não estamos pensando na taça, em quem vai levantá-la, e sim em fazer um ótimo jogo e aí sim quem sabe depois fazer a festa do título”.

Veja mais em: Elenco do Corinthians.

Coluna do Marco Bello

Por Marco Bello

Marco Bello é jornalista, apresentador e repórter da Rede Transamérica de Rádio, setorista do Corinthians desde 2009

O que você achou do post do Marco Bello?