'Jogo das Barricas': o dia em que Corinthians, Palestra e Lusa ajudaram o São Paulo

Pergunte ao almanaque

Celso Dario Unzelte, jornalista e pesquisador, é comentarista das televisões por assinatura ESPN/ESPN Brasil, do programa Cartão Verde (TV Cultura) e professor de Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero

ver detalhes

'Jogo das Barricas': o dia em que Corinthians, Palestra e Lusa ajudaram o São Paulo

116 mil visualizações 46 comentários Comunicar erro

'Jogo das Barricas': o dia em que Corinthians, Palestra e Lusa ajudaram o São Paulo

A capa do jornal A Gazeta Esportiva do dia seguinte ao chamado “Jogo das Barricas”

Foto: Reprodução/Arquivo Celso Unzelte

O Jonathan Rodrigues Quidute, de Sorocaba (SP), está de volta à coluna, dessa vez querendo saber detalhes do “Jogo das Barricas”, aquele em que Corinthians, Palestra Itália (atual Palmeiras) e Portuguesa teriam ajudado o São Paulo Futebol Clube financeiramente.

Faça como ele! Nós, aqui, vamos continuar respondendo as dúvidas dos internautas do site Meu Timão sobre história, estatísticas ou qualquer outro tipo de curiosidade ligada ao clube, como essa. A base para as respostas será sempre o Almanaque do Timão, trabalho que desenvolvo há mais de 20 anos sobre todos os jogos, jogadores e técnicos do nosso time desde 1910. Ele virou livro em 2000, foi reeditado em 2005 e agora existe na forma do APLICATIVO ALMANAQUE DO TIMÃO, para smartphones e tablets, que pode ser baixado (de graça!!!) via Apple Store ou Google Play. Nos dias (e noites) de jogos, esse aplicativo oficial do Corinthians continua sendo atualizado on line.

E o APLICATIVO ALMANAQUE DO TIMÃO traz uma novidade: o GAME DO TIMÃO, uma plataforma de questões de múltipla escolha em que acertos e velocidade de resposta somarão pontos para um ranking geral de usuários cadastrados. Os mais bem ranqueados receberão prêmios periódicos (semanais, mensais, semestrais e anual), como réplicas de camisas antigas, camisas oficiais, camisetas, relógios, bijuterias, bonés e livros, além de visitas acompanhadas ao Memorial do Clube, no Parque São Jorge, e até ingressos de cortesia para jogos na Arena Corinthians.

CELSO UNZELTE

Já fiz uma pergunta para o senhor anteriormente sobre o fato de Guerrero e Sheik poderem ou não ser considerados campeões brasileiros de 2015, e agradeço pela ajuda em responder.

Como eu sou um corinthiano chato (rsss), quero lhe interrogar novamente, mas na boa, ok?

Existiu mesmo o tal “Jogo das Barricas”, um campeonato no qual os torcedores de Corinthians, Palmeiras e Portuguesa de Desportos depositaram dinheiro em barricas no qual a renda foi revertida para que o São Paulo Futebol Clube não fechasse as portas?

Jonathan Rodrigues Quidute

[email protected]

Essa competição de fato existiu. Foi chamada de “Festival do São Paulo F.C.”, por ter sido organizada por aquele clube, com os jogos, envolvendo quatro equipes, sorteados já no gramado, no mesmo dia (3 de julho de 1938) e no mesmo local (o Parque Antarctica). Na primeira partida, Corinthians e Palestra Itália empataram por 0 a 0, mas o Timão classificou-se para a decisão por ter mais escanteios (2 a 0). Depois, a Portuguesa fez 3 a 0 São Paulo. Na final, o Corinthians ganhou da Lusa por 2 a 1 e ficou com a Taça Augusto Henrique Mündell Junior, oferecida pela Casa “Ao Esporte Nacional”. Nenhum desses jogos, porém (assim como acontece com os do antigo Torneio Início do Campeonato Paulista), foi disputado no tempo regulamentar de 90 minutos, até para que o torneio pudesse acabar ainda à luz do dia. É por isso que eles não constam nas estatísticas do Almanaque do Timão.

Pode até haver um certo exagero em afirmar que, ao participar daquele torneio, Corinthians, Palestra e Portuguesa evitaram que o São Paulo “fechasse as portas”. Mas pode-se afirmar o seguinte:

1)Refundado 31 meses antes (após o primeiro São Paulo Futebol Clube, mais conhecido como São Paulo “da Floresta” ter fechado suas portas), o novo tricolor, de fato, não gozava de boa saúde financeira. No futebol, ele só se reafirmaria a partir do mês seguinte (agosto de 1938), após uma fusão com o Estudantes-Paulista.

2)O objetivo do São Paulo, ao organizar a competição, foi mesmo arrecadar fundos, apesar de os espectadores terem a opção de não pagar ingresso. Isso fica claro no seguinte trecho da reportagem publicada pelo jornal O Estado de S.Paulo de 1º de julho, dois dias antes da partida: “O São Paulo F.C faz um apelo aos sócios do Palestra, Corinthians e Portuguesa, para que coadjuvem a atitude esportista dos diretores, que colocaram seu quadros à disposição do São Paulo, pagando meia entrada no festival de domingo. Aos sócios do São Paulo é dirigido um appello para que paguem uma entrada”. Toda a arrecadação, de fato, foi revertida para o São Paulo, com a Liga de Futebol do Estado de São Paulo abrindo mão de sua parte.

3)Na mesma reportagem, há uma pista de por que a iniciativa teria entrado para a história com o nome de “Jogo das Barricas”: “À entrada dos portões haverá diretores do São Paulo F.C. com cartões de lembrança que serão vendidos a todos os esportistas que desejarem cooperar para o êxito do festival”. Na edição do dia 5 de julho de 1938, dois dias depois do torneio, o Estado afirmou que o clube tricolor estava “satisfeito com o êxito financeiro de seu festival". Ainda de acordo com o texto, boa parte do estádio foi tomado pelos torcedores. A geral, por exemplo, estava lotada.

  1. Era comum os clubes promoverem festivais como esse. Naquele momento, porém, o São Paulo era quem mais necessitava dos recursos vindos desse tipo de iniciativa.

Veja mais em: Derbi e Majestoso.

Game do Timão

Coluna do Celso Dario Unzelte

Por Celso Dario Unzelte

Celso Dario Unzelte, jornalista e pesquisador, é comentarista das televisões por assinatura ESPN/ESPN Brasil, do programa Cartão Verde (TV Cultura) e professor de Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero

O que você achou do post do Celso Unzelte?