Cultura vencedora de dez anos do Corinthians está sendo jogada no lixo

Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e por 12 anos foi repórter e editor no Diário Lance!. Participa, quando convidado, de programas esportivos no SporTV e na Band.

ver detalhes

Cultura vencedora de dez anos do Corinthians está sendo jogada no lixo

Coluna do Rodrigo Vessoni

Opinião de Rodrigo Vessoni

19 mil visualizações 109 comentários Comunicar erro

Cultura vencedora de dez anos do Corinthians está sendo jogada no lixo

Corinthians obteve os maiores títulos de um clube brasileiro nesta década

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Osmar Loss não é mais técnico do Corinthians. Mas longe de a culpa ser apenas dele pelo mau momento do Corinthians. E também não estou falando da saída de jogadores, perda de qualidade, nada disso. Há algo muito maior a ser consertado. E com urgência por todos dentro do CT.

Estou falando da retomada da cultura vencedora do clube nos últimos dez anos. Situações que nortearam o dia a dia do local de treinamentos do clube mais vencedor da década e que, desde a saída de Fábio Carille, se perderam ou estão sendo executadas de forma diferente.

A começar pela parte tática. O Corinthians e o corinthiano se acostumaram a vencer jogos, independentemente de jogar bem ou não. O torcedor na Arena não liga se o time está dando show ou não. Ele quer saber se não está sofrendo muito atrás e se venceu no fim.

Que o próximo treinador devolva a consistência defensiva, que o próximo treinador coloque os 11 atrás da linha da bola, que façam todos marcarem e ajudarem. Atacar? Quando puder, ainda mais fora de casa. Isso deve ser uma questão primordial para o acerto do próximo profissional.

Treinos fechados é outra situação que não fez parte dos dez anos de Corinthians. Tite, Carille e Mano, que venceram tudo, praticamente não fechavam treinos. Cristovão e Oswaldo, que tentaram mudar isso, não duraram nem ganharam nada. Que essa frescura pare!

Até a lista de relacionados passou a ser escondida com Osmar Loss. Isso nunca foi preciso fazer com Tite, Mano e Carille. E nem em decisões ou momentos decisivos. Isso também precisa acabar!

Há dias que ninguém se pronuncia no CT. Isso também não acontecia. Anteriormente, ao menos um jogador ou membro da comissão técnica falava. E falava não com os jornalistas, e sim, com o torcedor do Corinthians. Se esconder nunca foi preciso nos últimos dez anos, nem quando a fase não era boa.

O Corinthians sabe o caminho da vitória. Sabe como ser vencedor e ter um dia a dia vencedor. Não precisa querer inventar moda. Que fique a reflexão a todos dentro do CT Joaquim Grava!

Veja mais em: Diretoria do Corinthians e História do Corinthians.

Coluna do Rodrigo Vessoni

Por Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e por 12 anos foi repórter e editor no Diário Lance!. Participa, quando convidado, de programas esportivos no SporTV e na Band.

O que você achou do post do Rodrigo Vessoni?