Caso Fagner: faltou a CBF fazer uma comunicação mais clara e direta

Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e por 12 anos foi repórter e editor no Diário Lance!. Participa, quando convidado, de programas esportivos no SporTV e na Band.

ver detalhes

Caso Fagner: faltou a CBF fazer uma comunicação mais clara e direta

Caso Fagner: faltou a CBF fazer uma comunicação mais clara e direta

Fagner tem boa chance de enfrentar o Flamengo, nesta quarta-feira, no Maracanã

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Eu, assim como todos os jornalistas que cobrem diariamente o Corinthians, tínhamos na cabeça de que Fagner voltaria em 3 ou 4 semanas devido à lesão muscular de grau 2, e não no período de 7 a 10 dias, prazo tradicional para lesões de grau 1.

Para nós, jornalistas, pelo que foi passado lá atrás, a possibilidade era de uma volta para o segundo jogo da semifinal (dia 26, na Arena Corinthians).

Tanto é que, após o Dérbi, fiz uma nota no Meu Timão dizendo que o problema inesperado do Mantuan caso fosse confirmada a gravidade faria o Corinthians não ter lateral-direito no Maracanã. Como se pode ver aqui.

O que teria evitado tudo isso seria uma comunicação melhor da CBF. Do tipo: "Por Fagner não ter condições de participar do 1° jogo nos EUA, optamos pelo corte". Ponto.

A ausência no Dérbi seria a prova de que ele não teria condições até domingo (primeiro treino no campo do CT foi na segunda)

Fagner perdeu jogos importantes do Corinthians, que caiu de produção no Brasileiro.

Se espelhar o dia a dia da Seleção com o do Corinthians, será possível entender que ele perderia praticamente toda a estadia nos EUA.

Bastava ter sido claro desde o início.

Veja mais em: Fagner.

Coluna do Rodrigo Vessoni

Por Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e por 12 anos foi repórter e editor no Diário Lance!. Participa, quando convidado, de programas esportivos no SporTV e na Band.

O que você achou do post do Rodrigo Vessoni?

  • 1000 caracteres restantes