Léo Santos: um Shaquille O'Neal que arremessa da linha dos três pontos

Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e por 12 anos foi repórter e editor no Diário Lance!. Participa, quando convidado, de programas esportivos no SporTV e na Band.

ver detalhes

Léo Santos: um Shaquille O'Neal que arremessa da linha dos três pontos

Léo Santos: um Shaquille O'Neal que arremessa da linha dos três pontos

Léo Santos deixa o Corinthians para amadurecer no Fluminense. Volta diferente?

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

7.0 mil visualizações 138 comentários Comunicar erro

Quando jogava na NBA, Shaquille O´Neal pesava 147kg, distribuídos em 2,16m. É considerado um dos maiores pivôs da história da liga americana de basquete. Dentro do garrafão era o rei. Ele nunca se atrevia fazer além do seu. Cesta da linha dos três pontos? Nem pensar...

Pois bem. Exatamente o que Léo Santos não curte é fazer o seu, fazer o simples. Ser zagueiro não faz muito o seu perfil. Zaguerar não faz parte do seu vocabulário futebolístico. E deixa o Corinthians por empréstimo exatamente porque Carille não aceita que seus zagueiros não sejam...zagueiros.

Léo não apenas acha que joga mais do que realmente joga... ele tem certeza. Isso é perigoso. Mas foi isso que o trouxe até os profissionais como um dos destaques da base. É difícil que mude. Nem o erro numa decisão de Copa do Brasil, dentro de casa, num jogo que valia R$ 50 milhões, parece ter sido suficiente.

Léo Santos tem talento, joga muita bola. A chance de se enquadrar no esquema de Fernando Diniz é enorme, já que o treinador assume a responsabilidade por qualquer bobagem feita atrás. Bancar seu jeito é mais do que virtude, é necessário. O torcedor do Fluminense entenderá o que estou dizendo acima.

Veja mais em: Léo Santos.

Coluna do Rodrigo Vessoni

Por Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e por 12 anos foi repórter e editor no Diário Lance!. Participa, quando convidado, de programas esportivos no SporTV e na Band.

O que você achou do post do Rodrigo Vessoni?

  • 1000 caracteres restantes