Legado tático de Tiago Nunes no Corinthians: nenhum!

Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e, por 12 anos, no LANCE!. Neste momento, também é repórter da Rádio 9 de Julho, SP (AM 1600). Participa ainda, quando chamado, de programas na TV.

ver detalhes

Legado tático de Tiago Nunes no Corinthians: nenhum!

Coluna do Rodrigo Vessoni

Opinião de Rodrigo Vessoni

3.6 mil visualizações 96 comentários Comunicar erro

Legado tático de Tiago Nunes no Corinthians: nenhum!

Tiago Nunes não deixou nenhum legado tático no Corinthians

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

Durante o jogo Fluminense 2x1 Corinthians, neste domingo, no Rio, eu me fiz duas perguntas:

O que o Corinthians tem de bom? O que a equipe faz bem?

A resposta foi: NADA.

O time não tem um esquema tático consolidado. O time não tem um sistema defensivo forte. O time não tem jogada pelos lados. O time não tem força ofensiva. O centroavante quase não tem chance de gol.

E a culpa não é do Coelho, claro. O cara chegou no sábado, conheceu os jogadores, deu um treino e viajou para o Rio.

O culpado tem nome e sobrenome: Tiago Nunes, que ficou nove meses no clube (quatro deles em casa, é verdade).

O legado tático de Tiago Nunes é assustador.

Lembrar da saída do Carille é o que me dá certeza disso. Quando o ex-treinador foi mandado embora, em novembro do ano passado, seu time não tinha força ofensiva. Zero, aliás. Porém, atrás, todo mundo enxergava um sistema defensivo que, claramente, tinha uma identidade. Desta vez, pós-Tiago Nunes, nem isso.

Em resumo: Dyego Coelho ou quem vier a ser contratado terá muito trabalho pela frente. Isso eu não tenho dúvida.

Veja mais em: Tiago Nunes e CT Joaquim Grava.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Rodrigo Vessoni

Por Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e, por 12 anos, no LANCE!. Neste momento, também é repórter da Rádio 9 de Julho, SP (AM 1600). Participa ainda, quando chamado, de programas na TV.

O que você achou do post do Rodrigo Vessoni?