O critério “experiência” na Sul-Americana nos limitou de desfrutar a competição

Ulisses Lopresti

Vinte e três anos de vida e de corinthianismo. Jornalista, trabalho no Meu Timão. Escrevo aqui e apareço no Contra-Ataque, mídia alternativa de futebol.

ver detalhes

O critério “experiência” na Sul-Americana nos limitou de desfrutar a competição

Coluna do Ulisses Lopresti Figueiredo

Opinião de Ulisses Lopresti

3.0 mil visualizações 35 comentários Comunicar erro

O critério “experiência” na Sul-Americana nos limitou de desfrutar a competição

Mancini explicou que não escalou os jovens por causa da experiência

Foto: Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians

Nesta semana, Mancini teve sua sequência decisiva pelo Timão. Com dois clássicos e um duelo pela Sul-Americana, era a chance de o técnico conseguir engatar algumas vitórias e afastar a crise. A vitória por 2 a 0 contra o Santos surpreendeu, principalmente pela entrada dos garotos, mas a derrota para o Peñarol, sem os jovens, escancarou problemas antigos do Corinthians.

O treinador declarou que não colocou os garotos na Sul-Americana por conta da experiência, mas o time uruguaio tinha muitos jogadores jovens. É impressionante ver como o Corinthians se comporta para disputar um torneio continental, mesmo antes do Mancini, é um receio tão grande que deixamos de “desfrutar”.

Se os atletas do time "B" estavam jogando bem, não importa que enfrentaríamos uma equipe uruguaia, era necessário colocar os melhores. O medo de arriscar pode nos ter custado uma vaga na próxima fase da competição. Desde 2012, o Timão não tem boas campanhas em campeonatos continentais e passa muito por essa “pressão” de reconquistar a América.

Mancini pensou que devia contar fatores que iam além do campo para escalar o time para a decisão. Se analisarmos nossos rivais na última Libertadores vai ver que muitos garotos foram utilizados. Vencer um clássico devia contar muito mais para garantir uma vaga em um jogo decisivo, do que já imaginar que esses garotos não teriam condições de enfrentar uma equipe apenas por ser do Uruguai.

Hoje alguns garotos podem jogar contra o São Paulo, um clássico, um tabu envolvido. Com certeza experiência em Majestosos não será o principal critério para a escolha dos titulares. Isso mostra muito como devemos mudar nossa relação com torneios continentais.

Temos mais quatro jogos para se recuperar na Sula. Que joguem os melhores.

Veja mais em: Copa Sul-Americana e Vagner Mancini.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Ulisses Lopresti Figueiredo

Por Ulisses Lopresti Figueiredo

Vinte e três anos de vida e de corinthianismo. Jornalista, trabalho no Meu Timão. Escrevo aqui e apareço no Contra-Ataque, mídia alternativa de futebol

O que você achou do post do Ulisses Lopresti?

x