O fim de um ciclo para o Sylvinho no Corinthians 

Ulisses Lopresti

Vinte e três anos de vida e de corinthianismo. Jornalista, trabalho no Meu Timão. Escrevo aqui e apareço no Contra-Ataque, mídia alternativa de futebol.

ver detalhes

O fim de um ciclo para o Sylvinho no Corinthians 

Coluna do Ulisses Lopresti Figueiredo

Opinião de Ulisses Lopresti

390 mil visualizações 681 comentários Comunicar erro

O fim de um ciclo para o Sylvinho no Corinthians 

Sylvinho terá dois reforços que vão mudar a equipe

Foto: Danilo Fernandes/ Meu Timão

Ele chegou não faz muito tempo, mas já podemos dizer: hoje Sylvinho encerra um ciclo no Corinthians. Sim, a era pré-reforços.

Desde sua chegada, Sylvinho teve que se virar nos trinta para achar o time ideal. Por mais que sofra críticas, o treinador inventou e se reinventou com o elenco que teve nas mãos.

Nos primeiros jogos, destaque para a derrota contra o Atlético-GO pela Copa do Brasil, o Corinthians “pré-reforços” era um time que apostava na marcação pressão no campo do adversário. As recentes vitórias no Brasileirão já mostram um time com a estratégia de esperar. Sylvinho teve que mudar a forma de jogar.

Nesses quase 20 jogos, o treinador teve o mérito de recuperar jogadores que estavam em baixa. Destaque para o Cantillo. O colombiano não era utilizado pelos outros treinadores e ganhou um rótulo de mau marcador com a Fiel. Foi com Sylvinho que o volante recuperou o bom futebol e se tornou a grande arma criativa desse time.

Atrás de Roni e Gabriel, que fazem o trabalho sujo, ele cria e lança para os atacantes corinthianos. Mérito do técnico.

Além dele, outros veteranos voltaram a ter créditos com a Fiel. Antes criticadíssimos, Gil, Fábio Santos e Jô se tornaram essenciais para o time. Por mais que não apresentem um primor técnico, os três solucionaram o problema de suas posições. Gil agora faz uma ótima dupla de zaga com João Victor, o lateral-esquerdo é titular incontestável e o centroavante voltou a marcar gols importantes. Ainda há muito a melhorar, mas é algo a destacar.

Sylvinho teve que achar peças, como Adson, Vitinho, Roni, Marquinhos. Todos foram mais utilizados com o treinador. Claro que há muitas críticas sobre a forma com que o técnico faz as substituições seu comportamento no segundo tempo. Porém, é inegável o desafio de montar esse time.

No próximo jogo já devemos ter Giuliano e Renato Augusto. Será uma mudança gigantesca de um domingo para o outro. As características dos dois serão fatores muito diferentes nesse elenco. Sylvinho será mais cobrado a partir da semana que vem. Cabe ver como será o Corinthians do próximo ciclo.

Veja mais em: Sylvinho, Renato Augusto e Giuliano.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Ulisses Lopresti Figueiredo

Por Ulisses Lopresti Figueiredo

Vinte e três anos de vida e de corinthianismo. Jornalista, trabalho no Meu Timão. Escrevo aqui e apareço no Contra-Ataque, mídia alternativa de futebol

O que você achou do post do Ulisses Lopresti?

x