Entenda o motivo que levou Lucas Piton para o banco de reservas

Vitor Chicarolli

Jornalista formado pela Universidade Anhembi Morumbi, tem 22 anos e trabalhou no Diário Lance!. Atualmente, acompanho diariamente o Corinthians pelo Meu Timão.

ver detalhes

Entenda o motivo que levou Lucas Piton para o banco de reservas

Coluna do Vitor Chicarolli

Informação de Vitor Chicarolli

62 mil visualizações 445 comentários Comunicar erro

Entenda o motivo que levou Lucas Piton para o banco de reservas

Apesar de um bom início de temporada, Lucas Piton não deve ser titular absoluto do Corinthians

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Para grande parte da torcida, o único questionamento sobre a escalação do Corinthians na última quarta-feira foi a presença do experiente lateral Sidcley entre os titulares, certo? E isso não aconteceu por acaso!

Apesar de atuações muito convincentes e animadoras neste início de temporada, o jovem Lucas Piton precisará ter paciência: ele não deve ser o principal responsável pela lateral esquerda do Timão em 2020.

A comissão técnica alvinegra pensa em trabalhar o garoto de 19 anos para o ano que vem, já que Sidcley está emprestado e dificilmente será comprado em definitivo pelo clube.

Com isso, aos poucos, Tiago Nunes lançará Piton em jogos mais tranquilos para não "queimar" e comprometer o futuro do atleta com a camisa corinthiana - algo que já aconteceu com os defensores Léo Santos e Juninho Capixaba num passado nem tão distante.

Lucas Piton e Sidcley

Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

E é justamente essa situação que justifica a ausência de Piton no time que enfrentou o Guaraní-PAR, tanto em Assunção quanto em Itaquera, pela Pré-Libertadores. Pelo tamanho do confronto, ele iniciou os duelos no banco de suplentes e entrou apenas no segundo tempo (na ida e na volta).

Por mais injusta que você, caro leitor, possa achar a titularidade de Sidcley, não há como negar que é absolutamente compreensível a decisão do comandante. O lateral-esquerdo chegou ao CT Joaquim Grava um pouco acima do peso, pois havia ficado sete meses sem jogar no futebol ucraniano, mas já atingiu o número exigido pelos preparadores físicos do clube.

Agora, a busca de Sidcley passa a ser para readquirir o ritmo de jogo o mais rápido possível. E terá tempo para isso. Com a precoce eliminação na Libertadores, o treinador terá diversas semanas livres para trabalhar e ajustar detalhes pontuais de seu plantel, já que o foco do Timão está apenas no Paulistão - Brasileirão e Copa do Brasil começam mais para o fim do semestre.

E para vocês, Fiel? Manteriam Sidcley ou acham válido apostar em Lucas Piton?

Veja mais em: Lucas Piton e Sidcley.

Coluna do Vitor Chicarolli

Por Vitor Chicarolli

Jornalista formado pela Universidade Anhembi Morumbi, tem 22 anos e trabalhou no Diário Lance!. Atualmente, setorista do clube de coração. Com o Corinthians em qualquer lugar.

O que você achou do post do Vitor Chicarolli?