20 pequenas tarefas para pais e mães corinthianos

Walter Falceta

Walter Falceta Jr. é paulistano, jornalista, neto de Michelle Antonio Falcetta, pintor e músico do Bom Retiro que aderiu ao Time do Povo em 1910. É membro do Núcleo de Estudos do Corinthians (NECO).

ver detalhes

20 pequenas tarefas para pais e mães corinthianos

Coluna do Walter Falceta

Opinião de Walter Falceta

14 mil visualizações 141 comentários Comunicar erro

20 pequenas tarefas para pais e mães corinthianos

Desde a infância, a educação corinthianista é fundamental

Foto: Brasil, um Século de Futebol, Arte e Magia; Aprazível Edições

1) Em tempos marcados pela síndrome de vira-latas, faça diferente, seja original. Não permita que seu filho embarque no transe barcelônico, chelseano ou bayernista. Mostre a ele, desde cedo, a grandeza do nosso Sport Club Corinthians Paulista.

2) Conte a ele que o Corinthians surgiu para dar vez e voz ao povo, lutando por liberdades, igualdades e fraternidades, como atesta nosso estatuto de 1913. Conte a ele sobre os operários e carroceiros do Bom Retiro, cujo sonho foi inspirado pelo Cometa Halley.

3) Mostre-lhe como o nosso valente Corinthians, erguido e sustentado pelos trabalhadores e trabalhadoras, superou o preconceito, a sabotagem e a pressão dos clubes aristocratas.

4) Diga a ele que o Coringão nasceu forte e vencedor. Com apenas quatro anos de vida, em 1914, já se tornou campeão paulista, e de forma invicta.

5) Narre para ele as peripécias do super-herói Neco, craque de bola, cidadão exemplar e dono de uma cinta supersônica que punia os vilões que se atrevessem a ameaçar o Time do Povo.

6) Diga para ele que o Corinthians foi o campeão do Centenário da Independência, em 1922. Recorde o espetacular Tatu, o craque negro pioneiro que desbancou o Paulistano em 1924. Relembre o espetacular trio defensivo, com Tuffy, Del Debbio e Grané, campeoníssimo nos anos finais daquela década.

7) Relate as aventuras de Teleco, o Rei da Virada, nosso atacante que tem média de gols superior à de Pelé. Teleco, mesmo de braço quebrado, marcou um golaço contra o Palestra Itália (Palmeiras), no campo do adversário, e nos levou ao título de 1937,

8) Conte para ele do maravilhoso time dos anos 1950. Relate a conquista do Pequeno Mundial, em 1953, quando derrotamos duas vezes o Barcelona. Diga-lhe que a cidade parou com a conquista do título do IV Centenário, em 1954.

9) Fale de Luizinho, o craque que sentou na bola para azucrinar o temido Luís Villa, médio argentino do Palmeiras. Relate as proezas de Baltazar, o Cabecinha de Ouro, melhor cabeceador da história do futebol brasileiro. Relembre que o indomável Idário, El Sangre, escondia as feridas para defender seu Coringão com garra e valentia.

10) Diga que é cria do Parque São Jorge o astro Rivellino, um dos melhores jogadores da história do futebol mundial. E, de quebra, mostre toda a nossa diversidade. Foi um nipo-brasileiro, Sérgio Echigo, quem ensinou ao Patada Atômica o famoso drible elástico.

11) Explique para ele que o Corinthians não vive somente de títulos. Mostre que nossa torcida cresceu barbaramente nos quase 23 anos de jejum.

12) Relate a invasão do Maracanã, em 1976, o maior deslocamento humano em tempos de paz da história mundial. De avião, ônibus, carro, moto, bicicleta e até a pé, mais de 70 mil Corinthians foram ao Rio apoiar o time que derrotaria o então poderoso Fluminense.

13) Relembre como o país parou em 1977 para acompanhar os jogos que decidiram o título paulista daquele ano. Faça você mesmo a locução do gol de Basílio, o mais comemorado na história em todos os tempos.

14) Recorde o incansável Wladimir, que jogava mesmo machucado, um cidadão polivalente, culto, politizado, dançarino e ativista do movimento negro. Lembre que o segundo filósofo Sócrates jogou por nós e encantou o mundo com seus lances mágicos e suas ideias de justiça e liberdade.

15) Explique para ele que a luta pela democracia no Brasil contou com apoio decisivo da torcida corinthiana e dos nossos atletas. O país livre em que hoje vivemos é resultado também da luta dos guerreiros de Jorge.

16) Diga para ele que a nossa torcida é a mais fiel de todas. Conte de Elisa, de Chico Mendes, de La Selva, da Tia Geni, da Dona Valquíria, da Maria Angélica e de tantos anônimos que viveram e vivem incríveis aventuras para apoiar o Timão.

17) Mostre por A mais B que o primeiro campeão mundial de clubes, segundo a FIFA, é o Corinthians, no torneio de 2000. Este foi o primeiro certame com representantes de todos os continentes; e nós vencemos.

18) Lembre-o de que só um clube brasileiro é oficialmente bicampeão mundial: o Timão. Conquistamos o nosso segundo título derrotando justamente o badalado Chelsea. E, de quebra, promovemos no Japão uma invasão de torcedores que assombrou o mundo.

19) Explique ao seu filho que o Corinthians é o Time do Povo. Mas é de todo o povo, sem preconceito em relação a etnia, crença religiosa ou classe social. O Timão é onde todos se encontram, do humilde reciclador do Glicério ao próspero empresário da Faria Lima. É onde somos mais brasileiros. É onde os diferentes se entendem e encontram convergências.

20) Por fim, explique para o seu filho que o Corinthians é um baita exemplo da resistência no amor. Ele pode perder, empatar ou ganhar, mas nunca se arrefece nossa paixão. O Corinthians é magia, é milagre, é o jeito melhor de consolidar a união entre amigos, irmãos, pais e filhos. Por fim, explique para seu filho que o fenômeno Corinthians, o mais fantástico deste terceiro planeta a partir do sol, não se explica. Vive-se!

Coluna do Walter Falceta

Por Walter Falceta

Walter Falceta Jr. é paulistano, jornalista, neto de Michelle Antonio Falcetta, pintor e músico do Bom Retiro que aderiu ao Time do Povo em 1910. É membro do Núcleo de Estudos do Corinthians (NECO).

O que você achou do post do Walter Falceta?

  • Comentários mais curtidos

    Foto do perfil de Galinho

    Ranking: 25º

    Galinho 17716 comentários

    por @galinho.paulista

    Gosto e apoio essa iniciativa desde pequeno... Nos dias de hoje é claro que a mídia é a grande incentivadora de novos torcedores... Porém os de coração são aqueles que conquistamos desde pequenos... Que contamos histórias... Que levamos para compartilhar não só as conquistas mas as lágrimas da derrota... Essa é a melhor e maior forma de formar um verdadeiro corinthiano... Isto é... Conquistando o seu coração através de sua sabedoria... Parabéns... Vai Corinthians!

  • Foto do perfil de Lucas

    Ranking: 2697º

    Lucas 455 comentários

    por @locatelli

    Eu fico com pena é do filho palmeirense quando pergunta para os pais onde está o mundial do time dele.

  • Últimos comentários

    Foto do perfil de Roberto

    Ranking: 1140º

    Roberto 992 comentários

    141º. por @roberto.moreira1

    Os meus foram criados ouvindo fita K7 dos jogos com Osmar Santos e do hino em várias versões. Ouvindo o SAGIRARDI após os jogos com a famosa frease " ô NEGA TRAZ MAIS AMPOLA QUE O MEU CURINGÃO TÁ ESTRAÇALHANDO"...

  • Foto do perfil de Roberto

    Ranking: 1140º

    Roberto 992 comentários

    140º. por @roberto.moreira1

    A batalha é com um dos meus netos, tá difícil... Filho de porco...

  • Foto do perfil de Roberto

    Ranking: 1140º

    Roberto 992 comentários

    139º. por @roberto.moreira1

    Os amigos dos pais também influenciam muito, eu fui um deste, de família saopaulina, mas os amigos de meu pai, todos corintianos, me adotaram após o Título do 4o. Centenário(1954) uma aposta feita com meu pai.

  • Foto do perfil de Walter

    Ranking: 3642º

    Walter 321 comentários

    138º. por @walter.falceta.jr

    Grande professor Múcio. Memória prodigiosa da história corinthiana.

    Foto do perfil de Múcio

    Múcio 14 comentários

    29/01/2016 às 10h30 por @mucio.rodolfo.neto

    Só um adendo ao item 4, camarada Walter, o Corinthians conquistou o seu primeiro título já na sua segunda disputa de campeonato, pois até 1913 limitou-se apenas a realizar jogos varzeanos. Falando de nossas origens, gosto sempre de frisar que fomos desafiar justamente um dos melhores times que havia na época. Prova da nossa ousadia e de que jamais fugimos das dificuldades e de grandes desafios. E se os nossos meninos se importam com referências estrangeiras, é fundamental contar as palavras que Vitório Pozzo dedicou ao Corinthians já em 1914!

  • Foto do perfil de tanji

    Ranking: 2111º

    Tanji 588 comentários

    137º. por @tanjikoji

    Eu vivo exatamente o que o Walter disse sou corinthianos de alma não de coracao como disse dr osmar de oliveira o coracao um dia para a alma e eterna assim e minha paixao pelo todo poderoso Timão.

  • Foto do perfil de Múcio

    Múcio 14 comentários

    136º. por @mucio.rodolfo.neto

    Só um adendo ao item 4, camarada Walter, o Corinthians conquistou o seu primeiro título já na sua segunda disputa de campeonato, pois até 1913 limitou-se apenas a realizar jogos varzeanos. Falando de nossas origens, gosto sempre de frisar que fomos desafiar justamente um dos melhores times que havia na época. Prova da nossa ousadia e de que jamais fugimos das dificuldades e de grandes desafios. E se os nossos meninos se importam com referências estrangeiras, é fundamental contar as palavras que Vitório Pozzo dedicou ao Corinthians já em 1914!

  • Foto do perfil de Galinho

    Ranking: 25º

    Galinho 17716 comentários

    135º. por @galinho.paulista

    Aaaa sim... Agora entendi... (rs) Concordo contigo! Ciro, peço que me desculpe... Hoje a cabeça tá a mil... Forte abraço meu irmão... Saudações Corinthianas

    Foto do perfil de Ciro

    Ciro 39344 comentários

    28/01/2016 às 23h27 por @ciro.hey

    Claro galinho. Até falei sobre isso em outra postagem. Falo que a forma de ser de nossa torcida é apaixonante e também atrai multidões. Por exemolo: a irmã da minha amiga tinha 6 anos e essa minha amiga era atleticana (do parana) e o irmão mais velho era São Paulino, todo mundo tentou fazer ela torcer para algum time. Levei as 2 em um jogo do Corinthians e pronto: ficaram tão emocionadas com nossa torcida que ambas naquele dia viraram Corintianas. A irmãzinha dela hoje tem 10 anos e não esquece desse dia.. Essa minha amiga que tinha acabado de mudar para São Paulo, fazem 4 anos que vai a todos os jogos do Corinthians que ela pode.

  • Foto do perfil de André

    Ranking: 7791º

    André 118 comentários

    134º. por @deh.luiz

    Claro que é lindo ter um filho que torça para o mesmo time seu...Amo meus filhos...e tenho 4 que torcem fielmente...até a pequena de 6 anos...

    Mais nunca iria abrir mão do meu amor por eles se por acaso eles torcessem para outro clube...Pois aprendi o Livre Arbitrio...e a escola de cada um deve sim ser respeitada...Dei sorte como citei...mais minha mulher mãe dos meus dois menores...São paulina como ela é...não deu essa sorte...mais respeita as escolhas dos filhos...Pois acima da vontade de cada pai...existe o amor incondicional a um filho...e pelo seu caminho...

  • Foto do perfil de Walter

    Ranking: 3642º

    Walter 321 comentários

    133º. por @walter.falceta.jr

    Parabéns, Tainá. Vemos que compreende perfeitamente o sentido do corinthianismo: agregador, solidário e inclusivo. Parabéns ao teu pai pelas lições. Abraço fraterno.

    Foto do perfil de Tainá

    Tainá 40 comentários

    29/01/2016 às 00h25 por @taina.brito

    Que lindo texto! Eu tenho 20 anos e aprendi tudo com meu pai, que não me obrigou a torcer para o mesmo time que ele, mas me mostrou que eu nasci com isso.
    E faço um adendo: muitos torcedores, já adultos, precisam ser mais atentos ao que o Corinthians representa socialmente, um clube de massa, que luta e briga pela tua massa, que é constantemente motivo de chacota por conta de sua classe social. Torcer para o Corinthians não é só futebol, é defender aquele nosso irmão que tá feliz do nosso lado ao estádio, mas que no dia-a-dia sofre com repressão e baixas condições de vidas. Vamos ser mais humanos!

  • Foto do perfil de Walter

    Ranking: 3642º

    Walter 321 comentários

    132º. por @walter.falceta.jr

    Além de um grande amigo, o Maurício é a própria memória viva dos atletas e esquadrões corinthianos. Sabe de tudo e esbanja humildade. Merecia ser o curador da nossa biblioteca. Abraço fraterno.

    Foto do perfil de Maurício

    Maurício 39 comentários

    29/01/2016 às 07h58 por @mauricio.sabara

    Sou fã dos textos do Walter Falceta! Além de escrever admiravelmente bem, tem conhecimento da história corinthiana como poucos, não apenas citando que teve esse ou aquele, mas exemplificando com primoroso conteúdo determinadas épocas e nome dos jogadores.
    Muitas vezes é necessário ao torcedor, além da permanência no estádio quando se tem condição para tal, entender o que defende, sabendo argumentar quando os adversários se referem sem conhecimento de causa, apequenando um gigante como é o Sport Club Corinthians Paulista.
    As piadas, para quem sabe responder, sempre foram fáceis de ser derrubadas no dia a dia, faltando muitas vezes um representante à altura nos meios de comunicação para quebrar mitos que os que não gostam e desconhecem tentam impor.
    Não basta apenas comentar em grupos, blogs e sites relacionados ao Corinthians, mas no mundo futebolístico geral, para que não fique sempre a impressão que o clube só é elogiado em fontes corinthianas.
    Parabéns, Walter, pelo belo texto!