Comentário de marcelo em "Destaque das categorias de base de rival..."

Primeiro ponto gente tem que pensar que são formados todo ano uns 15 jogadores da base Não da pra aproveitar todo mundo que passa por lá os corneteiros tem que entender que se investe na molecada esperando encontrar um diferenciado guando Não vem se vende barato ou empresta pra ganhar esperiencia no demais um ou outro que se aproveita pra compor elenco vejo muita gente falando a poe esse poe aquele tem que ver se na hora que por se o cara Não vai afinar e sumir em jogo por isso que tem que manter ele o máximo na categoria de base pra ver se ele e um diferenciado agora o clube precisa aprender a fazer contratos onde os empresarios Não fiquem com boa parte do passe isso sim

em Notícia > Destaque das categorias de base de rival assina contrato...

Responda o comentário do marcelo

  • 1000 caracteres restantes

Réplicas desse comentário

  • Foto do perfil de Paulo

    Paulo 44677 comentários

    2.

    O problema que se queima mais do que lança.

  • Foto do perfil de Alexandre

    Alexandre 758 comentários

    1.

    Acompanho futebol desde os anos 70. E o que acontece é o seguinte. É muito dinheiro para pouco talento. Aqui, no mundo real, um pai de família tem que matar um leão por dia para ganhar 5 mil reais. Antes, estes meninos, recebiam ajuda de custo e chegavam ao profissional correndo atrás dos seus sonhos. Hoje em dia, esta complicado. O cara assina um bom contrato, pois há jogadores da base que ganham até 15 mil reais. Fora os benefícios para os familiares. Concordo quanto ao fato de não haver 100% de certeza sobre qual a sua real capacidade. Mas, há muito desperdício de dinheiro. Sem medo de errar que orçamento da base do Corinthians deve cobrir as despesas de muito time da série B. Em 2014 chegou a 25 milhões. Para ter uma visão exata sobre o que ocorre na basem busquem reportagens e entrevistas com o Renne Simões. O cara super competente, foi escorraçado das meninas do morumbi pois não entrou no esquema. Porém, sempre sou otimista. Quem sabe, não aparece alguém.