Fórum do Corinthians

Análise tática Corinthians e Vasco: curuis!

Tópico Lendário Entenda as regras
Foto do perfil de Félix

Ranking: 6.235º

Félix 271 posts

Publicado no Fórum do Meu Timão em 22/02/2021 às 00:30
Por Félix Rodrigues de Lima (@felix.rodrigues.de.l)

https://www.meutimao.com.br/forum-do-corinthians/bate-papo-da-torcida/844415/analise-do-jogo-santos-x-corinthians-sera-que-ha-uma-nova-panelinha Análise do jogo Santos x Corinthians – será que há uma nova panelinha? Talvez estranhem a natureza da pergunta. Mas provarei aqui que a pergunta foi inteiramente justificada, porque aconteceram certas coisas em campo muito, mas... meutimao.com.br meutimao.com.br

Aconselho que leiam esse artigo acima, do último jogo contra o Santos. Muito do que direi tem a ver com esse artigo.

Não tem muito sobre o que falar desse jogo. Há tempos que não ficava tão decepcionado com o comportamento de alguns jogadores como o que vimos hoje. Isso foi algo digno de protesto: por serem egoístas com os companheiros, pela apatia em campo, pelas palavras e atos feitos por alguns...Mancini pedia o tempo inteiro para o time atacar e até acontecia – por um lado só. Ramiro, a pedido do técnico, se adiantava para passar aos companheiros, mas eles afastavam muito das linhas e não adiantava de nada. O treinador pedia coisas que o time não atendia: várias vezes ouvi o nome do Fábio Santos e de Vital, como se fosse para avisar que eles estavam ali para receberem a bola, coisa que aconteceu pouquíssimas vezes. E nunca vi Mancini com tanta raiva estampada na cara misturado com apreensão como nesse jogo.

Nesse artigo, a pedido de muitos, vou explicar um pouquinho de como eu vejo o futebol - mas um pouquinho mesmo, porque não é assim tão elaborado. Como eu digo as coisas que digo, por que eu chego a determinadas conclusões. O modo como eu enxergo o futebol vem de muitas coisas fora do esporte, que me auxiliam a perceber determinados conceitos. O que eu faço é tentar perceber o que se passa na mente dos atletas, comissão técnica e alto escalão ao mesmo tempo em que eu analiso estrategicamente a partida, exatamente como faz um jogador de xadrez (embora eu definitivamente não seja um bom enxadrista!) aonde a psicologia é tão importante quanto a estratégia e tática. Mas vamos ao jogo.

O JOGO

As coisas que digo são fruto de uma vida de estudo, meditação e reflexão. Passei a observar a vida e as pessoas como elas são, percebendo o valor do chamado caráter moral. Tudo o que eu faço é sempre se perguntando o que é moral, o que é ético, o que é de bom tom, o que é coerente.

Há um tempo atrás, provei que Everaldo e Gustavo Silva eram os menos culpados por certos jogos: expliquei que na verdade eles eram proporcionalmente bem mais precisos do que o resto do time, e na verdade eles ou jogam fora de suas posições ou são desprestigiados taticamente e não tem uma maior participação nas jogadas. Chamei isso na época de desonestidade coletiva, e muita gente concordou comigo na época. O que vimos no jogo contra o Santos e nesse jogo foi exatamente a mesma coisa.

Como eu cheguei a essa conclusão? Bem, não é a primeira vez que noto comportamento semelhante: vejo isso constantemente no meio aonde vivo. Também noto muito isso no meio político, por exemplo. Quando olho que no mapa de calor e noto que o mapa está pintado no lado direito, e comparo o mapa individual de cada jogador, eu percebo alguma coisa errada...e me faço a pergunta: se um time que preenche o meio-campo concentra a posse de bola em um só ponto, isso significa que há jogadores que não estão recebendo a bola como deveriam...se for assim, quem são os “carentes”, e o que tá acontecendo de verdade?

A solução pra essa pergunta, naturalmente, é olhar para um gráfico que mostra a posse de bola de cada jogador...e temos a resposta: Araos e Léo Natel foram os menos privilegiados. Apesar do mapa e gráfico ser contraditório, eu coloco Mateus Vital nessa lista, e explico o porquê: foi pelo fato de, quando a bola vinha pelo lado esquerdo, ele muitas vezes ficava posicionado mais atrás da área ao invés de próximo a ela, e ficava dependente da aproximação do Ramiro, Fábio Santos ou Araos... e como Araos era o menos visado para passar a bola, os componentes do lado direito recuavam para os zagueiros, de pé em pé, até chegar ao Fábio Santos, o que forçava Vital a ficar por perto pra receber a bola e recuar novamente para o Fábio ou um volante e repetir toooooodo o processo até o outro lado. E foi nessa morosidade que a coisa andou, desprestigiando qualquer tentativa de agudeza de Vital em ataque, apenas do Fábio Santos.

Esse mapa de posse de bola confirma o que eu disse antes: o Corinthians concentrou muitos passes no miolo de zaga e na meia direita, indo pra ponta. O lado esquerdo servia só para passes e tinha pouca profundidade de Vital, como os mapas anteriores mostraram – a profundidade vinha do Fábio Santos, que fazia muito pouco.

Também tem o fato de que a defesa e meio-campo ficavam muito afastados entre si, gerando um buraco enorme no nosso campo de ataque. Além disso, as linhas ficavam extremamente afastadas, com os pontas jogando muito na beira – Vital e Gabriel Pereira que o digam. Isso facilitava e muito a defesa adversária tomar a bola, cientes de que o Corinthians atacaria por um lado só.

Esse mapa com pontos mostra os passes do Mateus Vital no jogo todo. Notem que a maioria dos passes era mais atrás da área de ataque, devido, como eu disse, a espera de um volante e do lateral esquerdo que mal havia.

As declarações pós jogo me dizem muito o que acontece internamente. No último jogo, Cássio soltou algumas desforras, coisa que vem fazendo muito faz um bom tempo. Já vi declarações como a dele antes: da boca de indivíduos falsos, de disseminadores de intrigas e pressão de grupo. Também vejo em pessoas que usam da lei do mais forte, do elitismo. E o torcedor percebeu essa atitude dele: daí o protesto feito pela torcida na Globo, elegendo Walter e Luan como os “melhores em campo”.

Outra conclusão a que cheguei foi o de por que não ter colocado Luan, sendo que pra esse jogo ele era a melhor opção... tenho certeza que Mancini, por conta própria, jamais colocaria o Jô em uma situação onde nem Natel, nem Araos e nem Vital eram culpados. Isso porque, se levar em conta que nos jogos em que ganhávamos ele não colocava um centroavante fixo e por vezes fazia uso do Luan em campo, e também levando em conta o caráter coerente do técnico, Mancini realmente queria ganhar, até porque por várias vezes ele pedia uma coisa e os jogadores faziam outra – e devo frisar que os únicos que obedeceram à risca eram Ramiro, Gabriel e Michel Macedo. Tenho certeza de que Mancini nunca colocaria Jô sabendo que se a bola não chegava na área, não era culpa de um falso 9. Quem teria influenciado? Só pode ser o alto escalão...

Naquela situação, eu tiraria um dos volantes, sofrendo o risco, para colocar o Luan e fazer o papel de falso 9, trazendo Natel para a esquerda e revezando posição com o Araos. Aí colocaria Cazares no lugar do Araos quando fosse necessário. A necessidade era fazer a bola chegar na área ou chutar de longe, e não enrolar a bola num lado só.

CONCLUSÃO

Diferente dos muitos jornalistas que falam de futebol por meio de demagogia e mostrando o jogo como se estivesse lendo um texto, o meu método pessoal é diferente: muitas vezes não olho o futebol em si, mas sim o ser humano. Afinal, o futebol foi criado por humanos, e cada atitude em campo e fora dele mostra características de comportamento humano muito específicos.

Michel Macedo, Gabriel, Gabriel Pereira e Ramiro foram os melhores do jogo porque realmente buscaram fazer o melhor. Apesar da tática errada, foram os mais precisos e os que mais agrediram. Quando Cazares entrou, Ramiro deu o seu melhor, provando o que eu disse em outro artigo em que “mataram” a característica principal dele. Senti muita falta de um chute fora da área: sempre é útil um chute de longe para enervar o goleiro e para iludir o adversário: se chutam mais de longe, é possível infiltrar a bola na área quando eles menos esperam.

Temos um último jogo e depois uma nova temporada começa. A última coisa que os torcedores querem são intrigas injustificadas e demérito, e essas duas coisas são os que fazem um time desmoronar. A base tem que ser valorizada, e espero que um trabalho grande seja feito nesse sentido. Resgatar o conceito máximo do valor corintiano deve ser a principal meta: e pra isso, deve-se dar mérito a quem merece o mérito e reforçar pontualmente ao invés de gastos sem nexo.

VAI, CORINTHIANS!

3.515 visualizações e 72 respostas neste tópico

Avaliação do tópico:

Responder tópico

Foto do perfil de Eder Ottolini Balbani

Ranking: 557º

Eder 3864 posts

@ederbalbani em 22/02/2021 às 17:16

O que eu vi foi a tática do acaba logo para eu ir para o cabelereiro.

Publicidade

Foto do perfil de Luiz Fernando Balestrero

Ranking: 1.765º

Luiz 1409 posts

@luiz.fernando.balest em 22/02/2021 às 16:45

Análise do jogo, mas quem jogou?

Foto do perfil de Aidan Xavier

Ranking: 4.524º

Aidan 455 posts

@aidan.xavier em 22/02/2021 às 16:37

K7 alguém contrata o mano ai

Foto do perfil de Eduardo E.silva

Ranking: 7.616º

Eduardo 191 posts

@timaoooooo em 22/02/2021 às 15:45

Boa analise, é um outro jeito de ver as coisas, nem tudo que aparece nas estáticas casa com o que vemos em campo, um exemplo é o Michel Macedo.

Não serve para ser reserva do Fagner, só fez uma boa jogada no 2tempo.

Ramiro não foi lá essas coisas também, buscar fazer o melhor e não tiver sucesso não é o suficiente.

Há quantos jogos Ramiro, Natel buscam fazer o melhor mas falham?

Gabriel sim, jogou bem ontem.

Mas toma cuidado para dizer algumas coisas como uma Nova Panelinha, até agora não apareceu nenhum motivo para isso.

Um único jogador já faz a diferença no jogo, fazem os outros render mais, como o Cazares e Cantillo, sem eles o meio campo fica perdido por isso tocam de lado, para trás...

Foto do perfil de Ricardo T

Ranking: 1.774º

Ricardo 1402 posts

@adamantina em 22/02/2021 às 15:06

Caraca bela explanação.Dai vemos o que o Tiago Nunes falou do Cifut era verdade, profissionais atrasados, sem preparo=contratações ridículas, sem criterios técnicos.Corinthians não tem nenhuma tática, parece times de varzea só trombadas, faltas, reclamações.Os reservas deveriam ser proibidos de se levantar do banco, levantou/reclamou cartão amarelo/vermelho, da raiva todo jogo no Brasil parece uma feira só gritaria, xingamentos, qualidade técnica ZERO, não da nem vontade de assisitir os jogos

Foto do perfil de Antônio Laécio De Sousa Silva

Ranking: 6.638º

Antônio 243 posts

@antonio.laecio.de.so em 22/02/2021 às 14:30

Foi um jogo horrível.

Foto do perfil de Vinicius Andrade

Ranking: 2.841º

Vinicius 826 posts

@vinicius.andrade16 em 22/02/2021 às 14:17

Já disse algumas vezes e vou dizer de novo: O único tópico que eu espero depois dos jogos são suas análises, eu fico procurando igual louco essas análises

Foto do perfil de Carlos Alberto Da Silva

Ranking: 7.414º

Carlos 201 posts

@carlos.alberto.da.si em 22/02/2021 às 14:12

Parabéns!

Foto do perfil de João Marcos Sabino

Ranking: 4.230º

João 496 posts

@joo.marcos em 22/02/2021 às 14:00

Muito bom, tirando o Michel. Esse nunca jogou uma partida decente sequer. Se fosse só o jogo de ontem, beleza. Mas ele é péssimo em todos os fundamentos. Tem muita sorte e vai poder dizer aos netos que, um dia vestiu o manto sagrado do Timão. Sua análise foi bem elaborada pel o que aconteceu nos setores do campo. Muito legal. Sobre as críticas e chacotas nos comentários, não ligue. São apenas pessoas que jamais teriam essa capacidade que você tem! Foi legal!

Foto do perfil de Ediceu Almeida

Ediceu 46 posts

@ediceu.almeida em 22/02/2021 às 13:25

Primeiro ponto, você está sugerindo que os jogadores não obedecem as ordens do técnico.

Segundo, você está sugerindo que o Ramiro e o Michel foram os melhores, só por que obedeceram?

E os passes errados deles, que foram quase todos, Ramiro corre muito e produz pouco, não sabe armar e comete faltas desnecessárias.

Michel é outro que não sabe cruzar, não sabe marcar.

A análise no meu ver é muito maís simples: Os jogadores são fracos, não entendem o que o Mancini propõe e estão sem confiança.

Se não houver uma restruturação e eles não comprarem a ideia de jogo, não tem jeito, futebol é um esporte coletivo.

x