Modelo de receitas ideal para o Corinthians

Fórum do Corinthians
Tópico Lendário Entenda as regras

Uriel #1.237 @coutinho88 em 03/05/2015 às 01:35

Com o estádio por pagar se torna imprescindível a diversificação da fonte de receitas do clube, mas como boa parte do dinheiro de bilheteria e vendas de camarotes sendo captado para o fundo que administra o estádio, todo o dinheiro de Matchday fica indisponível para o clube.

Essa situação criou o ambiente favorável para que a diretoria utilize novos métodos para captar recursos, sendo assim porque não adaptar a nossa realidade os maiores modelos de clubes com as maiores receitas do mundo?

As fontes essenciais para as receitas dos clubes europeus são originadas pelo dia-a-dia do futebol, as chamadas receitas operacionais do futebol, que são divididas em três grandes áreas:

Broadcast – principalmente as receitas com cessão de direitos de transmissão para televisão, agora incluindo novas mídias(Netflix, Youtube...), como internet e telefones móveis.

Matchday – compreende as receitas de bilheteria, inclusive os carnês de temporada e programas do tipo Sócio-Torcedor; aqui também estão incluídas outras receitas geradas nos estádios, em áreas como praças de alimentação e museu.(Dessa fonte de receita o dinheiro do programa de fiel torcedor é do clube e não da arena).

Quanto ao Matchday o que nos cabe é aderir em massa ao fiel torcedor. Segue um vídeo do Rafael Pulcinelli, gerente corporativo de marketing da Ambev e um dos responsáveis pelo Movimento por um futebol melhor.

Agora analisem a situação, se apenas 1% (300 mil) da nossa torcida aderisse ao Plano Minha Paixão, o clube teria somente com este referido plano por ano, a quantia de R$ 32,4 milhões, o que hoje é o valor de um patrocínio na camisa .

Commercial – compreende todas as receitas originadas pelo marketing e também o licensing, que vem a ser o que o clube ganha sobre as vendas de produtos com sua marca.

Os clubes da Alemanha dependem muito mais de receitas comerciais (acordos de patrocínio com empresas) do que de receitas de televisão. Em outras palavras, o peso da televisão sobre a renda dos clubes alemães é muito menor que o observado na Espanha, na Itália e no Brasil. Essa tendência tem sua origem na crise vivida pela televisão na Alemanha no começo dos anos 2000, que quase levou consigo para o buraco toda a Bundesliga. Desde então, clubes alemães buscam diversificar suas receitas e se apoiar mais em empresas locais do que na televisão.

-Bayern Munique

Segundo a consultoria Deloitte, o Bayern Munique é o quarto clube mais forte financeiramente do mundo. A receita anual dos bávaros gira em torno de € 368 milhões, um crescimento de 14,6% em relação ao ano anterior. Embora tenha congelado o preço nos ingressos, as boas campanha na Champions garantem mais dinheiro com bilheterias, bem como em premiações. A pujança financeira do clube, entretanto, é explicada por seu sucesso em acordos comerciais.

Nenhum outro clube do mundo arrecada tanto com patrocinadores. O Bayern recebeu € 201,5 milhões de seus parceiros, 55% do total de suas receitas. O poderio da economia alemã e a importância do clube no país acabam ajudando na questão. Atualmente, a equipe recebe investimentos de dez empresas, incluindo Adidas e Audi, que também são acionistas e contribuirão com € 35 milhões anuais até 2020. Já a Deutsche Telekom, principal marca estampada na camisa, paga € 30 milhões por ano.

-Manchester United

Um gigante com balanço financeiro de £ 433.2 milhões, com lucro de £ 23.8 milhões e aumento de 19% em receitas em relação a última temporada (£ 363.2 milhões) no âmbito comercial, os £ 190 milhões relativos a sua imagem referem-se, principalmente, a três motivos: as excursões de pré-temporada, a venda de duas milhões de camisas pelo mundo e o aumento dos seus patrocinadores (atuais 38 marcas!). Para o futuro, a valorização será ainda maior, já que a adidas entrará no fornecimento de material esportivo dos Red Devils.

Esses dois clubes não dependem das receitas da bilheteria, não tem a maior parte da renda vinda de cotas de TV e não ganharam o que ganham sem a mudança fundamental de enxergarem seus torcedores como clientes em potencial consumidores das suas marcas.

O Corinthians agora tem que ter essas metas se não quiser ser dependente da Globo e de empréstimos bancários pra ter elenco forte e situação financeira confortável :

  • Aperfeiçoar sempre que possível o programa de sócios
  • Boa gestão financeira
  • Boas e frequentes campanhas na Libertadores
  • Grandes acordos comerciais com grandes empresas

4.080 visualizações e 55 respostas neste tópico

Avaliação do tópico:

Responder tópico

Samu Zlsp #1 @samu.zlsp em 03/05/2015 às 15:58

Eu particularmente acho sonho querer atingir 1% da nossa torcida porque o clube não tem uma boa estratégia de marketing e para convencer os torcedores precisa de credibilidade o que essa administração não passou.

Se tivesse credibilidade não precisaria nem de plano de R$ 9,00 para chegar no torcedor, os planos de R$ 16,00 por mês já seriam suficiente para chegar aos 300 mil torcedores.

O que o torcedor quer é que seu dinheiro seja bem gerido e não torrado como fizeram as últimas administrações e aí os caras vem e trazer V. Love, Edu Dracena, Sheik, tudo ganhando fortunas, é um tiro no pé.

Nessas horas falta um Rosemberg no clube, aquele sujeito sabe exatamente como tem que fazer para resgatar a confiança do torcedor.

Publicidade

Felipe Florencio #1.693 @felipe.florencio em 03/05/2015 às 15:47

O Corinthians tem que aderir a esse modelo de funcionamento financeiro, só assim poderá se manter no topo enquanto paga seu estádio.

Robson Oliveira #12 @robson.oliveira4 em 03/05/2015 às 14:50

Basicamente o que eles fazem é serem organizados, administram os clubes como empresas multinacionais sem esquecer do desportivismo. Pra isso acontecer no Brasil vamos ter que esperar um pouco

Ancele Marcos #2.099 @thedbill em 03/05/2015 às 14:19

Muito bem. Mas, falta, por parte da diretoria do Corinthians, transparência quanto ao FT e os gastos com a arena. Todo mundo fala sobre esse 1 por cento, no entanto, ninguém sabe quanto desses 32mi irão para o cofre do clube. Enquanto existir essas dúvidas, com certeza, o FT não prosperará tanto assim. A operacionalização de tudo isso, pode e deve ser melhorada para ser mais transparente e menos dispendiosa.

Mooloko Mauricio #472 @mooloko em 03/05/2015 às 14:15

Parabéns pelo tópico! Abraço.

Francisco Antonio Dos Santos Silva #5.985 @negopreto26 em 03/05/2015 às 13:21

Ótimo tópico e parabéns pela inteligência. Alguém precisa passar essas informações para a diretoria do Corinthians pra ser colocada em pratica.

Korujinha 1000° #47 @elaine.vitor1 em 03/05/2015 às 13:07

Exelente tópico

Lucas Marin #2.166 @lucas.da.silva.marin em 03/05/2015 às 12:41

O Corinthians podia organizar um amistoso com Real, Barça ou Manchester, no estádio deles. Seriam 100 mil pessoas vendo o jogo. Uma eventual derrota é normal, mas a vitória mostraria o quanto somos fortes, apesar de desconhecidos por lá. Assim, a marca iria longe!

Everton R. Carlos #131 @everton.r.carlos em 03/05/2015 às 12:34

Pra funcionar tudo isso no Timão teremos que trazer dirigentes alemães

Angel Manrique #1.066 @angel.manrique em 03/05/2015 às 12:26

É muito bacana, mas determinadas coisas n funcionam no Brasil, por cultura, por costume e por valor do dinheiro!