Pedro Bial explicou tudo!

Fórum do Corinthians
Tópico Lendário Entenda as regras

Paulo @atbisco008 em 17/05/2013 às 13:49

Talvez assim quem não é corinthiano entenda um pouquinho do que sentimos!

VAI CORINTHIANS !

Autor: Pedro Bial

Vez por outra, algumas pessoas perguntam o porquê do “Vai Corinthians”.

Curiosos, tentam entender porque inevitavelmente exclamamos “Aqui é Corinthians”.

Qual seria o significado destas exaltações?

A mágica de ser corinthiano não se revela somente no ato de torcer pelo Timão dentro das quatro linhas.

O jogo do Corinthians é uma forma de interpretação da realidade. A maneira como celebramos as vitórias ou lamentamos as derrotas é uma representação da vida da nossa gente.

O sofrimento, a superação, a desilusão, o engano, a paixão, a época de vacas gordas, ou as vezes de vacas magras...

A sorte, o revés, a resignação e a euforia.

A plena compreensão de que nada vem fácil na vida da gente.

Nada do que acontece dentro de campo pode fazer sentido sem que haja uma correspondência com a vida social cotidiana.

Mas tal qual aquele ditado em que “a vida imita a arte”, podemos dizer que além do Corinthians jogar o jogo como a gente joga a vida, o contrário também é verdadeiro, ou seja, experimentamos nossa vida reproduzindo a cada momento uma espécie de ética corinthiana.

Uma ideologia que aspiramos nas partidas de futebol, de alguma forma passa a orientar o nosso comportamento.

Tentarei ser um pouco mais claro.

Quando alguém te oferece uma cerveja, mas revela timidamente que vai te servir naquele famoso copo do requeijão, você responde: “Por favor, aqui é Corinthians!”.

Você é chamado para uma entrevista de emprego. Um trabalho que você esperava há tempos. Ao entrar na reunião você murmura quase em silêncio: “Vai Corinthians!”.

Ao ajudar um amigo com a mudança, ou mesmo dar aquela força para carregar cimento e “encher a laje” da casa que o cara está construindo com muito esforço. Se o camarada demonstra gratidão e oferece um abraço, é muito comum chegar no cara e dizer: “ô mano, é nois. Cê tá ligado que Aqui é Corinthians!”.

A mulher da tua vida sorri para você. Olha nos seus olhos e te oferece um beijo. O beijo que você esperou durante dias, semanas, meses ou talvez a vida inteira. Ao voltar para casa você dará socos no ar e vai gritar para a rua inteira escutar “Vai Corinthians!”.

Ano novo. Vamos estourar um Champanhe? Só tem Cidra. Tem problema?

Adivinha: “Aqui é Corinthians”.

Bateram no seu carro. Ele estava sem seguro. Você terá de trabalhar meses para arrumar o carango. Bola pra frente. Vai Corinthians!

Quem nunca ouviu essa frase: “Oi filho, seja bem-vindo na minha casa. A casa é simples, mas recebe todo mundo muito bem. Não repara a bagunça”. Inevitável resposta: “Tia, aqui é Corinthians”.

Você foi promovido? Vai Corinthians.

Sua filha se formou na faculdade? Vai Corinthians.

Vai para a balada? Vai Corinthians.

Preserva e admira as coisas mais simples da vida? Aqui é Corinthians.

Identificou-se com este texto? Aqui é Corinthians!

Moral da História: “Vai Corinthians” e “Aqui é Corinthians” são elogios a simplicidade. Demonstram uma satisfação com a própria identidade. Uma afirmação da nossa origem.

O Corinthians é a maior expressão de quem somos. Ele joga no campo reproduzindo nossa realidade.

Alguns acham que temos sorte, fazemos gols no final do jogo, vencemos pelo cansaço.

Outros que jogamos com raça.

Tudo bem. Isso não deixa de ser verdade.

Mas o que conta no final das contas é o seguinte: O Corinthians tem presença de espírito.

Avaliação do tópico:

Responder tópico

Melhores respostas

Cirio Castre #11 @tibas em 17/05/2013 às 13:53

Vou além, todos aqui tem o mesmo sobrenome, por isso somos uma grande família, e esse sobrenome é Corinthians.

Parabéns Pedro Bial, entendeu o recadinho né dona piovani.

Raphywsk N. #1.256 @raphywsk em 17/05/2013 às 14:12

Este texto é do Rafael Castilho e não do Pedro Bial.

Últimas respostas

Thiago Rodrigues #577 @thiagunner em 19/05/2013 às 01:00

Que texto maravilhoso, que texto perfeito, olhem, eu trabalho em um bar, e vocês não tem noção do tanto de vezes que eu ouço as pessoas dizerem o 'VAI CORINTHIANS' e 'AQUI É CORINTHIANS' isso é tão presente na vida das pessoas, que até quem não é Corinthiano, num momento de comprimentar um Corinthiano já ouvi várias vezes dizerem o VAI CORINTHIANS, agora vai pensando aí, algum outro clube de futebol proporciona essa ligação comportamental entre o futebol e o dia a dia fora do futebol? CERTEZA QUE NÃO

Publicidade

Diego Sccp #267 @lhpdiego em 19/05/2013 às 00:47

Vai Corinthians!

Caio Batista #1.776 @starxdust em 19/05/2013 às 00:19

O Bial é tricolor carioca, mas já deram os devidos créditos, e, por fim: Vaaaaaaaaaaaaai Corinthians!

José Walter Santos @jose.walter.santos em 19/05/2013 às 00:05

Corinthians sempre na alma na veia nos olhos nas lágrimas de alegria de emoção, Corinthians minha vida Corinthians minha história Corinthians meu amor.

Flávio I. #86 @issao em 19/05/2013 às 00:05

Maravilhoso!

Aqui é Corinthians! E isso basta para a vida seguir como uma beleza!

Wállison Dos Santos Lemos #493 @fininho em 18/05/2013 às 23:48

Só há uma coisa a se dizer depois dessa jóia que você compartilhou conosco: VAI CORINTHIANS!

Cirio #11 @tibas em 17/05/2013 às 15:42

" "

Rafael Castillo, para fazer justiça, parabéns pelo seu texto.

Cirio Castre #11 @tibas em 17/05/2013 às 15:42

Rafael Castillo, para fazer justiça, parabéns pelo seu texto.

Pedro #6534 @pedropaulog em 17/05/2013 às 15:19

" "

O cara que escreveu isso, Rafael Castilho, também escreveu este: deem uma lida, muito bom:

Problema nenhum. Até que o corinthiano já sentia certa nostalgia dos momentos de sofrimento. A gente meio que se reconhece nestes dias mais sofridos. Foi desse jeito que a gente aprendeu a amar o Corinthians. Fomos amamentados nestes dias cinzentos e carregados. Freud explica. A verdade é que aprendemos muito pouco nos momentos de euforia. Quando tudo é êxtase nos quedamos pouco receptivos às grandes lições. Não é à toa que a experiência de amar o Corinthians faça com que a gente aprenda um pouco mais sobre a vida. E que da mesma forma, as nossas experiências de vida tão marcantes, indubitavelmente contribuam para que o Corinthians se agigante. O jogo contra o Boca foi um roubo só. Tudo muito evidente. Escancarado como é o ressentimento contra o sucesso do Corinthians. O roubo foi explícito como é o preconceito social contra os corinthianos. Como são as lamentações pela quebra das velhas hierarquias. Este tempo que parecia congelado na história brasileira em que todo mundo sabia o seu lugar na sociedade. E o Corinthians, certamente, deveria ocupar esse lugar subalterno no establishment do futebol. Os direitos individuais são ameaçadores para alguns. A justiça social é intragável para quem não consegue conviver com a igualdade. E o Corinthians não pode vencer. O Corinthians não pode ter o seu estádio. O Corinthians não pode pegar um avião e derrotar os europeus. Os corinthianos não poderiam cruzar o mundo. Aquilo foi demais. Essa Libertadores não poderia mesmo ser ganha pelo Corinthians. Doze irmãos encarcerados injustamente em condições subumanas. Uma infeliz fatalidade ocorreu no interior da Bolívia. Um jovem perdeu sua vida e isso doeu no peito de cada um de nós, tão acostumados a passar momentos tão felizes nos estádios de futebol. Para dar respostas aos inquisidores, uma dúzia de cidadãos brasileiros foi escolhida aleatoriamente para assumir a bronca. Doze vidas humanas se perdendo num calabouço boliviano para o sorriso sarcástico dos hipócritas. “Ora, que apodreçam na cadeia. São todos corinthianos. Todos pobres, que não sabem se expressar, falam gírias e pertencem às quadrilhas das torcidas organizadas”. Não! Esse campeonato não era pra gente. O Corinthians parece ser a causa de todos os males. É insuportável ver o Corinthians vencer. Isso também não é novidade para nós. Em 1914, há cem anos, depois que o Corinthians venceu o primeiro campeonato de sua história, terríveis forças da oligarquia paulistana se mobilizaram para excluir o Corinthians da liga. Desde sempre o Corinthians causou grande incômodo. Precisamos lutar muito para sobreviver e superar todos os obstáculos. E continuaremos lutando. Vencendo todas as barreiras. Podem nos roubar um campeonato. Podem ofender e caluniar a nossa gente. Podem dedicar tantas quantas manchetes escandalosas para atacar o nosso Corinthians. Mas nunca poderão arrancar o amor que pulsa em nossos corações. Não conseguirão apagar a chama das nossas ideias Jamais poderão acabar com a paixão que explode dentro do peito de cada corinthiano. Nunca poderão sufocar o grito na garganta de cada um de nós que para todo sempre irá gritar: “Vai Corinthians!”. O que faz o Corinthians diferente dos outros clubes não é o nosso esquadrão, tampouco os campeonatos conquistados, mas a definitiva e extraordinária experiência de ser corinthiano. E isso ninguém poderá nunca nos roubar.

Márcio Alves #1.571 @marcioalves em 17/05/2013 às 15:40

Foi o bial que escreveu este texto mesmo? Se foi parabéns a ele, lindo, foi feliz demais na sua explanação!

Pedro Paulo #6.534 @pedropaulog em 17/05/2013 às 15:19

O cara que escreveu isso, Rafael Castilho, também escreveu este: deem uma lida, muito bom:

Problema nenhum. Até que o corinthiano já sentia certa nostalgia dos momentos de sofrimento. A gente meio que se reconhece nestes dias mais sofridos. Foi desse jeito que a gente aprendeu a amar o Corinthians. Fomos amamentados nestes dias cinzentos e carregados. Freud explica. A verdade é que aprendemos muito pouco nos momentos de euforia. Quando tudo é êxtase nos quedamos pouco receptivos às grandes lições. Não é à toa que a experiência de amar o Corinthians faça com que a gente aprenda um pouco mais sobre a vida. E que da mesma forma, as nossas experiências de vida tão marcantes, indubitavelmente contribuam para que o Corinthians se agigante. O jogo contra o Boca foi um roubo só. Tudo muito evidente. Escancarado como é o ressentimento contra o sucesso do Corinthians. O roubo foi explícito como é o preconceito social contra os corinthianos. Como são as lamentações pela quebra das velhas hierarquias. Este tempo que parecia congelado na história brasileira em que todo mundo sabia o seu lugar na sociedade. E o Corinthians, certamente, deveria ocupar esse lugar subalterno no establishment do futebol. Os direitos individuais são ameaçadores para alguns. A justiça social é intragável para quem não consegue conviver com a igualdade. E o Corinthians não pode vencer. O Corinthians não pode ter o seu estádio. O Corinthians não pode pegar um avião e derrotar os europeus. Os corinthianos não poderiam cruzar o mundo. Aquilo foi demais. Essa Libertadores não poderia mesmo ser ganha pelo Corinthians. Doze irmãos encarcerados injustamente em condições subumanas. Uma infeliz fatalidade ocorreu no interior da Bolívia. Um jovem perdeu sua vida e isso doeu no peito de cada um de nós, tão acostumados a passar momentos tão felizes nos estádios de futebol. Para dar respostas aos inquisidores, uma dúzia de cidadãos brasileiros foi escolhida aleatoriamente para assumir a bronca. Doze vidas humanas se perdendo num calabouço boliviano para o sorriso sarcástico dos hipócritas. “Ora, que apodreçam na cadeia. São todos corinthianos. Todos pobres, que não sabem se expressar, falam gírias e pertencem às quadrilhas das torcidas organizadas”. Não! Esse campeonato não era pra gente. O Corinthians parece ser a causa de todos os males. É insuportável ver o Corinthians vencer. Isso também não é novidade para nós. Em 1914, há cem anos, depois que o Corinthians venceu o primeiro campeonato de sua história, terríveis forças da oligarquia paulistana se mobilizaram para excluir o Corinthians da liga. Desde sempre o Corinthians causou grande incômodo. Precisamos lutar muito para sobreviver e superar todos os obstáculos. E continuaremos lutando. Vencendo todas as barreiras. Podem nos roubar um campeonato. Podem ofender e caluniar a nossa gente. Podem dedicar tantas quantas manchetes escandalosas para atacar o nosso Corinthians. Mas nunca poderão arrancar o amor que pulsa em nossos corações. Não conseguirão apagar a chama das nossas ideias Jamais poderão acabar com a paixão que explode dentro do peito de cada corinthiano. Nunca poderão sufocar o grito na garganta de cada um de nós que para todo sempre irá gritar: “Vai Corinthians!”. O que faz o Corinthians diferente dos outros clubes não é o nosso esquadrão, tampouco os campeonatos conquistados, mas a definitiva e extraordinária experiência de ser corinthiano. E isso ninguém poderá nunca nos roubar.

André Oliveira Reis #2.232 @dredre em 17/05/2013 às 15:03

Independentemente de quem escreveu, é um texto que representa muito bem o que eu sinto! Corinthiano não decide ser, nasce! Não é uma opção é uma condição!

Como dizia o Dr.Sócrates: 'É um estado de espírito'

É nóis mano...aki, ETERNAMENTE, CORINTHIANS!