Para CBF torneios anteriores à 1971 não são Campeoantos Brasileiros

Fórum do Corinthians
Tópico Lendário Entenda as regras

Fielipe #3.656 @fielipe em 28/11/2016 às 11:32


Saudações corintianas!

Com a definição do campeão brasileiro de 2016, voltamos à questão absurda que um dossiê realizado por um escritor e jornalista santista proporcionou ao já desmoralizado futebol brasileiro. Nos anos de 2010 o Fluminense iniciou esta anomalia na contagem dos títulos nacionais, hoje é a Eterna Chacota sem Mundial que proporciona mais um ridículo papel ao futebol tupiniquim se auto denominando 'Enea'.

Em 2010 lembro-me muito bem o que diziam os anticorintianos.

Porém vimos que o 'esquema 2010' (dos amigos Andrés Sanches e Ricardo Teixeira), não foi para o Corinthians ser campeão brasileiro no centenário. O esquema bom, foi transformar bicampeões e tetracampeões brasileiros em Octocampeões. Procurei acessar o blog do escritor do dossiê aceito pela CBF. Logo depois descobri que o tal 'dossiê' foi pago sob encomenda do presidente santista Marcelo Teixeira o que certamente coloca a lisura do dossiê sob suspeita. Ainda mais tendo entre os 'avalistas' o apoio de João Havelange que foi nada mais nada menos do que o criador dos 'campeonatos brasileiros' anteriores à 1971, assim como, posteriormente a este mesmo ano.

Será que o dossiê ajuda a esclarecer situações como por exemplo, porque existem dois campeões brasileiros diferentes em 1968?, que por sinal nesta edição os lambaris e a porcada abandonaram 'o torneio nacional mais importante da época' sendo derrotados por W.O.

O tal dossiê explica porque existe uma distorção bizarra de considerar a porcada bicampeã brasileira no mesmo ano?. Ano este o de 1967, no qual, o Atlético Mineiro eliminou o Botafogo nas quartas-de-final da Taça Brasil de 1967, em uma disputa de cara-ou-coroa.

Os Chorolados até hoje dizem torcer para o único campeão brasileiro invicto. Certamente o dossiê ajudará a corrigir este erro, assim como, dizer que o Inter, Cruzeiro e Flamengo não são mais os únicos que disputaram todas as edições no campeonato brasileiro.

Não participaram do campeonato brasileiro de 1961 o Flamengo, Vasco, Fluminense e Botafogo. Porque?. Haviam sido rebaixados?. As edições dos 'campeonatos brasileiros' anteriores à 1971 possuíam rebaixamentos. Quais foram os rebaixados?.

Essa o dossiê passou longe de explicar.

Corinthians e São Paulo, dois clubes grandes do futebol brasileiro, nunca chegaram a disputar a Taça Brasil porque também estavam rebaixados?. Ah... Era um torneio que reunia as equipes campeãs estaduais do Brasil. O que comprova mais uma vez a distorção da tal unificação.

Será que os cardeais do jornalismo esportivo foram tão negligentes e agora por achismos e desrespeito à história do futebol brasileiro dizem que o reconhecimento proporcionado pela equiparação foi uma jogada política?. Claro que não.

Será que a revista “Placar” ignorara a história do futebol brasileiro antes de 1970?. Claro que não.

Será que esse “esquecimento” se deveu a uma falha geral, dos dirigentes do futebol, das federações, dos clubes e da imprensa, na qual a revista Placar se inclui?.

Será culpa do governo militar?.

Sim porque foi isso que o autor do dossiê sugeriu.

Mas que eu saiba a ditadura poderia ter tentado reescrever várias outras atrocidades.

Por que então escolheu apenas modificar a história do futebol?

Sei que a ditadura cometeu toda sorte de barbaridade, mas não a de reescrever a história.

Para mim isso de reinventar e reescrever a história é coisa de ficção como no livro “1984” do escritor e jornalista George Orwell, onde neste livro em certo ponto, a própria história do mundo é 'alterada', através de modificações das notícias antigas dos jornais.

O protagonista tinha como função falsificar registros históricos, a fim de moldar o passado à luz dos interesses do presente tirânico.

Será que o criador do dossiê Sr. Odir Cunha conhece esse livro?.

O dossiê tem como obrigação possuir também esclarecimentos do porque o Torneio Roberto Gomes Pedrosa (Taça de Prata), tem o mesmo nome do torneio Rio-São Paulo?. Fica a impressão que nos anos de 1967,1968,1969,1970 estes campeonatos tinham valor interestadual e não nacional como o verdadeiro Campeonato Brasileiro que surgiu em 1971.

Até mesmo porque quem organizava a competição eram as federações paulista e carioca, assim como no ano de 1967 organizado somente pela FPF conforme imagem do boletim anual da CBD.

Realmente é no mínimo questionável um dossiê pago para um santista por um presidente santista e que foi avalizado pela CBF de João Havelange, Ricardo Teixeira, José Maria Marin e Marco Polo Del Nero.

A própria CBF comprova a politicagem de 2010 como sendo foi uma artimanha política do Ricardo Teixeira para desviar o foco, pois estava sendo investigado e denunciado pela BBC de Londres (que perdeu para o Brasil na escolha das sedes das Copas) um esquema de corrupção envolvendo a escolha de sedes para a Copa do Mundo e coloca o presidente da CBF, o brasileiro Ricardo Teixeira, entre os envolvidos.

https://mais.uol.com.br/view/pdlcfx539y51/bbc-envolve-ricardo-teixeira-em-denuncia-de-corrupcao-04020D1A346CC0B11326?types=A UOL Mais > BBC envolve Ricardo Teixeira em denúncia de corrupção A BBC de Londres, em episódio do programa jornalístico Panorama, entitulado 'FIFA: Football'a Shame?', denuncia um esquema de corrupção envolvendo a escolha... mais.uol.com.br

No fim, a imagem no início do post resume bem o como foi ridículo equiparar Taça Brasil e Robertão (Rio-SP ampliado) como Campeonatos Brasileiros.

Até mesmo porque a CBF unificou os torneios do dossiê mas não os menciona como brasileiros apenas os equiparou. A CBF antes de 71 continua referindo-se aos torneios como Robertão (Taça de Prata) e Taça Brasil.

Que bom que nós corintianos podemos dizer que somos Deca no campo, com a Supercopa de 1991 no campo, Hexacampeões brasileiros no campo e Tricampeões da Copa do Brasil no campo.

VAI CORINTHIANS!

8.251 visualizações e 122 respostas neste tópico

Avaliação do tópico:

Responder tópico

Melhores respostas

Fernando ... #17 @fernando.cortezzi em 28/11/2016 às 12:41

Essa discussão é igual 87, nunca terá fim e cada um vai defender seu lado.

Israel Geraldo De Castro #4.407 @israel.sccp em 28/11/2016 às 16:13

Parabéns Fielipe, seu tópico está excelente. Aliás, é um dos melhores que já li neste fórum. Suas colocações são claras e bem embasadas. É muito estranho que alguns neste fórum não tenham gostado do que foi exposto. Questionar esse tal 'énea' é bastante pertinente e diz respeito sim, a nós corinthianos. Quando revisam a história do campeonato brasileiro, estão revisando a história de todos os clubes que dele participaram, o que nos inclui.

Últimas respostas

Fielipe Prevedello #3.656 @fielipe em 07/12/2016 às 10:10

Lambaris e porcada ficam se apegando ao prefixo matemático, octo... Enea... Mesmo todos sabendo que a unificação da CBF em 2010 foi uma decisão de gabinete, pois não houve nenhuma convocação de uma assembleia geral para discutir e votar a proposta de unificação, nem com os clubes, razão de ser do futebol e federações estaduais.

Um dossiê elaborado por um santista (Odir Cunha) pago pelo ex-presidente santista (Marcelo Teixeira) em um contexto político da CBF onde o até então presidente Ricardo Teixeira queria desviar o foco, pois estava enfrentando denúncias da BBC de Londres em um esquema de corrupção envolvendo a escolha de sedes para a Copa do Mundo e a tal unificação seria comprovação de politicagem.

https://mais.uol.com.br/view/pdlcfx539y51/bbc-envolve-ricardo-teixeira-em-denuncia-de-corrupcao-04020D1A346CC0B11326?types=A UOL Mais > BBC envolve Ricardo Teixeira em denúncia de corrupção A BBC de Londres, em episódio do programa jornalístico Panorama, entitulado 'FIFA: Football'a Shame?', denuncia um esquema de corrupção envolvendo a escolha... mais.uol.com.br

A unificação desprezou o que é uma taça, uma competição com caráter de copa, e o que é um campeonato nacional de fato.

Para o torcedor, e também para a imprensa da época, a Taça Brasil e o Robertão nunca teve o caráter de um Campeonato Brasileiro.

A Taça Brasil nunca foi um campeonato nacional. Paulistas que participaram entravam na disputa já nas semifinais e dela participavam somente os campeões estaduais. Campeonato Paulista valia muito mais na época. Valia mais que Libertadores.

Robertão ou, na verdade, o Rio/São Paulo um pouco ampliado. Os clubes participavam por convite, não por direito. E a competição não abrangia todo o Brasil, muito pelo contrário.

Taça Brasil nunca teve o caráter de um campeonato nacional.

Como tampouco teve esse caráter o Robertão ou, na verdade, o Rio/São Paulo um pouco ampliado. Os clubes participavam por convite, não por direito. E a competição não abrangia todo o Brasil, muito pelo contrário.

No 'Campeonato Brasileiro de 1968' houve uma partida disputada no cara e coroa vencida pelo Atlético-MG contra Botafogo, e dois dos maiores times da época (Santos de Pelé e Palmeiras de Ademir da Guia) foram derrotados por W.O.

O Botafogo também venceu o Metropol por W.O.

Nos títulos de 63 e 65 o lambari disputou quatro partidas em cada competição.

Quatro!

Apenas para efeito de comparação, o campeão brasileiro – de fato – que mais “moleza” encontrou, foi o Vasco da Gama, em 1989, que disputou “somente” 19 partidas para conquistar o título, vencendo o São Paulo no Morumbi, com gol de Sorato.

Dezenove! E foi o campeão com menor número de partidas disputadas.

A ridícula unificação ainda foi capaz de proporcionar dois campeões diferentes num mesmo ano e pior, um bicampeão no mesmo ano.

Resolveram reescrever a história porque ficou insuportável ver o Corinthinas Campeão Mundial, depois Tetra nacional, depois penta... Bimundial... Hexa...

Traço esse paralelo, pois se vale apenas o que é reconhecido por entidades oficiais, o Santos acaba de dizer adeus ao bicampeonato mundial conquistado em 1962 e 1963, e o Palmeiras enterra de vez seu título mundial de 1951, a Copa Rio. Afinal de contas a FIFA tem para o mundo o mesmo valor que a CBF tem para o Brasil.

Publicidade

Reginaldo Aparecido Renato #2.568 @naldohexa em 29/11/2016 às 11:01

Devem ser torcedor da peppa que se infiltraram no grupo rsrs

Lucas #326 @lucascorintiano em 29/11/2016 às 08:35

" "

Porque que te negativaram? Estranho...

Gilmar Silveira Garcez #209 @gilgarcez em 29/11/2016 às 09:55

Simples: Copa Rio e Intercontinental não são Mundial e Roberto |Nunes Pedrosa não é brasileirão!

Fernando ... #17 @fernando.cortezzi em 29/11/2016 às 09:52

Tanto que quiseram fazer uma final entre Fla e Sport e os cariocas se negaram a jogar, logo, o Sport é o campeão.

Sandro #115 @bucky0001 em 28/11/2016 às 20:52

" "

Bom, pelo que pude ler dos regulamentos da época o campeão para mim é o Sport.

A coisa mais ridícula é dizer que o modulo amarelo era série B. Como poderia o Guarani, vice campeão do ano anterior, jogar a série B no ano seguinte?

Lucas Silva #326 @lucascorintiano em 29/11/2016 às 08:35

Porque que te negativaram? Estranho...

Reginaldo #2568 @naldohexa em 28/11/2016 às 23:52

" "

Palmeiras é um dos times que precisa inventar títulos que não existe pra se sentir superior

Rogério Batista Pereira #7.832 @dukes em 29/11/2016 às 08:29

3 porquinhos bi-rebaixados Não gostaram kkkkkk!

Gilmar Js #3.290 @gilmarjs em 29/11/2016 às 08:21

Acho que deveriam dar a sua devida importância como tal, se é Taça Brasil que seja reconhecida como tal. Mais para frente vão querer transformar o Rio-SP em brasileirão também.

Vitor Silva #837 @escrib em 29/11/2016 às 02:17

Revista placar foi trampolim para o juca Ksefuri, esse Corinthiano sem nunca ter sido.

Carlos Eduardo Cardoso @carlos.eduardo.card1 em 29/11/2016 às 00:22

Parabéns Felipe ótimo artigo, gostei muito!

Deivid Lopes #1.646 @deivid.lopes em 28/11/2016 às 23:54

Deveriam passar a limpo essas histórias todas um dia.