Comprovando rebaixamento do São Paulo no campeonato paulista em 03 atos:

Fórum do Corinthians
Tópico popular Entenda as regras

Ciro #50 @ciro.hey em 06/09/2017 às 23:00

Sempre que o assunto é rebaixamento, o São Paulino gosta de se gabar que nunca caiu e se citarem o paulista de 1990, eles logo aparecem com o print do regulamento bisonho do campeonato paulista destacado na parte que interessa. Mas como definir um campeonato confuso, e dúbio utilizando uma frase selecionada de forma mal intencionada?

Em 03 atos venho aqui para desmascarar e encerrar de vez o assunto

1° ato: O site da FIFA

Em 2007 a FIFA faz uma homenagem ao Mestre Telê Santana após seu falecimento destaca:

“Brazil's Tele Santana, who coached the Seleção at the FIFA World Cup in 1982 and 1986, was another big loss to the world of football after his passing last April. A thoroughbred right-winger, he spent 12 years at Fluminense, becoming the third highest scorer in the club's history with 165 goals in 556 games, as well as their third all-time appearance-leader. His greatest coaching achievements came not with the Auriverde, however, but instead with São Paulo FC, who he teamed up with in 1990 when they were languishing in the second tier of the Paulista state championship. Santana quickly assembled a formidable side and, after winning the state and national championships, lifted the 1992 Copa Libertadores and that year's Toyota Intercontinental Cup.”

O brasileiro Tele Santana, que treinou a Seleção na Copa do Mundo da FIFA em 1982 e 1986, foi outra grande perda para o mundo do futebol após seu falecimento em abril passado. Um extremo direito da pura raça, ele passou 12 anos no Fluminense, tornando-se o terceiro melhor marcador da história do clube com 165 gols em 556 jogos, além de seu terceiro líder de aparência absoluta. Suas maiores conquistas como treinador não vieram com o Fluminense, mas sim com o São Paulo FC, com quem ele se associou em 1990, quando estavam definhando na segunda divisão (o termo tier é utilizado como camada). Santana rapidamente reuniu um lado formidável e, depois de ganhar o campeonato estadual e nacional, levantou a Copa Libertadores de 1992 e a Taça Intercontinental Toyota daquele ano.

http://www.fifa.com/live-scores/news/y=2007/m=1/news=sad-farewells-2006-109158.html Sad farewells in 2006 - FIFA.com Sad farewells in 2006 - FIFA.com With 2006 having drawn to a close, FIFA.com pays tribute to members of the footballing family who passed away during the year. fifa.com

2° ato: O vídeo

Link vídeo que editei apenas os trechos em que jogadores (Zetti e Antônio Carlos) e treinador do SPFC (Tele Santana) na época do rebaixamento falam sobre o próprio.

Obs.: Ainda estou montando minha página no Youtube, portanto segue link já lançado no Facebook.

https://www.facebook.com/OFielMosqueteiro/videos/902064726623288/ Você prefere acreditar naquele seu amigo... - O fiel mosqueteiro Você prefere acreditar naquele seu amigo... - O fiel mosqueteiro Você prefere acreditar naquele seu amigo São Paulino mentiroso, ou nos jogadores que estiveram em campo? É óbvio que o São Paulo jogou a série B do... facebook.comfacebook.com

Se esse segundo ato, não deixa claro e querem discutir o rebaixamento, leiam o terceiro ato.

3°ato: Artigo de Felipe Virolli (pesquisador e historiador do futebol brasileiro) detalhando os regulamentos do Campeonato paulista e como foram criadas as divisões inferiores do campeonato paulista ao longo dos anos.

Aqui vou resumir aqui do artigo do Felipe explicando o formato dos campeonatos de 86,87,88 e 89 e fazer um copia e cola da maior parte que ele explica o campeonato de 1990, segue o link para quem estiver com tempo e interessado no assunto, sugiro que leiam na integra: http://www.rankingdeclubes.com.br/spfc_rebaixado_campeonato_paulista_1990.htm http://www.rankingdeclubes.com.br/spfc_rebaixado_campeonato_paulista_1990.htm rankingdeclubes.com.br

Primeiro, para entender as nominações dos campeonatos inferiores da FPF, é necessário entender que nessa época qualquer clube rebaixado em seu campeonato regional não poderia disputar a série A do Brasileiro.

Felipe começa explicando justamente o famoso print dos São Paulinos (vou colocar mais abaixo, no momento de explicar), que cita um trecho do regulamento que destaca não haver rebaixamento para divisão especial naquele ano... Ele esclarece que uma frase em um regulamento confuso como era aquele não teria como comprovar o fato de o clube ter sido rebaixado ou não. O assunto é bem mais complexo...

1986:

Ele explica a modalidade de como era disputado o campeonato, que se traduzir para hoje. É o mesmo formato do tradicional campeonato carioca, quando disputado em dois turnos com Taça Guanabara e Taça Rio. Semifinais e finais em cada turno, onde os dois campeões se enfrentam e se um clube for campeão dos dois turnos é campeão sem a final. Campeonato na época disputado por 20 clubes, e os dois últimos colocado na soma total era rebaixado para então série B, e subiam dois.

A segunda divisão nesse ano foi disputada por 55 clubes.

1987:

FPF cria uma divisão intermediária entre primeira e segunda divisão, e a chama de divisão especial. Portanto a divisão especial seria a segunda divisão, a segunda divisão na verdade passa a ser a terceira.

Divisão intermediária seria composta por quatro rebaixados da primeira divisão e os escolhidos por torneio seletivo da segunda. Os clubes que não se classificassem na seletiva, disputariam a segunda divisão (que na verdade era a terceira como já expliquei).

20 clubes disputaram a primeira divisão em 87,28 clubes disputaram a divisão especial e 30 clubes na segunda divisão. Antes de o torneio iniciar, ficou definido que 04 clubes cairiam da primeira divisão para divisão especial para o próximo ano, ao invés de 02 como foi em 1986.

Entretanto, como o Corinthians fazia péssima campanha em 87 e corria risco de rebaixamento, a FPF alterou o número de rebaixados e voltaram para 02. Ao final do torneio o Corinthians não precisou dessa “virada de mesa”, pois fez um excelente returno e inclusive chegou as finais do campeonato.

1988:

O torneio seria dividido em 02 grupos de 10, mas Ponte e Bandeirante que foram rebaixados no ano anterior entraram na justiça desportiva e conseguiram voltar à primeira divisão no tapetão, que agora teria 22 participantes. Entretanto os outros clubes boicotaram esses dois times não se apresentando para as partidas. A justiça volta atrás na decisão e devolvem esses dois clubes à divisão especial. Como o campeonato da divisão especial já estava em andamento, eles voltariam ao torneio apenas em 1989.

Durante este período conturbado, para tentar acalmar os ânimos, a FPF estabeleceu que não houvesse rebaixamento para a Divisão Especial nos torneios seguintes (de 1988,1989 e 1990).

No ano de 1988 não houve rebaixamento.

1989:

Mesmo regulamento do ano anterior, mas agora com 22 clubes. Esse ano também não houve rebaixamento.

1990: (ano da polêmica, a maioria dos trechos serão transcritos direto do texto do Felipe).

Ainda em outubro de 1989, agora preocupada com o alto número de participantes na primeira divisão, federação resolve agir como em 1987 e cria mais uma divisão. Ela decidiu não mais distribuir os clubes aleatoriamente/regionalmente, mas sim dividi-los em dois grupos (denominados inicialmente de A e B, respectivamente).

Vejam essa imagem com a explicação da Folha de SP sobre regulamento do torneio:

Agora formato do torneio – aparentemente apenas confuso - se confirmou. O Grupo I - e não mais Grupo A, como estava previsto - foi mesmo formado pelos 12 times mais fortes – que participaram da segunda fase - do campeonato anterior: São Paulo, São José, Corinthians, Bragantino, Palmeiras, Portuguesa, Guarani, Santos, Internacional de Limeira, Mogi Mirim, União São João e Novorizontino.

O grupo II – e não mais Grupo B, como estava previsto - foi mesmo formado pelos times teoricamente “mais fracos”: XV de Piracicaba, Noroeste, Santo André, América, Catanduvense, Ferroviária, Juventus, Botafogo, XV de Jaú e São Bento (que terminaram do 13º ao 22º lugares em 1989), mais Ituano e Ponte Preta, vindos da Divisão Especial (nome oficial da segunda divisão na época).

Grupo I enfrentaria o Grupo II e os 03 melhores de cada grupo e os outros 06 melhores qualificados no geral passariam a próxima fase. Era possível se presumir que os 09 melhores de 12 do grupo I se classificariam. Fora isso, seria possível 02 clubes voltarem na repescagem, possibilitando ainda que 11 clubes dentre 12 do grupo A fossem a próxima fase.

Essa formação de grupos, visando separar os melhores dos piores times, somados em regulamento que previa não haver rebaixamento para a Divisão Especial, foi criada para instituir, no ano seguinte, mais uma divisão intermediária. Desta vez, entre a Primeira Divisão e a Divisão Especial.

Segue agora a imagem que São Paulinos utilizam para tentar justificar o não rebaixamento:

De fato, não seria rebaixado para divisão especial kkk Mas agora para o grupo II.

Vamos a outros trechos originais do regulamento oficial do Campeonato Paulista de 1990:

- Parágrafo 1º do artigo 5º – “Para o Campeonato da Primeira Divisão de Futebol Profissional de 1991, o Grupo I será constituído pelas 14 associações classificadas para disputar a quarta fase do Campeonato de 1990 e o Grupo II será constituído pelas dez associações restantes que não se classificaram para a quarta fase e mais quatro advindas da Divisão Especial de 1990”.

Neste parágrafo, o regulamento não fala nada sobre rebaixamento, mas sim que haverá promoção de quatro clubes vindos da Divisão Especial.

Agora uma pergunta que não quer calar, mas que é determinante para desvendarmos a verdadeira intenção da criação de um regulamento esdrúxulo como o daquele ano:

- Oras bolas, se a FPF entendia que o Campeonato Paulista da Primeira Divisão tinha um número excessivo de clubes participantes, por qual motivo ela aumentaria em 100% o número de equipes promovidas da Divisão Especial para a Primeira Divisão em 1990 – e ainda manteria sua postura de que não haveria rebaixamento para a Divisão Especial?

A resposta de Felipe:

&Ldquo;Nada foi por acaso. Tudo isso fazia parte de um plano mirabolante que culminaria com a instituição, no ano seguinte, de uma nova segunda divisão, ou seja, uma divisão intermediária entre a Primeira Divisão e a Divisão Especial. E vale lembrar que esse não foi um recurso inédito usado pela FPF, haja vista que, como pudemos analisar, foi instituída anteriormente a Divisão Especial como segunda divisão, que relegou a Segunda Divisão à condição de terceira divisão. Isto posto, torna-se até óbvio que o Grupo II de 1991 passaria a ser, de fato, a segunda divisão – mesmo que seu nome oficial fosse mantido como “Grupo II da Primeira Divisão”. A nomenclatura, como já vimos, pouco importa para a FPF – já que a Segunda Divisão era, de fato, a terceira. Portanto, essa questão do nome da divisão é mera formalidade, como já vimos e ainda veremos adiante.”

Voltemos ao regulamento:

- Parágrafo 2º – “No campeonato da primeira divisão de futebol profissional de 1990, não haverá descenso à divisão especial de futebol profissional. Mas a partir de 1991, ou a cada ano, haverá o descenso de uma associação da Primeira Divisão de Futebol Profissional e o acesso de uma associação da Divisão Especial de Futebol Profissional ”

Neste parágrafo, conforme previsto: Não haverá rebaixamento para a Divisão Especial em 1990, mas sim a partir de 1991. Outro detalhe importante que devemos lembrar é que, para o campeonato de 1990, foram promovidos quatro clubes da Divisão Especial e, a partir de 1991, seria promovido apenas um - enquanto outro seria rebaixado.

Estranha a atitude da FPF em promover quatro clubes num ano em que não há rebaixamento, e no ano seguinte estabelecer a promoção de apenas um clube, no lugar de outro - que seria rebaixado -, não é? Nada foi por acaso. Vamos tentar resumir para esclarecer o que foi dito sobre esse ano:

A FPF dividiu os clubes para o campeonato da Primeira Divisão de 1990 em dois grupos, de acordo com o índice técnico do campeonato anterior, que contava com 22 equipes - portanto, neste ponto ela já faz uma pré-seleção dos clubes, para deixar os mais fortes no grupo que, a partir do ano seguinte, seria o da primeira divisão. Com a ascensão de outros dois clubes advindos da Divisão Especial, a edição de 1990 contou com 24 clubes - obviamente, os clubes promovidos da segunda divisão foram colocados no Grupo II.

Ao invés de manter o acesso de duas equipes da Divisão Especial para a primeira Divisão, convencionou-se nas reuniões do Conselho Arbitral da FPF que se aumentaria o número de equipes advindas da Divisão Especial, para que o campeonato da Primeira Divisão de 1991 fosse dividido em duas divisões, e contasse com um número par de equipes – o que facilitaria na hora de elaborar a tabela do torneio. Ou seja, se mantivesse o acesso de apenas duas equipes ao final da competição em 1990, o torneio de 1991 teria um total de 26 equipes, que divididas em dois grupos, formaria duas divisões com 13 equipes cada. Com a promoção de quatro clubes, além de inicialmente agradar a um número maior de filiados, a Primeira Divisão contaria com 28 clubes, divididos em dois grupos – na verdade divisões – de 14 equipes cada.

Portanto, estabeleceu-se que em 1991 o Grupo I da Primeira Divisão passaria a ser a legítima primeira divisão, e o Grupo II da primeira Divisão passaria a ser a legítima segunda divisão, relegando a Divisão Especial – que mudaria e realmente mudou de nome para Divisão Intermediária - à condição de terceira divisão, e a Segunda Divisão à condição de quarta divisão.

Sendo assim, por mais que renomados e conceituados jornalistas façam vídeos por aí para mostrar o regulamento, o assunto é muito mais complexo do que se parece, e vai muito além da frase “se a Divisão Especial é a verdadeira segunda divisão e está escrito no regulamento que não há rebaixamento para a mesma, então o assunto está resolvido e não houve descenso”.

Como vimos, o que o regulamento esconde é exatamente a criação de uma divisão intermediária (que seria a legítima segunda divisão) entre a Primeira Divisão (a legítima primeira divisão) e a Divisão Especial (que passaria a ser a terceira divisão e a se chamar Divisão Intermediária), prevista para começar a ser disputada em 1991. E a parte mais maquiavélica de tudo isso é que o nome dela seria “Grupo II ou Série B da Primeira Divisão”.

Sendo assim, por mais que renomados e conceituados jornalistas façam vídeos por aí para mostrar o regulamento, o assunto é muito mais complexo do que se parece, e vai muito além da frase “se a Divisão Especial é a verdadeira segunda divisão e está escrito no regulamento que não há rebaixamento para a mesma, então o assunto está resolvido e não houve descenso”.

Como vimos, o que o regulamento esconde é exatamente a criação de uma divisão intermediária (que seria a legítima segunda divisão) entre a Primeira Divisão (a legítima primeira divisão) e a Divisão Especial (que passaria a ser a terceira divisão e a se chamar Divisão Intermediária), prevista para começar a ser disputada em 1991. E a parte mais maquiavélica de tudo isso é que o nome dela seria “Grupo II ou Série B da Primeira Divisão”.

É isso mesmo! A FPF, que criou uma divisão (a Divisão Especial) entre a Primeira Divisão e a Segunda Divisão – conforme abordamos no início do ato deste artigo -, estava prestes a criar uma nova – e legítima – segunda divisão dentro da chamada Primeira Divisão.

Todo esse 'malabarismo' e cuidado era para a FPF não ter problemas na justiça e para não interferir no destino dos clubes participantes do Campeonato Brasileiro – a CBF só permitia clubes de “Primeira Divisão” no Campeonato Brasileiro.

Ainda de acordo com o regulamento, conforme já mencionado com relação ao que definiu o Conselho Arbitral, o mesmo não previa cruzamento entre os Grupos I e II em 1991. Pelo contrário. Citava que os clubes jogariam dentro de seus grupos, de maneira separada. Ou seja, não era a mesma regra estabelecida para o campeonato de 1990, em que todos acabavam jogando contra todos - dentro e fora de seus grupos.

- Da Repescagem – “Doze clubes eliminados da primeira fase serão divididos em dois grupos e jogarão em turno e returno. Dentro de cada grupo, os times jogarão entre si, em turno e returno. Apenas os campeões de cada grupo disputarão a segunda fase, enquanto os demais clubes estarão fora da disputa do título, e jogarão em um grupo separado dos catorze melhores colocados no campeonato do ano seguinte”.

Note que o regulamento “marotamente” destaca que “os demais clubes estão fora da disputa do título” (não era mais fácil apenas dizer que estavam eliminados do referido torneio?) e na sequência complementa que “jogarão de maneira separada dos demais clubes do outro grupo no ano seguinte”. Além disso, não menciona nada referente a qualquer tipo de cruzamento com equipes do outro grupo.

Por incrível que pareça, embora o documento...

790 visualizações e 16 respostas neste tópico

Avaliação do tópico:

Responder tópico

Melhores respostas

Marcelo Souza #3.149 @marcelo.souza28 em 06/09/2017 às 23:26

Bela explicação Ciro. Meus parabéns tenho acompanhado seus tópicos e a cada dia você se supera.

Materias muito bem elaboradas.

Adriano De Souza Franco #32 @adrianer em 07/09/2017 às 15:24

Eles caíram sim, só que fizeram uma gambiarra no ano seguinte e ainda foi campeão Paulista da Serie A

E como na época não existia internet e tal, ficou mais fácil encobrir o rebaixamento, mas caíram sim

https://www.youtube.com/watch?v=9lHwVOIrKuI SÃO PAULO REBAIXADO EM 90 - COMPROVADO O TAPETÃO NOS SÃO PAULO REBAIXADO EM 90 - COMPROVADO O TAPETÃO NOS 'DONOS DA BOLA' - YouTube Vídeo em que no programa Os Donos da Bola comprova o rebaixamento do São Paulo e Tapetão, VERGONHA! youtube.comyoutube.com

Últimas respostas

Barbara Siqueira #308 @barbara.siqueira1 em 09/09/2017 às 15:02

Mais uma vez, obrigada por nos agraciar com um ótimo post

Publicidade

Adriano De Souza Franco #32 @adrianer em 07/09/2017 às 15:24

Eles caíram sim, só que fizeram uma gambiarra no ano seguinte e ainda foi campeão Paulista da Serie A

E como na época não existia internet e tal, ficou mais fácil encobrir o rebaixamento, mas caíram sim

https://www.youtube.com/watch?v=9lHwVOIrKuI SÃO PAULO REBAIXADO EM 90 - COMPROVADO O TAPETÃO NOS SÃO PAULO REBAIXADO EM 90 - COMPROVADO O TAPETÃO NOS 'DONOS DA BOLA' - YouTube Vídeo em que no programa Os Donos da Bola comprova o rebaixamento do São Paulo e Tapetão, VERGONHA! youtube.comyoutube.com

Christian Faria #1.334 @christian.faria em 07/09/2017 às 15:20

Quando um Shuparino me fala que time grande não cai eu logo digo:

Por acaso time grande não disputa Títulos?

Time grande fica no Z4?

Caboclo 1977 #140 @caboclo1977 em 07/09/2017 às 14:40

Quando começa essa conversinha é divertido. Ano passado a torcida do Inter passou o campeonato inteiro com esse papo... Hehe

Ciro Hey #50 @ciro.hey em 07/09/2017 às 13:09

Alguns são homens para admitir, outros não

Ciro Hey #50 @ciro.hey em 07/09/2017 às 13:08

Muitas das coisas que Felipe cita eu desconhecia.. Sobre ser para ludibriar e o que falava o regulamento do brasileiro eu já sabi, porque o diretor do programa desmente PVC em seu blog após o programa.. Contando esse fato. A pesquisa do Felipe é a mais completa que achei sobre o assunto e por isso trouxe à tona aqui.. Ele dificilmente traria esse assunto aqui porque é Peppa rs

Loko #61 @sercorintianoehotimo em 07/09/2017 às 07:56

" "

Exatamente, não tínhamos que ter disputado o título contra nós e não muda o fato do rebaixamento e virada de mesa, está mais do que claro.

Parabéns pela pesquisa, essa explicação do Felipe é melhor do que qualquer outra, porque gravar um vídeo pegando uma frase solta é nulo perto da complexidade dos regulamentos.

Esse trecho resume bem o tema:

A princípio, a FPF demonstrou-se irredutível quanto ao assunto. Entretanto, no fim das contas, acabou cedendo às pressões, realizou uma 'manobra nos bastidores' e permitiu que os clubes rebaixados para essa 'nova' segunda divisão pudessem disputar o título em 1991. Com essa alteração do que estava previsto para o regulamento de 1991, tecnicamente não podemos considerar que o São Paulo disputou a segunda divisão – afinal, disputou e faturou o título de campeão paulista ainda no mesmo ano, como queriam seus dirigentes -, mas de fato, não há dúvidas de que foi rebaixado em 1990 junto com outros nove clubes.

Agora tem algo que me chamou a atenção e pode ter feito os bambis ter ganho o título brasileiro de 1991 de maneira obscura segue o trecho do Felipe:

'Todo esse 'malabarismo' e cuidado era para a FPF não ter problemas na justiça e para não interferir no destino dos clubes participantes do Campeonato Brasileiro – a CBF só permitia clubes de “Primeira Divisão” no Campeonato Brasileiro.'

Pode isso Arnaldo?

Paulo Paulo Paulo #45 @paulo.52 em 07/09/2017 às 10:41

Como diz um amigo porqueirense: ''caíram e ainda foram premiados no ano seguinte, disputando um módulo inferior que lhes permitiu o cruzamento, no final, com o vencedor do módulo superior e acabaram campeões de 1991''. Safadeza pouca é bobagem, quando se trata desse clube...

Loko Por Ti Corinthians #61 @sercorintianoehotimo em 07/09/2017 às 07:56

Exatamente, não tínhamos que ter disputado o título contra nós e não muda o fato do rebaixamento e virada de mesa, está mais do que claro.

Parabéns pela pesquisa, essa explicação do Felipe é melhor do que qualquer outra, porque gravar um vídeo pegando uma frase solta é nulo perto da complexidade dos regulamentos.

Esse trecho resume bem o tema:

A princípio, a FPF demonstrou-se irredutível quanto ao assunto. Entretanto, no fim das contas, acabou cedendo às pressões, realizou uma 'manobra nos bastidores' e permitiu que os clubes rebaixados para essa 'nova' segunda divisão pudessem disputar o título em 1991. Com essa alteração do que estava previsto para o regulamento de 1991, tecnicamente não podemos considerar que o São Paulo disputou a segunda divisão – afinal, disputou e faturou o título de campeão paulista ainda no mesmo ano, como queriam seus dirigentes -, mas de fato, não há dúvidas de que foi rebaixado em 1990 junto com outros nove clubes.

Agora tem algo que me chamou a atenção e pode ter feito os bambis ter ganho o título brasileiro de 1991 de maneira obscura segue o trecho do Felipe:

'Todo esse 'malabarismo' e cuidado era para a FPF não ter problemas na justiça e para não interferir no destino dos clubes participantes do Campeonato Brasileiro – a CBF só permitia clubes de “Primeira Divisão” no Campeonato Brasileiro.'

Pode isso Arnaldo?

Ciro #50 @ciro.hey em 07/09/2017 às 00:17

" "

Não muda o fato que foram rebaixados, e como comprovei ali.. Eles nem deveriam ter tido confrontos ou disputado as finais..

Ganharam um título no tapetão.

Tele já tinha arrumado a casa e contava com bons jogadores em 91. Aliás, em 90 o SP já tinha um bom time no Brasileiro que perdeu o título brasileiro para gente

Loko Por Ti Corinthians #61 @sercorintianoehotimo em 07/09/2017 às 07:50

Não muda o fato do rebaixamento e na verdade apenas a virada de mesa possibilitou isso a eles.

Mau #290 @mau.fernandes em 06/09/2017 às 23:57

" "

Ai eles chegam na final e sapecam 3x0 na gente com 3 do Raí com o Ronaldo tomando de cobertura lá da intermediária, tomamos sacode de time de segunda

Paulo Inacio #443 @pspi01 em 07/09/2017 às 07:29

Nem precisava dessa explicação toda, que foi muito bem feita por sinal. Sei que caíram porque eu acompanhei o campeonato, é uma das poucas vantagens de ser mais velho, você acompanha mais coisas ao vivo. Aí arrumaram uma 'final' entre os melhores de cada divisão a lá florminenC e o resto da história todo mundo conhece.

1 a 10 de 15 respostas