Parreira da Fiel?

Fórum do Corinthians
Tópico Lendário Entenda as regras

Rogerio #1.042 @rogerpavan em 13/03/2018 às 18:42

Bela entrevista do Parreira para o portal UOL, nesta entrevista ele cita o respeito pelo Timão e a fiel torcida creditando a sua segunda passagem pela seleção brasileira a força da fiel. Também disse que gosta de ser chamado de Parreira da Fiel.

Agora cai entre nós como a CBF adora tirar um técnico do Timão hein, devemos por multa no contrato do Carille?

2.310 visualizações e 53 respostas neste tópico

Avaliação do tópico:

Responder tópico

Melhores respostas

Felipe De Moraes #145 @felipemoraes em 13/03/2018 às 18:49

Parreira montou um baita time em 2002.

Tanto tecnicamente quanto taticamente, era muito forte.

Sempre ele terá o meu respeito.

Felipe Atum Seco #475 @timao.loco.sanguibao em 13/03/2018 às 18:43

Sim!

Carille e ruim, bom e o mestre renato gaúcho, levem ele..

Últimas respostas

Rogério Cardoso #48 @rogerackbar em 15/03/2018 às 01:19

O Parreira é um cara muito vencedor no futebol. Uma pena que ele tenha encerrado a carreira com trabalhos tão inexpressivos.

Publicidade

Gunter Silvio Vieira Gomes #220 @pracimadelas em 14/03/2018 às 22:27

O que ferrou também foi a saída do Ricardinho. Com ele em campo, o time era outro, Gil Kleber e Ricardinho estavam voando.

Felipe #145 @felipemoraes em 14/03/2018 às 10:55

" "

Verdade.

O time era muito forte e mesmo tomando um gol você sabia que o time iria buscar o resultado.

Pena que o Fabio Costa fez o jogo da sua vida na final, porque era para agente ter atropelado o timinho da baixada no segundo jogo.

Caboclo 1977 #147 @caboclo1977 em 14/03/2018 às 18:57

Gostei muito da passagem do Parreira no Corinthians e ele também.

Rogerio Pavan #1.042 @rogerpavan em 14/03/2018 às 14:22

Essa torcida sabe exaltar um trabalho honesto e dedicado, aquele time...assim como hoje também era desacreditado, mas jogava o fino da bola.

Euclides #2920 @euclides.cesar em 14/03/2018 às 14:19

" "

Aquele time era gostoso de ver jogar e criou uma sintonia legal com a torcida. O Parreira também foi abraçado pela Fiel, tanto que disse que desde então é corinthiano.

Euclides Cesar #2.920 @euclides.cesar em 14/03/2018 às 14:19

Aquele time era gostoso de ver jogar e criou uma sintonia legal com a torcida. O Parreira também foi abraçado pela Fiel, tanto que disse que desde então é corinthiano.

Fabiano Lima #1.189 @fabiano.lima7 em 14/03/2018 às 12:23

Foi ele ou o luxemburgo que ficou revesando a seleção e o Timão pra gente não ficar na mão, de toda forma o parreira sempre vai ter minha admiração

Douglas Fernando Silva #52 @dougnando em 14/03/2018 às 11:41

Grande Parreira

Felipe De Moraes #145 @felipemoraes em 14/03/2018 às 10:55

Verdade.

O time era muito forte e mesmo tomando um gol você sabia que o time iria buscar o resultado.

Pena que o Fabio Costa fez o jogo da sua vida na final, porque era para agente ter atropelado o timinho da baixada no segundo jogo.

Gunter #220 @pracimadelas em 14/03/2018 às 07:25

" "

Aquele time jogava bonito. Eu não costumava ficar nervoso quando o Corinthians tomava gol, pois por incrível que pareça o Parreira colocava em prática sua frase preferida: 'Gol é só um detalhe'.

Felipe De Moraes #145 @felipemoraes em 14/03/2018 às 10:52

Problema do Guilherme foi aquele acidente de carro, parece que mexeu muito com o psicológico dele.

Parreira poderia ter jogado com o trio do primeiro semestre, Gil, Leandro e Deivid, talvez o resultado poderia ser outro.

Mas acho que o time fez um bom papel, e foi um pecado não ter sido campeão brasileiro.

Choro antigo também, era para o Robinho ter sido expulso no primeiro jogo quando deu uma entrada criminosa no Deivid.

Se o arbitro tivesse cumprido a regra, não existiria essas pedaladas kk

Tatiane #483 @tatiane.prado1 em 14/03/2018 às 07:20

" "

Verdade o time era bem equilibrado, mas fiquei numa bronca na final de 2002, contra o Santos, o Guilherme estava numa tiriça, e ele tinha o Fabrício voando, o Marcinho voando (principal nome no banco, sempre entrava, e o Leandro Gianecchini, mas tático como o Romero), voltando... O time jogava por 2 empates, como o Guilherme (centroavante), não estava bem, o mais coerente era puxar o Deivid pra centroavante, e ou reforçar a marcação no meio (Fabrício), ou pelo lado (Leandro) ou optar pelo contra-ataque, com o Marcinho, jogador muito elogiado pela torcida na época.

Obs: o Deivid na temporada seguinte pelo Cruzeiro foi o artilheiro do ano pelo Cruzeiro...corneta antiga, cheia de poeira...mas eu tinha que desabafar...aquelas pedaladas estão engasgadas! Kkkkkk

Leonardo Koshimura #6.778 @leonardo.koshimura em 14/03/2018 às 10:30

Linda entrevista do Parreira! Obrigado pela dica de leitura! Admiro muito o Parreira e o Corinthians que ele montou jogava por música. Me arrependo de ter xingado esse homem em 1993-94 mas aprendi a desconfiar dos 'especialistas' da imprensa.