Fui muito cobrado pelo senhor ANISIO e decidir fazer esse tópico, Rato treinador do Corinthians

Fórum do Corinthians
Tópico popular Entenda as regras

Rafael #3.247 @preto.e.branco em 16/02/2019 às 19:44

José Castelli, mais conhecido como Rato 10-19 de agosto de 1904 até 26 de setembro de 1984 foi um futebolista e treinador de futebol, ídolo do Corinthians

De origem italiana José Castelli, conhecido como Rato, foi o primeiro meia que se tornou ídolo do Corinthians. Recebeu o apelido de Rato por ser pequeno, arisco e ágil como o roedor, e também ganhou a alcunha de 'O Rei do Drible', por conta de suas fintas desconcertantes e sempre objetivas com a perna esquerda.

Rato foi um dos jogadores que por mais tempo defenderam o Corinthians – ficou no clube de 1921 a 1931 e de 1934 a 1937 – passagens alternadas por uma transferência à Lazio, da Itália. Sagrou-se duas vezes tricampeão paulista (1922/1923/1924 e 1928/29/1930) e entrou para a história ao marcar o primeiro gol em jogos oficiais à noite em São Paulo. Também faturou o título de Campeão dos Campeões pelo Corinthians diante do Vasco da Gama, em 1930.[3]

Treinador

Editar

Como responsável pelas categorias inferiores do Corinthians, Rato, é tido como o homem que descobriu Roberto Rivellino, para muitos o maior jogador e maior ídolo da história do Corinthians.[4]

E como treinador do Corinthians, Rato, foi bicampeão paulista de futebol em 1951/1952 e campeão da Pequena Taça do Mundo de 1953.

Extra- rato é o único treinador no mundo que tem o feito de 28 jogos e 103 gols

800 visualizações e 15 respostas neste tópico

Avaliação do tópico:

Responder tópico

Melhor resposta

Marcos Corinthians #749 @palmenryk em 16/02/2019 às 19:55

O time do início dos anos 50 pouca gente sabe mais era de fato o melhor time do mundo, infelizmente os torneios grandes (nos dias de hoje) não existiam na época.

Últimas respostas

Rafael Teles #3.247 @preto.e.branco em 17/02/2019 às 11:49

Eu pretendo fazer mais tópicos desse tipo, eu avisei o ANISIO do tópico tanto que ele comentou kkkkk, mas é uma história muito boa eu gostei

Alexandre #2126 @alexandre.marco.silv em 17/02/2019 às 00:22

" "

Parabéns ao Se eu Anísio por ter te obrigado a este pequeno artigo.

Mas você deveria te-lo agradecido e até apresentado no corpo do texto é o título poderia ser mais atrativo. A galera adora história do Timão e o Rato é sim um dos nossos mais importantes ídolos.

Adorei

Publicidade

Alexandre Marco Silva Fidelis #2.126 @alexandre.marco.silv em 17/02/2019 às 00:22

Parabéns ao Se eu Anísio por ter te obrigado a este pequeno artigo.

Mas você deveria te-lo agradecido e até apresentado no corpo do texto é o título poderia ser mais atrativo. A galera adora história do Timão e o Rato é sim um dos nossos mais importantes ídolos.

Adorei

Anisio Molim #95 @amoamolim em 16/02/2019 às 22:34

Falou Rafael, eu vou fazer uma boquinha, porque até o momento não comi nada. Estou dentro de uma dieta e acabei quebrando no dia de hoje, minha médica vai me arrancar o saco fora. Kkkk.

Até mais.

rafael #3247 @preto.e.branco em 16/02/2019 às 22:25

" " Irei pesquisar isso e amanhã irei fazer um tópico

Rafael Teles #3.247 @preto.e.branco em 16/02/2019 às 22:25

Irei pesquisar isso e amanhã irei fazer um tópico

anisio #95 @amoamolim em 16/02/2019 às 22:23

" "

Pois é, sobre ele como historiografia, talvez Celso Unzete. Eu tenho uma publicação de 50 times da história do Corinthians que vai desde sua fundação até os anos 90 quando foi publicada, que fala muito pouco sobre cada um. Fala do jogadores desses 50 times, aquelas fotos padronizadas até os anos 50 mais ou menos, que eram perfilados em pé e depois começaram a ficar divididos entre defensores em pé e atacantes agachados.

Fala basicamente sobre as conquistas daquele time, ou, as derrotas de outros times como na fase do 'faz me rir' início dos anos 60, conta os principais jogadores que se destacaram e uma coisa ou outra individual e num desses times dos anos 30, foi que eu vi alguma coisa que dizia que o Rato além de jogador fazia o papel de técnico, porque o cara embora baixinho tinha uma liderança intelectual e futebolística, passou por anos na Itália, e foi adquirindo conhecimentos táticos de treinamentos físicos, e mais o interesse pessoal sobre a matéria, e que assim foi também o zagueirão Del debbio, que além de jogador muito bom segundo dizia meu pai e meu tio, foi técnico do Corinthians e vencedor, ganhou vários títulos e treinou vários craques que passaram por lá.

A dupla de defesa Grané e Del debbio é histórica, vitoriosa, com o goleiro Tuffy, ou Colombo.

Procura no gurgo esquadrão imortal que fala sobre José Castelli, o Rato, você vai ver alguma coisa dele, principalmente na fase que ele treina o Corinthians de 1951 a 1954, depois em 54 mesmo vem Brandão.

Anisio Molim #95 @amoamolim em 16/02/2019 às 22:23

Pois é, sobre ele como historiografia, talvez Celso Unzete. Eu tenho uma publicação de 50 times da história do Corinthians que vai desde sua fundação até os anos 90 quando foi publicada, que fala muito pouco sobre cada um. Fala do jogadores desses 50 times, aquelas fotos padronizadas até os anos 50 mais ou menos, que eram perfilados em pé e depois começaram a ficar divididos entre defensores em pé e atacantes agachados.

Fala basicamente sobre as conquistas daquele time, ou, as derrotas de outros times como na fase do 'faz me rir' início dos anos 60, conta os principais jogadores que se destacaram e uma coisa ou outra individual e num desses times dos anos 30, foi que eu vi alguma coisa que dizia que o Rato além de jogador fazia o papel de técnico, porque o cara embora baixinho tinha uma liderança intelectual e futebolística, passou por anos na Itália, e foi adquirindo conhecimentos táticos de treinamentos físicos, e mais o interesse pessoal sobre a matéria, e que assim foi também o zagueirão Del debbio, que além de jogador muito bom segundo dizia meu pai e meu tio, foi técnico do Corinthians e vencedor, ganhou vários títulos e treinou vários craques que passaram por lá.

A dupla de defesa Grané e Del debbio é histórica, vitoriosa, com o goleiro Tuffy, ou Colombo.

Procura no gurgo esquadrão imortal que fala sobre José Castelli, o Rato, você vai ver alguma coisa dele, principalmente na fase que ele treina o Corinthians de 1951 a 1954, depois em 54 mesmo vem Brandão.

rafael #3247 @preto.e.branco em 16/02/2019 às 21:11

" "

Eu precisei do Wikipedia para poder ter um resumo porém, quis deixar apenas portas abertas para as pessoas verem e, por acaso se alguém quiser se aprofundar mais nesse jogador.

Vitor Silva #691 @escrib em 16/02/2019 às 21:58

Que coisa boa, futebol de verdade.

Rafael Teles #3.247 @preto.e.branco em 16/02/2019 às 21:11

Eu precisei do Wikipedia para poder ter um resumo porém, quis deixar apenas portas abertas para as pessoas verem e, por acaso se alguém quiser se aprofundar mais nesse jogador.

anisio #95 @amoamolim em 16/02/2019 às 21:03

" "

Pois é! Mas na Wikipédia da qual você tirou essas informações, não está constando que por muitos jogos ele, além de ser o jogador em campo, era o técnico também, na falta desse elemento, que também acontecia, como hoje acontece aos borbotões, ele é quem era o responsável pelo time.

Seu Rato era como chamávamos, me ensinou na categorias de base em 1966 do qual eu fui por uns 4 meses um de seus jogadores (Treinei também com Ipojucã na Portuguesa junto com Enéas e outros meninos, mas, lá fiquei pouco porque meu pai sabendo que eu estava treinando na Portuguesa me tirou e me levou para o Rato que era seu amigo pessoal de Corinthians. Jogaram juntos) Ele me ensinou a bater com o pé esquerdo na bola, porque eu era destro, mas, tinha uma certa independência com a perna esquerda, no drible, no lançamento, eu só não batia faltas ou escanteios com o pé esquerdo e ele me ensinava como batia com o pé esquerdo, e melhorei nesse quesito, pois, o seu Rato era um mestre na canhota. E depois tinha aquele coisa da gente treinar no terrão de fato, naquela época era no terrão mesmo. Bola de capotão de couro duro Nº5, bem diferente dessas bexigas de hoje E na várzea depois que fui jogar também era 90% terra, só que não toda tratadinha com era o terrão do Corinthians que eles passavam aqueles rolos pesados para deixar o campo bem nivelado sem buracos, essas coisas.

Treinei junto com Adnam, Adãozinho, Nelson Lopes, Tião, e muitos outros; Nelson Lopes era um canhoto de excepcional qualidade que a pinga o derrubou, infelizmente. Ele era do bairro Vila Carrão. Ele vestiu a camisa do Corinthians poucas vezes. Eu me lembro mais desses por que esses vestiram a camisa do Corinthians, em 1971, num jogo Corinthians e Palmeiras, os porcos tinham um timaço, era a segunda academia. O primeiro tempo o Corinthians estava perdendo de 2x0. O Adãozinho entrou e arrebentou com o jogo, fez gols, e levou o time numa virada histórica de 4x3. Foi lindo.

Anisio Molim #95 @amoamolim em 16/02/2019 às 21:03

Pois é! Mas na Wikipédia da qual você tirou essas informações, não está constando que por muitos jogos ele, além de ser o jogador em campo, era o técnico também, na falta desse elemento, que também acontecia, como hoje acontece aos borbotões, ele é quem era o responsável pelo time.

Seu Rato era como chamávamos, me ensinou na categorias de base em 1966 do qual eu fui por uns 4 meses um de seus jogadores (Treinei também com Ipojucã na Portuguesa junto com Enéas e outros meninos, mas, lá fiquei pouco porque meu pai sabendo que eu estava treinando na Portuguesa me tirou e me levou para o Rato que era seu amigo pessoal de Corinthians. Jogaram juntos) Ele me ensinou a bater com o pé esquerdo na bola, porque eu era destro, mas, tinha uma certa independência com a perna esquerda, no drible, no lançamento, eu só não batia faltas ou escanteios com o pé esquerdo e ele me ensinava como batia com o pé esquerdo, e melhorei nesse quesito, pois, o seu Rato era um mestre na canhota. E depois tinha aquele coisa da gente treinar no terrão de fato, naquela época era no terrão mesmo. Bola de capotão de couro duro Nº5, bem diferente dessas bexigas de hoje E na várzea depois que fui jogar também era 90% terra, só que não toda tratadinha com era o terrão do Corinthians que eles passavam aqueles rolos pesados para deixar o campo bem nivelado sem buracos, essas coisas.

Treinei junto com Adnam, Adãozinho, Nelson Lopes, Tião, e muitos outros; Nelson Lopes era um canhoto de excepcional qualidade que a pinga o derrubou, infelizmente. Ele era do bairro Vila Carrão. Ele vestiu a camisa do Corinthians poucas vezes. Eu me lembro mais desses por que esses vestiram a camisa do Corinthians, em 1971, num jogo Corinthians e Palmeiras, os porcos tinham um timaço, era a segunda academia. O primeiro tempo o Corinthians estava perdendo de 2x0. O Adãozinho entrou e arrebentou com o jogo, fez gols, e levou o time numa virada histórica de 4x3. Foi lindo.

Oilson Amorim Dos Reis #2 @reyes em 16/02/2019 às 20:47

Grandes conquistas!

Rafael Teles #3.247 @preto.e.branco em 16/02/2019 às 20:07

Sim, mas quando é esse tipo de tópico, muitos ignoram infelizmente

Marcos #749 @palmenryk em 16/02/2019 às 20:05

" " Legal, mostrar um pouco da história que nem todo corinthiano sabe, como as de Neco, Amílcar, Teleco entre muitos outros.

1 a 10 de 14 respostas