Não existe profundidade com pés trocados

Fórum do Corinthians
Tópico Lendário Entenda as regras

Vinicius #796 @vinicius.reboucas1 em 22/07/2019 às 08:29

Não existe profundidade com pés trocados

Canhoto aberto na direita e destro aberto na esquerda é um estilo mais velho que a moda de cuspir ou a posição de... Enfim, nada vanguardista. O técnico que opta por isso é geralmente tem em mãos jogadores velozes, habilidosos e, principalmente, de pontaria perfeita.

Afinal, não existe profundidade com pés trocados. Porque o jogador sempre vai puxar para a perna boa, ou seja, para o meio, e tentar a batida ou um passe para o central, ou uma elevação pouco contundente para o centroavante que estará de costas para o gol. Afunila a jogada sempre. Atrasa o ataque.

Quando o jogador não puxa para a 'perna boa' e leva a bola até a linha de fundo, abre-se três opções: rifar um cruzamento com a 'perna ruim'; atrasar (de novo) o lance para voltar um passo e cruzar com 'a boa'; tocar a chegada do lateral. Todas três são opções ruins. Matam a relação velocidade/precisão. Quando rápido, é torto, para fora ou na cabeça do zagueiro. Quando é preciso, é lento o suficiente para a recomposição defensiva do adversário e tira o ímpeto (e a força na batida ou cabeceio) do finalizador.

É por isso que a necessidade de laterais que apoiam, nessa formação, é enorme. E se os laterais não fazem isso, o esquema desaba. Porque o centroavante nunca receberá dos pontas um cruzamento rápido e preciso, nas costas da marcação e de frente para a meta.

O Bayern de Jupp Heynckes faturou a tríplice coroa, antes da chegada de Guardiola, jogando dessa forma. A diferença é que havia uns tais de Arjen Robben e Franck Ribéry no time. O homem a ser servido era ninguém menos que Thomas Müller, jogando atrás de um Mandzukic (ou Mário Gomez), taticamente essenciais para puxar marcação e fazer o pivô, mas isolados entre os marcadores adversários.

Precisão é o nome dessa formação.

É isso que Carille tenta, sem sucesso, copiar. Algo que já passou e não funciona mais. Algo que funcionou pelas exímias qualidades de chute, do Robben, e de assistências, do Ribéry. Capitalizadas por Müller no auge da forma. Precisos e rápidos.

Não é o caso de Clayson, Sornoza e, infelizmente, Pedrinho, apesar de ser o único com qualidade técnica (e apoio do lateral) suficiente para dar cabo dessa demanda no Corinthians.

A qualidade de finalização nesse time está, exclusivamente nos currículos dos centroavantes. Jadson é a exceção. Mas está fora de forma. Então, quando se tem Vagner Love, Boselli e Gustavo dentro da área, e falta um Jadson (no áuge) pelo meio, pés trocados não é a melhor opção.

Nessa hora, menos é mais. É só fazer o simples, Carille. Inverte os pontas...

2.415 visualizações e 96 respostas neste tópico

Avaliação do tópico:

Responder tópico

Melhores respostas

Wellington Bueno #9.911 @wellington.bueno3 em 22/07/2019 às 11:36

A analise é boa, entendo que do lado direto, a função do Pedrinho de pé trocado funciona bem, pois o Fagner precisa de espaço para ir até a linha de fundo. Quando temos um lateral que avança muito e um ponta muito agudo, eles tendem a bater cabeça.

Já na esquerda, o problema é o Clayson, que não coordena com o Avelar. O Avelar passa toda hora e não recebe do infeliz do Clayson, que corta pra dentro. Quando o Avelar recebe dele, é sempre um passe merda de lado, o que tira toda a velocidade da jogada. O Avelar nunca recebeu um passe em profundidade do Clayson. Isso faz com que o Avelar tente cruzar de qualquer posição, o que facilita pra zaga adversaria.

Enfim, Clayson precisa de um cérebro novo, pois ele não consegue correr e pensar. Até tem habilidade, mas não sabe jogar para o time. Com isso, atrapalha o Sornoza e o Avelar.

Abraços

Fábio Chamusca De Carvalho #519 @fabiomcbaltz em 22/07/2019 às 11:06

Perfeito. É triste ver Pedrinho limitado a cruzar no segundo poste depois de puxar pra dentro.

Eu ainda adicionaria o fato de que nossos extremos jogarem mais recuados do que estes citados por ti, e de ficarem também muito colados nas laterais. No caso de um improviso, como uma entrada por dentro, a diagonal esta sempre mais longa. Nunca temos a possibilidade do tal do 'facão'.

Últimas respostas

Pedro Galleti Carvalho #2.990 @galleti em 25/07/2019 às 07:37

Agora sim! Kkkkkk

Vinicius #796 @vinicius.reboucas1 em 23/07/2019 às 08:48

" " Ato falho, estamos falando de Jupp Heynckes. Um cara ficou falando tanto do Liverpool que deve ter ficado no subconsciente. Hahahaha

Publicidade

Oilson Amorim Dos Reis #2 @reyes em 23/07/2019 às 12:29

Complicado.

Douglas Shimaz #107 @duguinha2shae em 23/07/2019 às 12:27

Quando usa meias para armar a partir da beirada, necessita de laterais fisicos que gerem amplitude e profunidade lateral

Utilizacao de meias por dentro também foi em epocas de Tite em 16

Contrataram Marlone, Marquinhos Gabriel e Giovanni (meias que tendem a afunilar jogadas por dentro) criando volume por dentro mas pouca verticalidade

Por isso necessidade de ser cirurgico quanto as caracteristicas que encaixem ou complementem..

Se vai usar apoio do lateral e ponta...ha necessidade de encaixar os movimentos dos dois...

Se ponta fica fixo na beirada, necessário que o lateral seja de apoio interior para não trafegar mesmo espaco..

Se temos lateral de forte presenca no apoio pelo flanco que busca fundo e cruzamento, o ponta (seja atacante ou meia) precisa flutuar para abrir o corredor...

Pedro Toledo #3.682 @pedro.toledo2 em 23/07/2019 às 12:22

Um uma solução sem alterar muito o time, seria colocar o Sornoza pela direita vindo pra dentro, como ele foi bem na Libertadores, e o Pedrinho pela esquerda, já que ele corta pra dentro e não finaliza, é mais fácil cortar para o fundo pra cruzar. Aí dá pra jogar com dois atacantes, Love e Boseli. E tira o Clayson do time.

Michel Prigol' #132 @corinthiano.michel em 23/07/2019 às 11:35

Qualquer 'tática', qualquer jogada já é a cópia da cópia de coisas que são feitas a décadas.

O Carille está copiando tanto quanto o Guardiola, assim como no passado já copiaram, tudo já foi testado.

Futebol velho, só tem 2 fatores:

Qualidade da equipe x entrosamento.

O resto é treinamento padrão que é dado por todos os eficientes técnicos do século XXI.

João Henrique Azevedo #337 @joao.henrique.azeved em 23/07/2019 às 11:25

Cara, sim pra dar profundidade com o avelar em campo o cara que joga do lado dele tem que ser canhoto, já o Pedrinho funciona bem com o Fagner que ultrapassa bastante.

Felipe De Moraes #128 @felipemoraes em 23/07/2019 às 11:13

Concordo.

Pra jogar com pontas com pés trocados, eles precisam ser jogadores que tenham características de atacantes, e nenhum do elenco tem.

Essa troca poderia acontecer até mesmo com o jogo em andamento, isso é um detalhe que pode parecer bobo mas pode fazer a diferença no jogo.

Outra coisa é a movimentação no ataque deveria acontecer para 'sanar' essa questão dos pés trocados, porque o time hoje é tipo pebolim/toto, todo mundo posicionado de forma estática, facilitando e muito a defesa adversária. Sem movimentação para bagunçar o sistema defensivo adversário, fica complicado você encontrar espaços para poder atacar.

Vinicius Rebouças #796 @vinicius.reboucas1 em 23/07/2019 às 08:48

Ato falho, estamos falando de Jupp Heynckes. Um cara ficou falando tanto do Liverpool que deve ter ficado no subconsciente. Hahahaha

Pedro #2990 @galleti em 23/07/2019 às 08:24

" "

Klopp no Bayern?

Mas sim, e sempre a msm coisa com Carille.

Pedro Galleti Carvalho #2.990 @galleti em 23/07/2019 às 08:24

Klopp no Bayern?

Mas sim, e sempre a msm coisa com Carille.

Vinicius #796 @vinicius.reboucas1 em 22/07/2019 às 10:20

" "

É isso. Ou faz o simples, ou mantém essa inversão treinando jogadas que terminam com finalizações dos pontas, infiltrações dos laterais e municiamento do meia posicionado atrás do centroavante. Tal qual Klopp fez no Bayern.

Vinicius Rebouças #796 @vinicius.reboucas1 em 22/07/2019 às 21:48

Danny Boy, primeira regra de fórum: Leia o tópico antes de respondê-lo.

Bale dá velocidade ao Madrid quando entra, mas em geral, corta para dentro e finaliza. Isso não é profundidade, é arrancada pelos flancos mesmo.

Lembre-se que o Madrid não joga 4-3-2-1.

Enfim, leia o tópico.

Daniel #4370 @daniel.galdino1 em 22/07/2019 às 21:07

" "

Como não existe? Bale, Neymar e tantos outros, alguns exemplos daqui, discordam. O problema é quem tá na nossa ponta ou lateral serem fracos, na direita tem mt profundidade, mas diga se h[a na esquerda