Análise é dura, mas é bem realista: precisamos apoiar!

Fórum do Corinthians
Tópico Lendário Entenda as regras

Felipe #1.918 @felipe.melo4 em 13/01/2020 às 09:09

Vamos lá, Fiel! Eu sou um grande crítico dessa diretoria e até das viajadas na maionese que a galera do fórum está aqui.

Eu vou tentar elucidar algumas coisas e espero que a gente possa, caso queiram, fazer um bate papo saudável sobre o tema.

Estruturei em tópicos:

- Corinthians e Flamengo são os únicos times do Brasil que possuem capacidade de demanda de mercado para gerar receitas de alto patamar e ditar tendências de engenharia financeira da comunidade dos demais clubes. Em palavras simples: são os únicos clubes que os patrocinadores têm real interesse, por ter maior torcida povão, espalhadas pelo Brasil e que possui poder político para qualquer coisa, inclusive implodir o Clube dos 13, como fizemos no passado.

- Corinthians e Flamengo, até 2011, não tinham pretensão de ter estádio.
Flamengo jogava no Maracanâ (público) e o Corinthians no Pacaembú (público).

- Após visita de gestores do Barcelona, Corinthians adotou o maior conselho em construir uma arena para o clube, pois as receitas seriam explosivas. Lembro desse termo que o Rosemberg usou na época: explosivas!

- Construíram uma arena em um modelo de negócio amador, sem fechar naming rights e acreditando que o apoio político do Lula seria suficiente para vender o nome para qualquer grande grupo. Muito se falou em Emirates, Ambev, Bradesco, Chevrolet...

- Estranhamente, após impeachment da Dilma e condenação do Lula, o Corinthians passou se ferrar nos acordos da Arena, expondo crises e mais crises, além de vários episódios de calote (marmita, luz, etc).

- Hoje, o Corinthians tem uma trolha de um financiamento aberracional pra pagar, em uma arena de mais de um bilhão e não temos previsão concreta de reversão disso. 'Ahh vai assinar o acordo, Odebrecht isso, aquilo', mas não se anuncia e nem se publica a transparência das contas da Arena.

- Desde a Medial em 2008, ditamos o valor de mercado de patrocínio (ESTANDO NA SÉRIE B) e na sequência, aumentamos o nosso patamar (e do Flamengo) para receita de TV.

- Hoje, não conseguimos ter fôlego financeiro para contratar ninguém de forma autônoma. Sempre precisamos de investidores (Elenko Sports, patrocinadores, antecipação da Nike)... Nosso foco desde então foi pegar refugo ou jogadores corinthianos que estavam sem contrato. Os jogadores comprados, foram sempre parcelados através de negócios estranhos.

- Nem vou comentar a incrível 'falta de habilidade de negociação' em não conseguir vender nenhum nome acima de 50 milhões. Somos campeões da Copinha direto e não vendemos nada. Não é pecado e nem errado seguir exemplo de São Paulo, Inter, Santos e agora, Flamengo (Vinícius Jr, Paquetá e Reiner deram mais grana ao Flamengo que o % de direito que o Corinthias recebeu em todas as vendas que tivemos desde 2010!).

- Palmeiras fez um modelo de arena diferente onde perde o controle da arena, mas tem total liberdade financeira. Não é prejudicado a longo prazo, desportivamente falando e, após a arena, ganharam uma Copa do Brasil e dois Brasileiros.

- Muito dos títulos vieram após aporte financeiro da Palmeirense Leila. Por que não atraímos os corinthianos da família Setúbal (Itaú) e da família Safra?

- Alias, a conta chegou para o Palmeiras que não teve boa gestão e não contratou pensando em si. Sua preocupação era sempre entrar em negociação para prejudicar os rivais em se reforçarem. Vide 2017 que tiveram oportunidade de trazer o Gil para a zaga e preferiram gastar o dinheiro com Scarpa, mesmo tendo acabado de trazer o Lucas Lima, somente pelo fato de São Paulo e Corinthians estarem no negócio. Ganhamos o Brasileiro naquele ano, Grêmio ganhou a Libertadores.

- Flamengo olhando para o modelo de negócio dos rivais paulistas, tomou por bom exemplo e não segue por nenhum caminho:

1) não construiu arena
2) vende jogador sem se envolver em trambique nem em questões emocionais
3) investe nos melhores
4) ignora teto de salário caso o business case se pague
5) aprendeu que dinheiro chama dinheiro e que título chama jogador

- Hoje, jogadores como Michael, Pedro Rocha, Pedro, Gustavo Henrique, Thiago Maia e demais preferem escolher Flamengo para jogar pelo salário e pela visibilidade. Além da esportividade. Afinal, mais vale ser campeão reserva do que titular disputando Sul-Americana.

- Corinthians AINDA TEM exatamente a mesma capacidade que o Flamengo. E aí que entra o título do tópico em que precisamos apoiar. Precisamos de basicamente três coisas:

1) TIRAR A TURMA do Sanchez. Sem eles, não há como resolvermos o imbróglio da Arena e transparecer para todos os acordos nebulosos. Além disso, são empresários de ramos 'amadores'. Feirantes, lojistas, etc... (nada contra a profissão, pelo amor de Deus!) mas precisamos de gente que conheça gestão de empresa, que tenha ocupado uma cadeira em multinacional, que entenda a responsabilidade e a dimensão de trabalhar com dinheiro que não é dele.

Precisamos de gestores que paguem 50 mil para um Piton que está começando, mas que destrave e ofereça 1,5 milhão para um craque. Qual craque viria da Europa pra ganhar 120 mil euros no Brasil? Esqueçam!

2) APOIAR O TIME INCONDICIONALMENTE. Jogadores como Pedro Henrique, Piton, Vital, Pedrinho, Vital e Janderson, além de Oya e mais uns do Sub-20, são nossas fontes de renda para elevação de patamar. Assim como o Negueba Jr, Paquetá e Reiner foram para o Flamengo. E essa valorização só com títulos ou boas atuações. PRECISAMOS APOIAR!

3) PARAR DE QUERER JOGADORES NOSTÁLGICOS OU VELHOS. Precisamos de dinheiro e gestão. Dinheiro. Gestão. Money. Management. Fato. Não podemos vender um Carlos Augusto e comprar um Dentinho que não vai dar retorno de futebol nem grana. Não podemos vender um Piton e comprar um Dedé. Não podemos manter Ralf, Jadson... Não podemos pedir Guerrero, Renato Augusto...

Com isso acontecendo, certamente chegaremos no mesmo patamar. Estaremos com grana, com gestão, com uma arena administrada decentemente e principalmente, fazendo frente para quem quiser.

O Corinthians é grande e estão apequenando ele por má gestão!

39.190 visualizações e 328 respostas neste tópico

Avaliação do tópico:

Responder tópico

José Luís Dos Santos @jose.luis.dos.santos em 14/01/2020 às 12:09

Felipe, concordo com grande parte do que foi exposto, porém, há alguns itens que precisamos avaliar melhor para um Corinthians é honrando suas tradições.

Excluir Andrez e sua tropa é tão importante como sabermos para quem apontar para administrar o clube sob uma visão profissional, não dá para jogar a administração do time na mão de oposicionistas como Tuma, Citadini e Garcias, que além de retrógrados não apresentam nenhum projeto conclusivo ao clube.

Entendo que o Corinthians precisa de uma nova roupagem na sua administração, com ideias novas e de acordo com o que o mundo dos negócios exigem atualmente senão é sair de uma máfia para ir para outra, mesmo porque o Andrez nunca foi santo né, jogou o tempo todo ao lado do Dualib e depois o abandonou, assim como quis se aproveitar do cargo de presidente num dos maiores clubes do Brasil para galgar cargos públicos.

Publicidade

Kleber Campelo Silva @kleber.campelo.silva em 14/01/2020 às 12:09

Concordo em parte, mas o maior problema é que temos um time profissional com uma gestão amadora. Como é que gastamos dinheiro com a 'promessa' DAVÓ e não temos bala na agulha para trazemos reforços 'cascudos'. Na minha opinião, dinheiro tem. Falta gestão!

Mauricio Ferraresi @mauricio.ferraresi em 14/01/2020 às 12:09

Concordo contigo! O Corinthians, infelizmente, não tem apenas amadores, mas ladrões também! O PT acabou com o Brasil e ferrou o Corinthians com esse presidente canalha e seus comparsas (Lula, Dilma, atualmente, o Vicente Cândido...)!

Eduardo Lopes De Almeida @eduardo.lopes.de.alm em 14/01/2020 às 12:07

Ótimo texto, porém não se esqueça que não somos nós torcedores que votamos para presidente (bem que poderia se mudar estatuto) são conselheiros que estão lá a anos sempre querendo morder alguma beirada da fatia do bolo...ou seja, resumindo, o doce sai e as moscas são as mesmas.

Rubens De Castro Lima Junior #9.300 @rubens.de.castro.lim em 14/01/2020 às 12:03

Nessas eleições do Corinthians não sendo ladrão Sanchez aprendiz de ladrão Duílio e os Garcia com seus jogadores acho que a máfia no Corinthians termine e teremos anos de glórias novamente mas fora ladrão Sanchez e sua turma junto com os Garcia

Rogê Bandiera @roge.bandiera em 14/01/2020 às 12:02

Ótimo texto. Defendo que a turma do Sanchez saia fora. E que o novo grupo consiga evoluir na paetê administrativa e financeira

Anisio Molim #97 @amoamolim em 14/01/2020 às 12:02

Eu comentei sobre um fato em que a torcida se espelha muito mais ao invés de tentar acabar de uma vez por todas esse modus operandi dessa quadrilha. Porque a quadrilha percebeu que isso é possível, e não se preocupa em sair do sistema, porque o sistema lhe é favorável.

Se tivéssemos articulações políticas da forma que você coloca, com toda a certeza, não haveria uma quadrilha no sistema, ela teria sido expurgada, ou, seriam outros quadrilheiros.

AQui pode se formar quadrilhas no futebol, porque pouco se tem justiça de verdade a quem lesa o patrimônio do clube.

Sendo assim, as articulações chamadas políticas, é de um viés somente, que se alinham com quem está no poder, e não em benefício do clube e sim em seus projetos pessoais.

Quantos desses vagabundos se locupletaram pessoalmente em benefícios políticos na área política brasileira?

O que você pede, todos pedem, só que você se esquece que em primeiro lugar, é preciso varrer o lixo, para depois pintar a casa.

E isso torna-se difícil, porque esses vagabundos no geral, tem como sustentar as suas ambições com torcidas organizadas que dão a eles o sustentáculo suficiente em troca de 'Verbas Carnavalescas', porque afinal, o Carnaval é a festa do povo. Isso não tem nada a ver?

Em relação as provocações de rivais, é uma coisa de botecos, de torcedores, de mídias aliadas, e não de modus operandi administrativo.

Marcos #2435 @garanha em 14/01/2020 às 11:33

" "

Isto não tem nada a ver, trata-se do velho e necessário hábito de provocar os rivais, polemizar. O que o clube precisa é de articulação política, de lideranças que agreguem, que realmente não pensem em si próprios e sim na instituição. A partir da união política, vem o mais fácil: profissionalizar, trazer executivos bem formados e experientes.

Mario Fernandes Filho @mario.fernandes.filh em 14/01/2020 às 12:00

Belíssima abordagem, concordo em tudo!

Parabéns.

João Batista De Araújo @joao.batista.de.ara6 em 14/01/2020 às 12:00

Primeiro passo e dar valor para base, colocar estas molecada para jogar mostrar o pontecia deles, que vai entrar grana mesclar jogador com a base, ai sim e parar de pegar no pé dos jogadores principalmente, dos jogadores a base

Walace So @walace.so em 14/01/2020 às 11:58

Concordo e já comentei aqui que não temos profissionalismo na gestão, pelo contrário. Além de não serem transparentes e só se aproveitarem do que significa o Corinthians e sua torcida como patrimônio.