Os grandes goleiros do Corinthians

Os grandes goleiros do Corinthians
Grandes goleiros da história corinthiana: Gylmar, Tobias, Ronaldo e Dida

São vários os ídolos do Corinthians. Junto com uma história centenária, existe uma lista com inúmeros atletas que passaram pelo clube e marcaram gerações. Rotineiramente, quando lembramos desses jogadores, os atacantes são os primeiros. Contudo, vamos quebrar o costume e contar a passagem dos que, ao invés de fazerem gols, os evitavam: os goleiros!

Valente

Até o momento, mais de 100 atletas da posição já estiveram no time, mas o primeiro a defender a meta alvinegra foi Felipe Averna Valente. O italiano participou do primeiro jogo da história, no dia 10 de setembro de 1910, contra o União Lapa. As informações disponíveis da época registram quatro jogos com o arqueiro e cinco tentos sofridos. Ele também foi um dos fundadores da equipe e esteve presente desde a segunda reunião. Inclusive, o nome dele apareceu no cargo de procurador em notícias sobre a fundação do clube, ainda em 1910.

Gylmar

Gylmar dos Santos Neves, mais de 40 anos depois, fez história no Timão e foi um dos melhores arqueiros do Brasil e do mundo de todos os tempos. Ele foi goleiro do Corinthians de 1951 a 1961, época na qual os jogadores ficavam anos vestindo uma única camisa. Depois de começar a carreira no Jabaquara, transferiu-se para o Parque São Jorge, onde se destacou e somou 396 partidas, sendo vazado 527 vezes. Foi campeão do Paulista em 1951/52 e 1954, no IV Centenário, e do Torneio Rio-São Paulo, também em 1954.

Gylmar dos Santos Neves, ex-goleiro do Corinthians

Tobias

Outro ídolo que defendeu as traves alvinegras foi José Benedito Tobias. O arqueiro foi figura importante para o título do Paulista de 1977, um dos mais emocionantes do Timão. Ele ficou no Corinthians de 1975 até 1978 e participou de grandes confrontos, como o que o consagrou na famosa Invasão do Maracanã, num jogo contra o Fluminense, em 1976. Após fechar o gol durante os 90 minutos, a disputa foi para os pênaltis e Tobias, mais uma vez, fez a sua parte. Assim, defendeu duas cobranças, uma de Rodrigues Neto e outra de Carlos Alberto Torres.

José Benedito Tobias, ex-goleiro do Corinthians

Jairo

Um dos poucos arqueiros negros a chegar à Seleção Brasileira também defendeu o Timão. Jairo do Nascimento começou sua história no Corinthians em 1977. A princípio, foi reserva de Tobias na caminhada do título do Paulista daquele ano. Em 1979, teve a oportunidade esperada e virou titular absoluto na campanha de mais uma taça estadual. O jogador defendeu as traves alvinegras em 190 partidas, tendo sofrido 146 tentos. Jairão conquistou um recorde de 1.132 minutos sem ser vazado e deixou o Parque São Jorge em 1980.

Jairo do Nascimento, ex-goleiro do Corinthians

Ronaldo

Ronaldo Soares Giovannelli foi um dos maiores ídolos alvinegros da geração de 1990. Ele defendeu a meta com muita honra e começou a brilhar já em 1988, sendo campeão do Paulista daquele ano e, depois, também em 1995 e 1997. Ainda, conquistou o Brasileiro de 1990, a Supercopa do Brasil de 1991 e a Copa do Brasil de 1995. Ao todo, participou de 602 duelos e sofreu 571 gols. Enquanto atuava, gostava de destacar suas defesas com pontes acrobáticas, que faziam a torcida enlouquecer. Ronaldo ficou no Timão até 1998.

Ronaldo Soares Giovanelli, ex-goleiro do Corinthians

Dida

Nélson de Jesus Silva, mais conhecido como Dida, foi um dos melhores defensores de pênaltis do mundo e defendeu o Corinthians. O baiano chegou ao Parque São Jorge em 1999, quando contribuiu para a conquista do tricampeonato do Brasileiro. Durante a semifinal, ficou marcado por defender dois pênaltis de Raí, ídolo do rival. Em 2000, faturou o Mundial de Clubes da FIFA. Depois de ser negociado na metade daquele ano, retornou no final de 2001. Com isso, foi campeão da Copa do Brasil e do Torneio Rio-São Paulo, ambos em 2002.

Dida, ex-goleiro do Corinthians

Cássio

Depois de tantos nomes expressivos, chegou a vez de Cássio Roberto Ramos, o atual goleiro. Apesar de ter estreado num confronto do Paulista de 2012, sua chance de ouro veio em outra competição. A Libertadores daquele ano foi um divisor de águas em seu currículo. Quando substituiu Júlio César nas oitavas de final, contra o Emelec, em Guayaquil, ele tinha disputado apenas 29 partidas como titular em sete anos de carreira. Atualmente, é o atleta com mais títulos oficiais conquistados na titularidade do Corinthians: são nove taças.

Cássio, goleiro do Corinthians

Comentários

x