Em tom de ameaça, Mano promete conversa 'olho no olho' com jogadores

Em tom de ameaça, Mano promete conversa 'olho no olho' com jogadores

Por Meu Timão

Willian disputando a bola contra o Fluminense

Willian disputando a bola contra o Fluminense

A paciência de Mano Menezes acabou. O discurso ponderado também. A postura do Corinthians no empate por 1 a 1 com o Fluminense na última quarta-feira, no Maracanã, fez o treinador conceder uma de suas entrevistas mais duras desde que chegou ao Parque São Jorge. E em tom de ameaça, ele avisou que pode até barrar alguns titulares caso a falta de ambição permaneça.

O treinador apontou displicência de alguns jogadores (inclusive na comemoração do gol), imaturidade e mandou um recado: a temporada ainda não acabou, embora ele mesmo já tenha desistido do título brasileiro. Mano avisou que terá uma conversa com o elenco para avisar que quem estiver pensando na Libertadores do ano que vem perderá espaço.

"Não tem nada de 2010. Estamos em 2009 e recebendo em 2009. Se alguém estiver pensando em 2010, vamos deixar o salário para o ano que vem, pois no dia 30 de todo mês, todos passam para receber seu salário em dia", disparou.

"Aqueles que estiverem pensando em 2010 vão jogar só em 2010. Vou colocar os que estão pensando em 2009, é simples. É isso que vou fazer", emendou o comandante.

A reunião com a provável bronca pode acontecer nesta quinta-feira, quando o elenco se reapresenta no Parque São Jorge. "Vou conversar olho no olho, é o que sempre funciona." Mano começou a mostrar nos últimos dias sua crescente insatisfação com a equipe. O bom humor perdeu força e deu lugar a feições mais sisudas. Na última quarta, aconteceu a gota d'água.

"Na rodada passada, jogamos menos que o Atlético-PR [derrota por 3 a 1], era outra questão, enfrentamos dificuldades táticas. Hoje [quarta] não. Desde o início a gente controlou o jogo e é preciso transformar isso em gol. Se o time não ganhar a partida quando é superior, vai ganhar quando?", argumentou.

Na última terça-feira, Mano assumiu sua parcela de culpa pela queda do time, referindo-se à dificuldade em encontrar uma nova formação tática desde que o elenco passou por reformulação depois do título da Copa do Brasil. No entanto, diante de um melhor posicionamento contra o Flu, o treinador adiantou que voltará a cobrar mais do time.

Ele havia diminuído a pressão sobre os atletas após as conquistas do primeiro semestre (o Corinthians também foi campeão paulista invicto). "É preciso ter maturidade nessa hora. Um grupo que já foi vencedor tem competência e 90% dos jogadores ainda estão aqui, não perdemos qualidade."

O treinador terá dois dias para mexer com o brio do elenco. No próximo sábado, às 16h10, o Corinthians volta a campo para enfrentar o Grêmio, no Pacaembu, pela 29ª rodada. A equipe alvinegra está em décimo lugar, com 39 pontos.

Fonte: UOL

Veja Mais:

  • Marquinhos Gabriel é aposta do Corinthians para triunfar em território hostil. Vale a aposta?

    Contra o Racing, Corinthians decide classificação às quartas da Sul-Americana

    ver detalhes
  • Fachada do estádio, no alto, com imagens de ídolos e os anos de glórias

    Estádio do rival do Corinthians cultua e respeita a história de quem fez história pelo clube

    ver detalhes
  • Carille conduziu trabalho do Timão no estádio Presidente Perón

    Carille explica mudanças no Corinthians e pede 'jogo inteligente' por vaga

    ver detalhes
  • Jô falou com a imprensa nesta terça-feira já na Argentina

    Jô admite toque no braço, nega trapaça e abre o jogo sobre polêmica no Corinthians

    ver detalhes

Quem o Mano Menezes poderia colocar no banco de reservas?

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes