MP questiona Governo se haverá uso de grana pública no Fielzão

MP questiona Governo se haverá uso de grana pública no Fielzão

O Ministério Público questionou o governo e a Prefeitura de São Paulo sobre se haverá ou não uso de dinheiro público nas obras do estádio do Corinthians e em seu entorno. Os ofícios foram enviados há duas semanas, e a prefeitura acusou o recebimento no dia 1º de fevereiro. Porém até o momento não houve resposta.

A informação é da coluna Painel FC, assinada por Bernardo Itri e Eduardo Ohata e publicada na edição desta sexta-feira na Folha. A íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL.

No Ministério Público questiona-se a indicação de Gilberto Kassab de que tudo está bem encaminhado. Autoridades acrescentam que, se a prefeitura não responde a uma simples questão, então é impossível o tema estar resolvido com o Ministério Público.

De acordo com a coluna, as autoridades lembram que um dos mantras do prefeito e do governador no que toca o estádio corintiano para a Copa é o de que não haverá dinheiro público na arena. Assim, uma resposta oficial já estaria pronta, não havendo motivos para morosidade.

No Ministério Público, o estádio de Itaquera é tratado ainda como possibilidade, não como fato.

Fonte: Folha

Enviado por: Will2S

Veja Mais:

  • Arena Corinthians ganhará grama nova a partir deste domingo

    Lições em Old Trafford e tapete da Premier League: especialista explica troca da grama da Arena

    ver detalhes
  • Carille acredita em crescimento de Marquinhos Gabriel na próxima temporada

    Após sondagens, Corinthians e Marquinhos Gabriel negam possibilidade de empréstimo para 2018

    ver detalhes
  • Alan Mineiro tem contrato com o Corinthians até o fim de 2018

    Após impasse, meia do Corinthians é anunciado como reforço do Fortaleza

    ver detalhes
  • Corinthians foi bicampeão mundial em 2012, diante do Chelsea, no Japão

    Grêmio cai, e Corinthians segue sendo último sul-americano campeão do Mundial da Fifa

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes