Timão aprendendo com o passado

Timão aprendendo com o passado

Por Meu Timão

988 visualizações 0 comentários Comunicar erro

O Corinthians ainda não assinou o contrato com a Odebrecht para a construção de seu estádio. A notícia, porém, não deve ser encarada como uma lástima, tampouco como uma ameaça à construção do Fielzão. Foi a diretoria alvinegra quem decidiu adiar a assinatura até que todas as licenças estejam nas mãos e as obras possam começar.
Algo que o Timão aprendeu com a arena do Palmeiras. O contrato com a WTorre, aprovado em julho de 2008, previa a entrega do estádio alviverde em dezembro de 2010. No embalo do negócio, o Verdão assinou o contrato antes mesmo de as burocráticas licenças serem aprovadas.

Quem mais perdeu com a assinatura precoce do contrato foi o próprio Palmeiras, que ficou sem estádio e amarrado à WTorre durante todo esse tempo - a nova data de entrega da arena é abril de 2013.

Já o Corinthians tem um pré-contrato firmado com a Odebrecht e espera confirmar o vínculo em no máximo 15 dias. Resta a aprovação de poucas licenças, mantidas em sigilo. Tão logo elas tenham sido obtidas, Andrés Sanchez fará a assinatura, com direito à festa e muita pompa.

Fonte: Diário de São Paulo

Veja Mais:

  • Resta apenas o acerto dos jogadores com seus novos clubes para selar o negócio

    Corinthians e Atlético-MG se acertam por troca de atacantes; jogadores aceitam conversar

    ver detalhes
  • Uendel pode acertar retorno para o Corinthians em breve

    Empresário confirma que Corinthians deve acertar retorno de Uendel em janeiro

    ver detalhes
  • Ramiro assinou com o Corinthians nesta quinta-feira e é o quinto reforço para 2019

    Novo reforço do Corinthians, Ramiro se aproxima de Jadson e Luan em estatísticas do Brasileirão

    ver detalhes
  • Corinthians jogou boa parte da temporada sem estampa no espaço principal do uniforme

    Otimismo do Corinthians com patrocínio contrasta com fracasso inédito desde era Kalunga

    ver detalhes

Imagine se é o Timão que faz um contrato igual ao do guarani da capital. Será que falariam pouco?

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes