Previsibilidade

Previsibilidade

Previsibilidade.

Para aqueles que acompanham os discursos do técnico Tite no Corinthians essa palavra pode não parecer errada ou estranha, pelo contrário, resume bastante o que é o time nesta atual fase.

O Corinthians tem um bom elenco, isso ninguém discute. Um elenco caro e bastante inflado, muitos jogadores para diversas vagas. É de se esperar que quando um jogador entre no jogo ele seja capaz de mudar algo, fazer diferente, como quando o Elias entrou na seleção no jogo da última segunda-feira contra Gana (05/09/2011). No Corinthians são raros estes momentos de “inspiração” vindos do banco de reserva (esses momentos acontecem as vezes, é claro).

Fazer alterações hoje no Corinthians é trocar o seis pelo meia dúzia porque a forma de jogar não muda. O time entra de um jeito e sai do mesmo jeito. Assim foi contra o Figueirense e contra o Coritiba nos últimos jogos, por exemplo. São apenas duas partidas que estou dando como base, mas poderiam ser muitas outras. E o que o Corinthians precisa mudar para ser novamente imprevisível?

Além das táticas de jogo, que todo mundo já cansou de falar, o Alvinegro de Parque São Jorge precisa de fundamentos. Sim, fundamentos básicos. Treinar mais escanteios e cobranças de falta ensaiadas. Sair tocando mais a bola. Temos o melhor meio de campo do campeonato, e não é à toa. Temos qualidade no passe, no domínio, na devolução da bola, não precisamos ligar a defesa e o ataque com chutões já que nem sempre recuperamos a segunda bola. Na saída de bola é fazer o que fizemos no início do campeonato, com frieza sair tocando e chegar com a bola dominada no ataque e entrar com ela na área. Evitar alçar bolas na área e repito novamente o porquê, o Corinthians não tem bons cabeçeadores, homens de presença de área. Não, o Timão tem um ataque veloz que sabe chegar com tabelinhas e com a bola dominada, então, voltemos ao básico dos treinos de escolinha:

- Treinar cruzamentos rasteiros para trás para o jogador chegar chutando ao gol;
- Na linha de fundo chutar forte na direção do gol, isso quase sempre dá em uma situação interessante como rebote ou gol;
- Cobrar escanteios ensaiados (visto que muitos hoje saem à meia altura e totalmente sem direção)
- Nas faltas distantes chutar com força em direção do gol e esperar um desvio ou rebote.
- Não cobrar tiros de meta, tocar para o zagueiro sair jogando, é muito mais trabalhoso recuperar a segunda bola.

O Corinthians precisa hoje jogar com a cabeça, como estava fazendo no início do campeonato, calmo, sereno, com a bola no pé esperando o momento, a brecha para atacar e marcar. Precisa inovar, não com passes de calcanhar, mas com jogadas inteligentes e trabalhadas, como algumas que o Danilo nos proporcionou no início da primeira fase.

Enfim, é apenas um desabafo de um torcedor que quer ver um Corinthians diferente. Um time que precisa voltar a ser guerreiro, briguento e inteligente para encontrar novamente o caminho das vitórias. A liderança constante acomodou o time, mas encostaram de novo, não podemos entregar também este campeonato.

Fonte: Chute sem Pulo

Enviado por: Juarez Turrini

Veja Mais:

  • Paulo Roberto e Danilo treinaram com bola nesta terça e estão à disposição para pegar Grêmio

    Volta de Paulo Roberto, susto de Pedrinho e possível escalação: o treino do Corinthians

    ver detalhes
  • Corinthians/Audax fez nova vítima da Libertadores feminina: Santa Fe

    Corinthians/Audax vence 'bicho papão' e se classifica com melhor campanha da Libertadores feminina

    ver detalhes
  • Em reedição da final de 2016, Corinthians e Sorocaba se enfrentam pelo título da LPF

    De virada, Corinthians/Unip vence Sorocaba e sai na frente na final da Liga Paulista

    ver detalhes
  • Gabriel está de volta ao Corinthians após cumprir suspensão

    Trio volta, e Corinthians relaciona 24 jogadores para enfrentar Grêmio; veja lista

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes