Com Rincón, Gamarra põe pés no Parque São Jorge 12 anos depois

Com Rincón, Gamarra põe pés no Parque São Jorge 12 anos depois

Por Meu Timão

547 visualizações 0 comentários Comunicar erro

O ex-jogador Gamarra voltou a colocar seus pés no Parque São Jorge na manhã deste sábado depois de 12 anos de sua saída do Corinthians. Ao lado do colombiano Rincón, com quem jogou até 1999, e diante de cerca de 100 torcedores alvinegros, o paraguaio foi o homenageado do mês na Calçada da Fama do memorial do clube.

Surpreendido por convite feito por meio e-mail do departamento de cultura do Corinthians, o capitão do título brasileiro de 98 não hesitou em retornar ao Brasil. 'É uma honra voltar a pisar aqui, voltar para minha casa. Foi uma grata surpresa, porque depois de sair eu nunca mais estive no Parque. Estou muito feliz de me juntar a todas essas feras (na calçada) que passaram pelo Corinthians', disse o paraguaio, aposentado dos campos desde 2008 e hoje gerente de futebol do Rubio Ñu, da primeira divisão de seu país.

Gamarra foi contratado pelo Corinthians junto ao Benfica em 98 na condição de, segundo muitos, o melhor zagueiro do mundo na época. No mesmo ano, esteve entre os melhores defensores da Copa do Mundo da França, não tendo cometido nem uma falta sequer durante toda ao torneio. Com a camisa 4 alvinegra e a braçadeira de capitão, o paraguaio disputou 80 jogos, marcou sete gols e ergueu duas taças: a do Campeonato Brasileiro e, em 99, a do Paulista.

Já Rincón, que deixou a marca de seus pés no memorial logo depois do amigo e ex-colega de elenco, não estava tão distante do Corinthians, em que teve quatro conquistas (Brasileiros de 98 e 99, Paulista de 99 e Mundial de Clubes de 2000). No início deste ano, já exercendo função de treinador, foi demitido do comando do time sub-23 corintiano, que representava o Flamengo de Guarulhos na Série A-3 do Campeonato Paulista. Apesar de não se esquecer das críticas que fez à gestão das categorias de base do clube, ele se emocionou pela homenagem recebida.

'Não sou muito de chorar, mas por dentro eu choro', brincou o ex-volante, assim que ouviu a narração do gol que marcou diante do Al-Nasser durante o Mundial, no Morumbi. 'Na rua, o pessoal me identifica como o Rincón do Corinthians. Em todos os clubes que joguei fui muito feliz, mas minha identificação maior é com o Corinthians, sem dúvida. Eu sou corintiano', emendou.

Os ídolos receberam as honras da casa através do diretor de finanças do clube, Raul Corrêa da Silva, e também de Mário Gobbi, ex-diretor de futebol e nome da situação para as eleições de fevereiro de 2012. O candidato à presidência até discursou para os ex-jogadores e a torcida.

Fonte: Gazeta Esportiva

Veja Mais:

  • Clayson, Luan, Sornoza, Marciel e Matheus Matias: confira o vaivém no Corinthians neste fim de 2018

    Corinthians no mercado da bola: saiba quem chega, quem sai e quem negocia com o Timão para 2019

    ver detalhes
  • Boa parte da grana deixada pelo torcedor na Arena Corinthians não vai para o Fundo

    Despesas levam R$ 15,5 mi da bilheteria do Corinthians em 2018; veja levantamento do Meu Timão

    ver detalhes
  • Torcida do Corinthians deposita altas doses de esperança no retorno de Carille

    Torcida do Corinthians coloca retorno do Carille no topo dos assuntos mais comentados do Brasil

    ver detalhes
  • Uendel, um dos alvos do Corinthians, tem 30 anos; 11 a mais que o atual titular Carlos Augusto

    Corinthians aumenta 'filtro de idade' em buscas indicadas por Carille no mercado da bola

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes