Tite curte boa fase com palavrão 'doce', releva atrasados e recebe até presente dos EUA

Tite curte boa fase com palavrão 'doce', releva atrasados e recebe até presente dos EUA

Por Meu Timão

Tite está de bem com a vida. Sorri mais do que reclama, ironiza as dificuldades que teve no Corinthians, brinca com os adjetivos e clichês da vida de treinador de futebol. Não encontra espaço para respostas atravessadas, pelo contrário, curte os momentos que antecedem um possível título inédito e até se controla para não soar eufórico demais. Aceita as vaias que surgem de tempo em tempo, administra a pressão, admite que o momento é de holofotes para cada passo em campo, cada gesto ou reação. Se preocupa para não transmitir arrogância, mas também assume o protagonismo e não vira as costas ao tamanho e à importância dos fatos.

'P... q.. p...., que campanha', desabafa ao ser lembrado das tantas rodadas do Corinthians na liderança do Campeonato Brasileiro, dos tantos clubes que ainda correm contra o rebaixamento, da outra porção que sonha com uma vaga na Libertadores e de outros vários que convivem com o marasmo no meio da tabela. 'Que palavrão mais doce, Tite', questiona um jornalista na sala de imprensa do Centro de Treinamento Joaquim Grava, na última entrevista coletiva de Tite antes do jogo que pode garantir o título brasileiro para o clube paulista. 'Demonstra certeza de título?', é a pergunta. Silêncio. Tite pensa, encara as câmeras, fita o microfone. 'Tomara que teu 'feeling' esteja correto. E que a gente tenha merecimento, merecimento, me-re-ci-men-to', repete, pausadamente, como num ensaio para preleção em Florianópolis, a menos de 48 horas dali.

E o que às vezes parece uma verdadeira sabatina flui como um bate-papo de Tite com quem o acompanhou por todo o ano. Uma temporada cheia, fato raro no futebol brasileiro e inédito para a carreira do gaúcho no futebol paulista. Campeão por Caxias, Grêmio e Internacional, o treinador celebra o primeiro trabalho completo em São Paulo, com estabilidade para pré-temporada, estadual e brasileiro que não teve na primeira passagem no Parque São Jorge, nem no Palmeiras ou São Caetano. E aceita todas as atenções, assume as responsabilidades.

Tite sabe que está sendo filmado passo a passo. 'Aquele momento sozinho no campo acontece sempre, mas agora estão reparando mais'. A mão no rosto demonstrou um momento de concentração? 'Não, é que minha família disse 'pai, não vai para o treino sem passar protetor solar', e estava ardendo meu olho'. Tite no controle da situação. E daria para escolher um jogo emblemático da campanha? 'Sim'. Mais silêncio. Qual? 'Figueirense. O próximo', despista, mais uma vez, rindo pelos dois pontos na liderança, pelo gol do quase esquecido Ramírez, pelo ressurgimento de Adriano, por não ter ninguém suspenso ou lesionado para o próximo jogo e por ver as vaias virarem apoio das arquibancadas e das ruas.

'Eu acho que estão dando um foco maior para duas ou três vaias que todo técnico recebe e eu recebi. Mas recebi muito mais em outros clubes', destaca. 'Agora é incentivo, você passa pelo torcedor na rua e é apoiado. Recebi até um livro de um torcedor do Corinthians que mora nos Estados Unidos e agradeceu, falou do orgulho que está da equipe'. Bons tempos, bons ares. Tite, de fato, parece blindado de qualquer crise que possa afetar os últimos instantes da jornada de 38 jogos de 90 minutos. 'O Emerson saiu de casa 14h45, pegou trânsito, chegou atrasado, vai ser multado pela caixinha. Assim como o Jorge [Henrique]'. Dois jogadores atrasados a dois dias do jogo e o comandante não deixa transparecer nenhum sinal de descompromisso. Trata como situação mais normal e aceitável do mundo.

O Corinthians entra em campo diante do Figueirense às 17h de domingo e Tite não faz questão de esconder a ansiedade. Tropeça nas contas, mas não se preocupa. 'Um empate pode ser bom desde que o Vasco... Não, um empate não adianta. É, temos de vencer para antecipar a conquista'. Minimiza a foto do título, a preparação da festa. 'Seria bom se pudesse ter 11 jogadores no banco. Seria bom também se a gente levasse todo mundo para Florianópolis, mas sendo campeão a gente volta, se abraça e comemora aqui'. E conta os minutos para a bola rolar, finalmente. 'Por mim jogava agora'. Daqui a pouco, Tite.

Fonte: ESPN

Veja Mais:

  • Dupla 'Renadson' brilhou no Corinthians no Brasileirão de 2015

    Renato Augusto rasga elogios a Jadson e faz projeção sobre futuro do camisa 10 no Corinthians

    ver detalhes
  • Romarinho se especializou em marcar gols contra o Palmeiras: cinco em cinco Dérbis

    Prestes a enfrentar Real Madrid, Romarinho leva Corinthians ao maior jornal da Espanha

    ver detalhes
  • Luidy teve chance de treinar no CT do Corinthians nos primeiros meses deste ano

    Atacante emprestado pelo Corinthians é avisado que não terá espaço no clube em 2018

    ver detalhes
  • Marciel e Jô despertam interesse de times brasileiro e alemão; Juninho, Scarpa e Tréllez podem chegar

    Mercado agitado! Veja quem pode deixar e reforçar o Corinthians no resumão do Meu Timão

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes