Tite pede pede um Timão em alta voltagem para saciar a obsessão pela Libertadores

Tite pede pede um Timão em alta voltagem para saciar a obsessão pela Libertadores

Não há como esconder: a Libertadores é a obsessão corintiana na temporada. No entanto, há como minimizar a pressão para a conquista da América. Com tal pensamento, Tite aconselha seus jogadores trocarem a preocupação por mais ‘tesão’ para a disputa do torneio sul-americano, que começa para os alvinegros apenas no dia 15 de fevereiro, contra o Deportivo Táchira, em São Cristóbal, na Venezuela.

'A Libertadores tem que ser vista com o tesão que o time teve no Brasileiro, mas não como obsessão, não com a pressão de que não posso errar', destacou o técnico corintiano.

Um dos pontos mais problemáticos do Corinthians nas disputas da qual participou na Libertadores é a pressão pelo fato do clube nunca ter conquistado o título do torneio. Pela sua experiência, Tite, que estará pela oitava vez no comando de uma equipe na competição, vê uma maneira de seus jogadores sentirem menos o aspecto, que pode ser muito negativo.

'O nível técnico de uma Libertadores não é superior ao de um Brasileiro. Tem Vasco, Fluminense, Flamengo, Santos, Internacional. Tem de jogar na Bombonera (estádio do Boca Juniors) e não sentir. Se tiver que jogar com o Estudiantes fora, tem de encarar dessa forma também', ponderou Tite, que preferiu, ontem, ao longo de sua entrevista coletiva de mais de 40 minutos, desviar o foco do torneio continental.

Para não caracterizar o foco do time apenas na competição tão sonhada pelo torcedor, Tite enfatizou que o Paulistão não será descartado. 'A primeira busca é pela retomada de ritmo. Uma competição fica ligada à outra. Não consigo dizer: agora prepara, agora desliga a tomada, futebol não é assim. Nossa prioridade é de dar intensidade alta aos trabalhos e colocar a voltagem máxima para readquirir ritmo', garantiu.

Tite analisa adversários de seu grupo da Libertadores

No Grupo 6 da Libertadores, o Timão encarará Cruz Azul-MEX, Deportivo Táchira-VEN e Nacional-PAR. Observando os rivais, Tite avalia a dificuldade que o Timão enfrentará no torneio e não esconde sua leve superioridade.

'O Cruz Azul já tem tradição (na Libertadores), o futebol venezuelano vem crescendo e o Nacional não é conhecido, mas eu respeito', comentou e, por fim, destacou equipes que apontam como possíveis favoritas na competição sul-americana, pela certa tradição que tem em competições continentais. 'Talvez, seja minha oitava Libertadores, fora Sul-Americana, enfrentando Boca, Chivas, Estudiantes. É cedo pra falar qual é a grande equipe', concluiu.

Fonte: Marca Brasil

Veja Mais:

  • Rodriguinho foi um dos destaques do duelo na Arena; arbitragem bastante questionável

    Juiz 'esquece' pênaltis, Corinthians para na retranca do Vitória e perde a primeira no Brasileirão

    ver detalhes
  • Jô teve atuação discreta na derrota para Vitória

    Cássio é eleito destaque de derrota do Corinthians; quarteto ofensivo destoa

    ver detalhes
  • Arena Corinthians recebeu 42.075 pagantes nesta tarde de sábado

    Fiel canta na Arena após primeira derrota do Corinthians no Brasileirão

    ver detalhes
  • Balbuena está fora do confronto de quarta-feira

    Balbuena leva terceiro amarelo, e Corinthians enfrentará Chape com zaga de jovens da base

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes