Bola parada ressurge como arma do Corinthians

Bola parada ressurge como arma do Corinthians

338 visualizações 0 comentários Comunicar erro

São Paulo - Todos sabem que a bola parada pode decidir uma partida. Então, nada melhor do que treinar e ensaiar jogadas para aprimorar e surpreender os adversários. E os trabalhos constantes do técnico Tite estão dando resultado. Dos últimos seis gols marcados pelo ataque corintiano, cinco surgiram deste tipo de jogada. Três em cobranças de faltas, um de escanteio e um de pênalti.

Diante do Palmeiras, os dois gols surgiram após cobrança de falta de Jorge Henrique. Na primeira, Paulinho pegou rebote de um cabeceio de Liedson. Na segunda, Márcio Araújo fez contra ao evitar que a bola chegasse no Levezinho. Contra o Cruz Azul-MEX, na quarta-feira, Danilo já havia aproveitado cobrança de falta de Alex para marcar. Na partida anterior, quando o Timão empatou por 3 a 3 com o Comercial, Emerson fez de pênalti e Gilsinho fez de cabeça após cobrança de escanteio de Vitor Júnior. Só Ramon marcou em uma jogada normal.

A eficiência na bola parada cresceu nas últimas rodadas. Até então, o Corinthians havia marcado um gol de pênalti, dois em cobranças de faltas e dois em escanteios. Números que alcançou em apenas três jogos.

Curiosamente, Chicão, Alex e Jorge Henrique, os homens responsáveis pelas cobranças, não conseguiram marcar em batidas diretas. Todos os gols surgiram de jogadas ensaiadas ou movimentações. Mérito para o trabalho de Tite, que após as atividades chega a treinar cruzamentos por quase 30 minutos.

Antes do clássico, o próprio zagueiro Chicão reconheceu que os batedores estão em busca de um golzinho. 'Temos treinado bastante. Infelizmente, não está entrando. Teve um jogo que cheguei perto, que a bola bateu na trave (contra o Catanduvense). O Alex está batendo bem. Não vamos desistir', ressaltou o camisa 3 do Timão.

A seca do zagueiro, em cobranças de falta, já está perto de completar dois anos. O último gol foi diante do Fluminense, em 23 de maio de 2010. Já o jejum de Alex é menor. O camisa 12 marcou contra o Inter, em 24 de outubro do ano passado, e soma 155 dias sem marcar. Até de pênalti o meia não anda bem. Contra o Catanduvense, ele carimbou a trave esquerda.

Fonte: Marca Brasil

Veja Mais:

  • Rodriguinho comemora golaço na Arena Corinthians

    Com golaço e até 'nó tático', Corinthians detona Palmeiras e vence primeiro Dérbi de 2018

    ver detalhes
  • Abraçado pelo elenco na foto, Rodriguinho também ganhou carinho da Fiel no Notas da Torcida

    Rodriguinho brilha em campo e Carille fora: Fiel elege craques do Corinthians no Dérbi

    ver detalhes
  • Fábio Carille estreou novo esquema tático na vitória do Corinthians sobre o Palmeiras

    Carille admite 'passinho pra trás', festeja novo esquema, mas cogita mudança na estreia da Liberta

    ver detalhes
  • Lance que originou a expulsão de Jaílson deixou um corte na perna do volante do Corinthians

    'Tá aí a prova': Sangrando, Renê Júnior mostra corte que resultou em pênalti e expulsão

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes