Fanático pelo Timão, Lorena diz ser ruim de bola e revela ídolo: Edmundo

Fanático pelo Timão, Lorena diz ser ruim de bola e revela ídolo: Edmundo

3.2 mil visualizações 18 comentários Comunicar erro

Destaque na Superliga de vôlei, Lorena é corintiano fanático

Destaque na Superliga de vôlei, Lorena é corintiano fanático

Lorena é daqueles torcedores loucos. Corintiano fanático, vai ao estádio, xinga e comemora os feitos do time, campeão da Libertadores e do Mundial no ano passado. Mas, na hora de se inspirar em um jogador de futebol, leva como referência um craque que teve passagem apagada pelo time alvinegro e brilhou no maior rival. Conhecido pelo temperamento explosivo, o oposto do Sesi-SP diz que sempre gostou de ver o atacante Edmundo, ídolo do Palmeiras.


- Eu gosto de ver jogos de futebol e adorava ver o Edmundo jogar. Nunca foi um bom exemplo, mas eu adorava porque era muito bom de bola e não sabia o que ia acontecer. Eu ficava imaginando: “Será que ele vai dar um drible no cara, será que vai ser expulso?”. Ele era um personagem que mexia com as pessoas. Eu não sei se é o meu caso, mas gosto dessas coisas no esporte, de pessoas que chamam o público – disse o oposto, lembrando do atacante que passou pelo Corinthians em 1996, mas que brilhou mesmo pelo Palmeiras, com dois títulos brasileiros, em 1993 e 1994.


Apesar do fanatismo pelo futebol, Lorena admite nunca ter tido muita qualidade nos gramados. Chegou a tentar a sorte com a bola no pé, mas desistiu quando o mandaram para debaixo das traves.


- Eu tentei, mas era ruim demais. Comecei como atacante, mas foram me jogando para o meio, para a lateral. Quando vi, já estava na defesa. Queriam me colocar no gol, mas eu não deixei. No gol, não (risos). Meu pai joga bem para caramba, meus tios também. Eu era encrenqueiro (risos). Ainda brinco um pouco, mas não sou bom, não - disse.
Sempre que pode, Lorena vai aos jogos do Corinthians. Foi assim durante a campanha da equipe na conquista da Libertadores. Mas o oposto afirma que, mais do que o time, vai ao estádio para ver a torcida.


- Quando tenho oportunidade, gosto de ir. Na Libertadores eu fui bastante. O Andrés (Sanches, ex-presidente do clube) é meu amigo, então fui a muitos jogos. O Corinthians é engraçado pela energia que vem de fora do campo. É uma equipe que você vai mais para ver a torcida, e não o time. É uma coisa doida, que só corintiano sente.


Mesmo sem jogar futebol, Lorena se imagina dentro de campo. Com seu jeito explosivo, pensa em como comemoraria um gol diante da torcida.


-Se eu fosse jogador de futebol e fizesse um gol, ia tirar a camisa, o short e ficar rodando para a torcida. A emoção deve ser uma coisa de louco. Jogando vôlei eu já fico maluco, tem hora que nem sei o que faço. Futebol é coisa de maluco - brincou.


Lorena tem sido um dos destaques do Sesi-SP na Superliga. A equipe paulista, que começou a temporada com quatro derrotas seguidas, se recuperou e agora ocupa o terceiro lugar, atrás de Rio de Janeiro e Cruzeiro.

Fonte: Globo Esporte

Veja Mais:

  • Clayson, Luan, Sornoza, Marciel e Matheus Matias: confira o vaivém no Corinthians neste fim de 2018

    Corinthians no mercado da bola: saiba quem chega, quem sai e quem negocia com o Timão para 2019

    ver detalhes
  • Boa parte da grana deixada pelo torcedor na Arena Corinthians não vai para o Fundo

    Despesas levam R$ 15,5 mi da bilheteria do Corinthians em 2018; veja levantamento do Meu Timão

    ver detalhes
  • Torcida do Corinthians deposita altas doses de esperança no retorno de Carille

    Torcida do Corinthians coloca retorno do Carille no topo dos assuntos mais comentados do Brasil

    ver detalhes
  • Uendel, um dos alvos do Corinthians, tem 30 anos; 11 a mais que o atual titular Carlos Augusto

    Corinthians aumenta 'filtro de idade' em buscas indicadas por Carille no mercado da bola

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes