Ex-lateral Rogério aposta em vitória do Corinthians sobre o Palmeiras

Ex-lateral Rogério aposta em vitória do Corinthians sobre o Palmeiras

Ex-lateral Rogério aposta em vitória do Corinthians sobre o Palmeiras

Ex-lateral Rogério aposta em vitória do Corinthians sobre o Palmeiras

Fábio Shimab

Rogério atuou como lateral-direito e volante no Palmeiras e no Corinthians. No Palestra Itália colecionou os títulos de Campeão Paulista (96), Mercosul, Copa do Brasil (98), Libertadores (99) e  Rio-São Paulo (2000). Pela equipe do Parque São Jorge, foi campeão Paulista (2001, 2003), do Rio-São Paulo e da Copa do Brasil (2002).

Apesar do passado vitorioso nos dois times, o ex-jogador não titubeou em apontar o Corinthians como favorito no clássico e explicou a sua escolha.  'Pelo momento, o Corinthians, porque não jogou na semana e leva uma pequena vantagem. O Palmeiras vem de uma grande turbulência!?, disse em entrevista exclusiva ao Portal da Band.

Para Rogério, o time de Gilson Kleina ficou enfraquecido com as saídas de Barcos e Marcos Assunção. 'O Palmeiras perde muito sem eles, que vinham decidindo as partidas?, lembrou. 

O atual treinador da Sub-20 do Grêmio Osasco acredita que Emerson Sheik e Guerrero podem desequilibrar a partida no clássico para os corintianos e preferiu não apontar ninguém do outro lado.

Confira a entrevista:

Portal da Band: Quem leva a melhor nesse clássico de domingo no Pacaembu?
Rogério: Pelo momento, o Corinthians, porque não jogou na semana e leva uma pequena vantagem. O Palmeiras vem de uma grande turbulência. Mas em campo, num clássico de grande porte como esse tudo pode acontecer.

Portal da Band: Para quem você vai torcer?
Rogério: Não estou torcendo pra nenhum time e sim para um bom futebol, que a torcida possa acompanhar um grande jogo, sem violência, tanto por parte dos jogadores como também entre os torcedores.

Portal da Band: Quem pode fazer a diferença no clássico?
Rogério:
No Palmeiras, depois da saída do Barcos, que poderia decidir uma partida, poucos jogadores eu conheço. O Corinthians manteve o seu elenco campeão mundial e da Libertadores. O Emerson Sheik e o Guerrero são sérios candidatos.

Portal da Band: O Palmeiras enfraqueceu muito com a saída do Barcos? Conhece os reforços que vieram do Grêmio
Rogério:
Perdeu muito com saída dele e também do Marcos Assunção, que vinha decidindo nas bolas paradas. Agora, quanto aos reforços que vieram da troca com o Barcos, não posso opinar, porque conheço poucos jogadores. É difícil acompanhar os jogos do Sul.

Portal da Band: Qual foi o momento marcante pelo Palmeiras e Corinthians no clássico?
Rogério:
Pelo Palmeiras foi na Libertadores, no segundo jogo. Foi mais marcante e emocionante, porque o Galeano fez nos minutos finais, no lugar aonde ninguém imaginava, e fez gol de joelho. Conseguimos virar, uma vez que o Corinthians tinha vantagem. Levamos a decisão para os pênaltis e ganhamos. Jogando pelo Corinthians foi no primeiro clássico, em 2002, pela forma como saí (em litígio).

Portal da Band: Quem foi melhor na lateral: Rogério, Alessandro ou Weldinho?
Rogério:
Fazer comparação é difícil. Cada um marcou sua história e eu me identifique bastante com os dois clubes, realizando grandes conquistas.

Portal da Band: Você está como técnico da Sub-20 do Osasco. Como está sendo pra você essa nova profissão?
Rogério:
Não tem segredo. Tem que falar a língua dos jogadores. Foram 20 anos atuando dentro do campo como jogador. Comecei no ano passado depois que abandonei minha carreira no Grêmio Osasco, depois fui auxiliar no profissional na Copa Paulista. Depois fui técnico da Sub-20 na Copa São Paulo deste ano quando fomos eliminados pelo Santos nos pênaltis. Espero que possa ter sucesso assim como tive na minha carreira de jogador.

Portal da Band: Como está sendo trabalhar junto com ex-companheiros como Viola, Índio, Vampeta, Yamada?
Rogério:
Além da parte profissional, tem a parte de amizade. Formamos uma família aqui em Osasco. Um foi puxando o outro. Eu cheguei primeiro e trouxe o Vampeta. Depois chegou o Yamada. No fim do ano, eu e o Vampeta atuamos no União de Operário. Jogamos contra o Master do Corinthians  e conversamos com o Índio, que pensava em jogar futebol, e no Viola. Vem dando resultado, tanto que estamos em primeiro lugar na Série A-2 do Paulistão. O Viola, apesar da idade, vem treinando com muita disposição e é bastante dedicado aos treinos. Tenho a certeza que vamos colher os frutos.

Portal da Band: Quer dizer que foi você quem trouxe o Vampeta para o Grêmio Osasco?
Rogério:
Sim. Estávamos indo enfrentar os juniores do Corinthians, ex-time de Vampeta. Conversamos sobre a possibilidade de ele trocar de clube e aceitou.

Portal da Band: Hoje o Vampeta é da diretoria. Como é encará-lo como dirigente?
Rogério:
  O Vampeta é rígido pra caramba por incrível que pareça. Tem seus momentos de descontração, mas tem horas que fala bem sério, cobra. Ele é um excelente dirigente e vem muito bem comandando a equipe.

Fonte: Terceiro Tempo

Veja Mais:

  • Farfán foi companheiro de Guerrero na seleção do Peru

    Jornalista revela interesse do Corinthians em atacante peruano

    ver detalhes
  • Camisa a ser usada pelo Corinthians contra o Cruzeiro tem escudo da Chapecoense

    Em ação no Twitter, Corinthians exibe uniforme em homenagem à Chapecoense

    ver detalhes
  • Equipe feminina do Timão foi ao CT Joaquim Grava no início de novembro

    Corinthians renova parceria com Audax e confirma equipe feminina para 2017

    ver detalhes
  • Castán posta foto com taça do penta e recebe pedidos para voltar; veja

    Castán posta foto com taça do penta e recebe pedidos para voltar; veja

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes