Morte na Bolívia faz Conmebol romper com histórico de omissão ao barrar torcida corintiana

Morte na Bolívia faz Conmebol romper com histórico de omissão ao barrar torcida corintiana

Morte na Bolívia faz Conmebol romper com histórico de omissão ao barrar torcida corintiana

Morte na Bolívia faz Conmebol romper com histórico de omissão ao barrar torcida corintiana

A morte de um jovem boliviano atingido por um foguete sinalizador disparado por um torcedor do Corinthians durante partida da Copa Libertadores na cidade de Oruro (BOL), na última quarta-feira, entre o clube brasileiro e o San José, fez a Conmebol, entidade que rege o futebol sul-americano,  romper com um histórico de impunidade a clubes envolvidos em incidentes de violência em jogos oficiais que vem desde a década de 1960 (veja quadro ao fim desta reportagem).

Antes disso, a confederação sul-americana só havia punido o Grêmio - com menor rigor - por causa do acidente durante a 'avalanche' de torcedores na partida contra a LDU, pela fase prévia da Libertadores, no último dia 30 de janeiro. A arquibancada da Arena Grêmio em que aconteceu o incidente, atrás de um dos gols, também foi fechada para o jogo seguinte do time tricolor contra o Huachipato, na estreia da fase de grupos.

Na última quinta-feira à noite, a Conmebol divulgou sua decisão de punir o Corinthians pela morte do torcedor boliviano obrigando o clube a jogar sem a presença de torcida no estádio nos jogos da Libertadores. A medida é cautelar, ou seja, vale até que a confederação sul-americana tome uma decisão final, o que deverá ocorrer dentro de 60 dias.

 De acordo com o que ordena o artigo 11 do novo código disciplinar da entidade, lançado no ano passado, 'associações e clubes podem ser punidos por comportamento inadequado de seus torcedores'. Entre esses comportamentos está 'usar sinalizador, fogos de artifício ou qualquer artefato pirotécnico'.

Logo, segundo o documento, além da responsabilidade do mandante pela segurança do local da partida, o visitante deve ser punido por atos de indisciplina dos seus torcedores. As punições previstas vão de aplicação de multa até a exclusão do time do torneio, passando pela proibição da presença de torcedores nos jogos.

O clube brasileiro terá três dias para apresentar sua defesa ao recém-criado tribunal disciplinar da Conmebol e, assim, tentar reverter a decisão cautelar. Os advogados do Corinthians não arriscam um prognóstico do que irá acontecer. 'Seria um achismo. Não há um caso para comparar já que o tribunal da Conmebol é um órgão novo?, diz Luiz Felipe Santoro, advogado do clube.

Por enquanto, o time ensaia uma estratégia para tentar responsabilizar o mandante do jogo, o San José, pelo incidente. O tribunal da Conmebol é formado por cinco membros.

Um deles é o brasileiro Caio Rocha, vice-presidente do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), que não participará da decisão por ser brasileiro e ter ligação com uma das partes envolvidas. O comitê será dirigido pelo uruguaio Adrian Leiza, vice-presidente do tribunal. Caso haja um empate de dois votos, será Leiza quem definirá a punição.

São Paulo poderá ser próximo alvo

Outro time brasileiro, o São Paulo Futebol Clube, poderá ser o próximo clube a ser punido com base no novo código da Conmebol. O incidente ocorrido no estádio do Morumbi em dezembro do ano passado, na final da Copa Sul-americana contra o time do Tigre, da Argentina, ainda espera julgamento do comitê disciplinar da entidade.

Na ocasião, os jogadores do Tigre alegaram terem sido agredidos no vestiário do Morumbi, por seguranças do São Paulo, e não voltaram para o segundo tempo. O time brasileiro vencia a partida por 2 a 0 e foi declarado campeão do torneio.

Relembre, abaixo, outros episódios de violência em partidas oficiais válidas por campeonatos sul-americanos que terminaram sem que nenhum clube fosse punido.

Futebol sul-americano tem histórico impunidade em casos de confusão e violência

 

2012 - Final da Sul-americana entre São Paulo e Tigre - O primeiro tempo terminou 2 a 0 para o São Paulo, que levou o título com o resultado. Após briga entre os jogadores das duas equipes no intervalo, os membros do Tigre disseram que foram ameaçados no vestiário por seguranças são-paulinos e se recusaram a jogar o segundo tempo. O caso foi parar na delegacia e ninguém foi punido até hoje

2011 - Final da Libertadores entre Santos e Peñarol - O Santos venceu por 2 a 1, mas quando o jogo acabou um torcedor santista invadiu o gramado e a confusão generalizada começou

2011 - 1ª fase da Libertadores entre Argentinos Juniors e Fluminense - Eliminado com um placar de 4 a 2 ante o Fluminense, o time argentino provocou uma briga generalizada entre os jogadores

2009 - Semifinal da Sul-Americana entre Fluminense e Cerro Porteño - O Fluminense ganhou por 2 a 1, mas quando o juiz apitou o final da partida os paraguaios partiram para cima do time carioca. No jogo de ida, no Paraguai, os jogadores do Fluminense haviam sido alvo de pedradas da torcida

2006 - Oitavas de final da Libertadores entre Corinthians e River Plate - O Corinthians perdeu de virada por 3 a 1 em pleno Pacaembu quando jogava pelo empate. Inconformada, no finzinho da partida a torcida do Corinthians derrubou um alambrado e tentou invadir o campo, mas foi impedida pela PM. A partida foi interrompida e o resultado confirmado

2004 - Oitavas de final da Libertadores entre América do México e São Caetano - O jogo terminou 1 a 1, mas o resultado eliminou o América em casa. Um lance violento durante a partida descambou para briga generalizada entre os jogadores e comissões técnicas. Quando a torcida invadiu o campo, os jogadores do São Caetano fugiram para o vestiário. O América recebeu multa de US$ 50 mil pelo episódio

1999 - Semifinal da Mercosul entre Peñarol e Flamengo- Apesar de ganhar a partida por 3 a 2, o time uruguaio foi eliminado em casa por conta do jogo de ida, no Brasil. O clima esquentou quando o jogo foi encerrado e, após algum empurra-empurra, o Flamengo correu para o vestiário para não apanhar

1997 - Primeira fase da Supercopa entre Vasco e River Plate- O Vasco perdia por 2 a 0 em São Januário e era eliminado quando, no início do segundo tempo, um dos auxiliares foi atingido por uma pedra vinda da arquibancada. A partida foi encerrada e o Vasco, punido sem poder jogar em casa por 18 meses, mas a decisão foi suspensa depois

1997 - Final da Conmebol entre Atlético-MG e Lanús - Na primeira partida da final, o Atlético-MG goleou o Lanús por 4 a 1 em Buenos Aires. Após o jogo, torcedores e jogadores do Lanús partiram para cima dos jogadores e comissão técnica no Atlético-MG. O técnico Leão ficou ferido com um corte no rosto e suspeita de fratura de ossos no rosto. O lateral Dedê tomou uma pancada na nuca e chegou a desmaiar. Ninguém foi punido

1991 - Semifinal da Libertadores entre Colo Colo e Boca Juniors - O Colo Colo ganhou por 3 a 1 e os jogadores das duas equipes partiram para a agressão mútua. A polícia chilena soltou até cachorros em cima dos integrantes do Boca Juniors

1991 - Primeira fase da Libertadores entre Corinthians e Flamengo - O Corinthians perdia por 2 a 0 quando os torcedores do alvinegro paulistano atacaram garrafas para dentro do campo. Depois, invadiram o gramado e partida foi encerrada antes do fim do segundo tempo. Após isso, bebidas em garrafas foram proibidas nos estádios brasileiros

1972 - Primeira fase da Libertadores entre Olímpia e Atlético-MG - Na partida no Paraguai, cinco jogadores foram expulsos após uma briga entre as duas equipes paralisar o jogo. O jogo terminou 2 a 2, mas o Atlético-MG foi considerado o responsável pela briga e perdeu a pontuação da rodada.

1971 - Primeira fase da Libertadores entre Boca Juniors e Sporting Cristal - O jogo foi encerrado quando estava em 2 a 2 por que mais de 15 jogadores das duas equipes foram expulsos em meio a uma briga. O caso foi parar na delegacia

1962 - Final da Libertadores entre Santos e Peñarol - Terminou 3 a 2 para o time uruguaio. No segundo tempo, inconformada com o resultado, a torcida santista jogou garrafas no gramado e o juiz encerrou a partida. Voltou atrás e o Santos empatou, mas não levou. Depois, ficou decidido que o jogo fora oficialmente encerrado quando o juiz mandou parar após as garrafadas.


Fotos: UOL

Fonte: Terceiro Tempo

Veja Mais:

  • Filha dá resposta sensacional ao pai palmeirense: 'Vai, Corinthians'

    Pai força garotinha a cantar música do Palmeiras, e ela surpreende com um 'Vai, Corinthians!'

    ver detalhes
  • Gaviões da Fiel se unirá as outras torcidas organizadas paulitas neste domingo

    Organizadas rivais de São Paulo se unem em evento no Pacaembu em homenagem à Chape

    ver detalhes
  • Arana pode se transferir para a Inter de Milão nos próximos dias

    Com oferta na mão, Corinthians espera retorno de presidente para definir venda de Arana

    ver detalhes
  • Corinthians optou por não utilizar redes sociais em respeito ao momento

    Corinthians suspende redes sociais em dia de velório coletivo da Chapecoense

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes
  • Últimos comentários

    Foto do perfil de Marquinhos

    Ranking: 6º

    Marquinhos 19003 comentários

    2º. por @lhpmarquinhos

    Não tem que punir o Corinthians pela morte do torcedor, tem que prender quem foi o autor do disparo e faze-lo pagar, não a instituição e a torcida que não tem nada a ver.

  • Foto do perfil de CLÁUDIO

    Ranking: 33º

    ClÁudio 8484 comentários

    1º. por @soucorinthians

    JÁ APRENDEU COM A MÍDIA ANTI DO Brasil, QUE O CORINTHIANS É O MAIOR EXPOSITOR DO MUNDO, SE QUER APARECER O CORINTHIANS É O CAMINHO MAIS SEGURO E DIRETO. A CONMEBOL QUE SEMPRE FOI OMISSA E MERCENÁRIA, AGORA QUER USAR O CORINTHIANS PARA APARECER. AGIU DE FORMA PRECIPITADA E SEM FUNDAMENTO PARA APLICAR ESSA PUNIÇÃO. QUAL FOI A SEGURANÇA QUE O MANDANTE E AS AUTORIDADES BOLIVIANAS DERAM PARA OS TORCEDORES? CORINTHIANS SEMPRE.