Corinthians tenta expor distância de organizadas e diz que confissão não muda pena na Conmebol

Corinthians tenta expor distância de organizadas e diz que confissão não muda pena na Conmebol

Desde o incidente que resultou na morte do boliviano Kevin Espada, atingido por um sinalizador no jogo entre Corinthians e San José, o clube paulista tenta demonstrar distanciamento em relação à sua principal torcida organizada, a Gaviões da Fiel, de onde saiu o disparo. Questionado sobre os efeitos da confissão por parte de um jovem de 17 anos, associado da facção, que irá se apresentar a Vara de Infância de Guarulhos nesta segunda-feira, o departamento jurídico do clube diz que nada se altera em relação ao recurso que a equipe está
pleiteando na Conmebol.

Um dia após o incidente, na quinta-feira, a entidade que organiza a Copa Libertadores puniu o clube de forma cautelar. Os jogos da equipe no torneio terão que ser disputados sem torcida. Os corintianos contestaram a decisão e esperam obter uma resposta nesta segunda-feira.

“Para a defesa do Corinthians não muda nada. Não ajuda, nem prejudica. O recurso já apresentado ataca a falta de fundamentação jurídica”, afirmou Luiz Felipe Santoro, advogado do clube.

Desde as últimas gestões, o Corinthians tem uma relação próxima com as suas organizadas, incluindo a Gaviões da Fiel. Historicamente, os grupos políticos do ex-presidente Andrés Sanchez e do atual, Mario Gobbi, dialogam com os integrantes dessas entidades.

Após o incidente, entretanto, o clube tenta mostrar distância das torcidas organizadas. O clube não anunciou nenhuma ajuda aos 12 torcedores detidos na Bolívia desde quinta-feira. “Estão recebendo o auxílio dado a qualquer cidadão brasileiro, da embaixada”, afirmou Gobbi, na última sexta-feira.

A morte de Kevin Espada aconteceu no primeiro tempo da partida entre Corinthians e San José, da Bolívia. Desde quinta-feira, 12 torcedores corintianos se encontram detidos em Oruro. Segundo o jornal La Patria, de Oruro, o inquérito da polícia local aponta Cleuter Barreto Barros e Leandro Silva de Oliveira como responsáveis pela morte do jovem boliviano. Outros 10 foram corintianos foram indiciados como cúmplices.

O advogado da Gaviões da Fiel acredita que com a confissão do autor do disparo, os torcedores detidos poderão ser libertador na Bolívia. A polícia local, entretanto, não deu por enquanto nenhuma indicação de que isso irá acorrer.

Fonte: UOL

Veja Mais:

  • Cerca de 200 integrantes de organizadas foram ao Pacaembu neste domingo

    Ato de organizadas tem gritos de 'Vamo Chape' e pedido por liberdade nos estádios

    ver detalhes
  • Kalil, à direita de Roberto de Andrade, pediu licença de 60 dias

    Vice-presidente solicita licença do cargo e dispara contra diretoria do Corinthians

    ver detalhes
  • Bruno César anotou o segundo gol na vitória por 2 a 0

    Ex-jogador do Corinthians marca golaço de falta e dedica à Chapecoense; veja o vídeo

    ver detalhes
  • Maycon conta com o aval de Oswaldo de Oliveira para retorno

    Retorno de Maycon minimiza necessidade por contratação de volante no Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes