Antes de confusão, corintianos deram calote em hotel de luxo na Bolívia

Antes de confusão, corintianos deram calote em hotel de luxo na Bolívia

A rápida passagem do Corinthians pela Bolívia, para enfrentar o San José pela Libertadores, segue rendendo histórias. Depois da morte do torcedor Kevin Espada, agora alguns corintianos estão sendo acusados de dar calote num hotel de luxo na cidade de Cochabamba, cidade localizada à 232 km de Oruro, local do confronto na última semana.


Vice-presidente da torcida organizada Gaviões da Fiel, Tadeu Macedo Andrade ficou hospedado no Gran Hotel Cochabamba com mais dois companheiros. Acontece que, um dia depois do jogo, uma das camareiras foi fazer a limpeza do quarto e reparou que a dupla havia deixado o local sem ter pagado a conta.

Como Tadeu ficou preso em Oruro pela confusão com o sinalizador lançado por um membro da sua torcida, ele foi o único que permaneceu no país e pagou a conta, avaliada em 500 dólares (R$ 1 mil). Assim, o local teve um prejuízo de R$ 2 mil pela fuga dos caloteiros.

'Já na sexta-feira, a camareira entrou no quarto para fazer a limpeza e não tinha mais nenhum pertence. Eles escaparam pela parte de trás do hotel?, disse o dono do hotel, Bernardo Pavisic.

O mesmo Gran Hotel recebeu a delegação do Corinthians para o confronto diante do San José, que terminou empatado por 1 a 1. O jogo foi marcado pela morte do jovem boliviano de 14 anos.

Fonte: Futebol Interior

Veja Mais:

  • Jogadores usaram máscaras em brincadeira do Corinthians

    Em clima de Carnaval, Corinthians provoca e dá máscaras para Gabriel e Maycon

    ver detalhes
  • Thiago Duarte Peixoto será afastado dos gramados e passará por avaliação na FPF

    Após assumir erro, árbitro de Dérbi é afastado e passa por avaliação na FPF

    ver detalhes
  • Jogador não pediu desculpas a Gabriel em declaração

    Sem pedir desculpa, Tchê Tchê argumenta ter 'brincado' com Gabriel no Dérbi

    ver detalhes
  • Árbitros utilizaram o metrô em horário de pico nesta quarta-feira

    Árbitro foi à Arena Corinthians de metrô em horário de pico, acusa entidade; FPF rebate

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes