Atletas da seleção revelam sonho de defender o Corinthians no basquete

Atletas da seleção revelam sonho de defender o Corinthians no basquete

O Corinthians contará com um elenco de estrelas se decidir reativar suas atividades no basquete profissional. Pelo menos essa é a vontade de alguns dos principais atletas do país. Corintianos de coração, jogadores da seleção brasileira como Leandrinho, Alex Garcia e o norte-americano Larry Taylor se colocam à disposição e torcem para que o clube do Parque São Jorge aumente a lista de gigantes do futebol com equipes também na modalidade.

"É difícil falar, mas ficaria muito emocionado se tivesse uma oportunidade dessas. Tenho contrato com Brasília até 2015, mas ficaria muito feliz de defender o Corinthians. É meu time de coração. Ficaria muito feliz se algum dia o Corinthians pudesse voltar e eu tivesse essa oportunidade", disse o ala Alex Garcia, do Brasília.

O primeiro a manifestar interesse em defender o Corinthians em um futuro próximo foi o ala-armador Leandrinho. Em entrevista à rádio Bradesco Esportes FM no início do ano, o jogador da NBA disse que "compraria a passagem na hora e viajaria para negociar" se o clube anunciasse seu retorno ao basquete. A proximidade da família também contaria a favor da equipe do Parque São Jorge.

Leandrinho se recupera de uma cirurgia no joelho esquerdo após romper o ligamento cruzado anterior. O ala-armador, que escolheu as instalações do Corinthians para realizar parte do tratamento, já posou para fotos ao lado de Alexandre Pato e provocou pedidos nas redes sociais pela reativação do basquete do clube.

Jogar no Corinthians também é o sonho de dois estrangeiros que atuam no Brasil. O norte-americano Shamell, do Pinheiros, não esconde o desejo de defender o clube que aprendeu a gostar desde que veio para o país em 2008.

"Mas é claro! Só de falar arrepia um pouco né. Com essas equipes do futebol montando time [de basquete], sempre está rolando a conversa sobre o Corinthians também voltar. É um sonho, sempre torço que eles voltem", comentou Shamell.

Outro "gringo" que se dispõe a defender o Corinthians é o armador Larry Taylor, do Bauru, que se naturalizou brasileiro na temporada passada para defender a seleção nas Olimpíadas de Londres-2012. Enquanto o basquete não volta ao Parque São Jorge, o jogador propõe ajudar o clube nos gramados.

"Estou em Bauru agora, mas quem sabe um dia? Mas para mim seria ainda mais legal se conseguisse jogar no time de futebol do Corinthians. É um sonho meu", brincou Larry. "Sou muito ruim, só [jogo futebol] no videogame. Mas talvez pudesse jogar no lugar do Cássio. Se ele machucasse, entraria no lugar dele".

A 'seleção corintiana' poderia aumentar ainda mais se outros apaixonados pelo clube optassem por defenderem as cores do time do Parque São Jorge. Isto porque Marcelinho Huertas (Barcelona), Tiago Splitter (San Antonio Spurs) e Nezinho (Brasília) são outros jogadores fanáticos pela equipe.

Recentemente duas importantes equipes do futebol brasileiro reativaram suas equipes de basquete profissional. Vice-campeão da Supercopa Brasil no ano passado, o Palmeiras entrou para o NBB nesta temporada. Em 2013 foi a vez do Fluminense aderir a modalidade e tentar a classificação para o campeonato nacional.

O Corinthians, porém, não tem planos de engrossar esta lista. Sem nenhum projeto para a reativação do basquete profissional, o clube aponta dificuldades financeiras e de logística como maiores entraves para montar uma equipe de alto rendimento.

"Não existe nenhum projeto sequer em estudo", frisou o diretor de esportes terrestres do clube, Fausto Bittar Filho. "O que algumas pessoas andaram publicando não é verdade. Se algum dia tivermos uma parceria interessante, podemos pensar. Só montaríamos um time se fosse para disputar o título e isso provocaria um dispêndio financeiro razoável. Também há um problema de logística, pois só temos um ginásio com medidas oficiais que é usado em dois períodos pelo futsal".

Enquanto o clube não volta suas atenções para a modalidade, os corintianos do basquete reforçam o time nas arquibancadas. "Quando temos a oportunidade de ir a São Paulo, eu vou lá [ao Pacaembu], torço mesmo, xingo bastante, cobro. Gosto muito de ir ao estádio", contou Alex, que ganhou a companhia de Shamell. "Eu morava do lado, a dois quarteirões do Pacaembu. Foi o último time que fui assistir e fiquei arrepiado".

CORINTHIANS JÁ FOI UMA POTÊNCIA DO BASQUETE

O Corinthians possui uma grande tradição no basquete, tendo contado com alguns dos principais jogadores da história do país. Foi bicampeão sul-americano, vice-campeão mundial e campeão brasileiro, além de ter conquistado diversos títulos estaduais.

Na década de 60, o clube foi a base do auge da seleção brasileira, com nomes como Wlamir Marques, Rosa Branca, Ubiratan, Amaury, Mical e Edvar. A última grande glória veio em 1996, quando conquistou o Nacional com Oscar Schmidt em seu elenco.

Fonte: uol

Veja Mais:

  • Índio deu a vitória ao Corinthians/UNIP

    Com gol no fim, Corinthians vira para cima do Sorocaba e se aproxima do título nacional

    ver detalhes
  • Oswaldo comandou atividades desta segunda-feira

    Oswaldo esboça Corinthians para duelo com Cruzeiro; veja provável escalação

    ver detalhes
  • Oya é um dos destaques do Timão na disputa no Sul do Brasil

    Timão joga bem, mas não impede segunda derrota na Copa Internacional Sub-20

    ver detalhes
  • Dispensado do Corinthians, Willians se pronuncia em rede social

    Dispensado do Corinthians, Willians se pronuncia em rede social

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes