Negociação entre BB e Odebrecht sobre Arena Corinthians não avança após oito meses

Negociação entre BB e Odebrecht sobre Arena Corinthians não avança após oito meses

Negociação entre BB e Odebrecht sobre Arena Corinthians não avança após oito meses

Negociação entre BB e Odebrecht sobre Arena Corinthians não avança após oito meses

Rodrigo Mattos
Do UOL, em São Paulo

 A ameaça do corintiano Andres Sanchez de que as obras da Arena Corinthians podem parar não alteraram o cenário de impasse entre Banco do Brasil e Odebrecht na negociação para viabilizar o empréstimo do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Sócio Econômico) ao estádio. A trava entre as duas partes completou exatos oito meses nesta segunda-feira e continua a girar em torno das garantias para a transação.

O banco estatal aprovou um empréstimo de R$ 400 milhões para a arena corintiana no dia 11 de julho de 2012. Pelos termos da aprovação, o Banco do Brasil atuaria como repassador desse dinheiro à Arena Itaquera S.A., formada pela empreiteira para o financiamento das construções.

A questão é que a Odebrecht quis apresentar como garantia para o negócio as receitas futuras da arena. Já o BB exige que a empreiteira mostre garantias tradicionais, como bens físicos ou cartas bancárias. Sua alegação é que essas são as regras bancárias. Nenhum dos dois lados cedeu até esta semana, segundo apurou o UOL Esporte.

Continuam a ocorrer reuniões constantes entre as partes. E o consórcio que toca a obra tem apresentado seguidas propostas com modelos para dar avala à transação. Todas foram recusadas até agora.

Do lado do BB, os dirigentes já deixaram claro que não se importam quem é o responsável pela gestão do estádio, seja Odebrecht ou Corinthians. Só informaram que as garantias têm que ter o modelo tradicional, que dê segurança ao banco, e que sejam dados pela empreiteira, pois há veto a transação com clubes de futebol. Há um pessimismo no banco em relação ao negócio.

Até agora, a empreiteira já investiu cerca de R$ 500 milhões de seu cofre ou de empréstimos no projeto, segundo sua diretoria informou recentemente. Responsável do Corinthians para a obra, Andrés Sanchez afirmou que a obra pode parar no final do mês se não sair o empréstimo do BNDES.

'Todo mundo sabe que o Corinthians dependia do financiamento do BNDES e da garantia sobre investimentos de melhoria para a zona leste para tocar a obra. Se não saírem nas próximas semanas, nós vamos parar as obras na Arena Corinthians', disse ele à TV Gazeta, no domingo.

Oficialmente, nem Odebrecht, nem o Banco do Brasil se pronunciaram sobre o assunto.

Foto: Reprodução/UOL

Fonte: Terceiro Tempo

Veja Mais:

  • Jogadores usaram máscaras em brincadeira do Corinthians

    Em clima de Carnaval, Corinthians provoca e dá máscaras para Gabriel e Maycon

    ver detalhes
  • Thiago Duarte Peixoto será afastado dos gramados e passará por avaliação na FPF

    Após assumir erro, árbitro de Dérbi é afastado e passa por avaliação na FPF

    ver detalhes
  • Jogador não pediu desculpas a Gabriel em declaração

    Sem pedir desculpa, Tchê Tchê argumenta ter 'brincado' com Gabriel no Dérbi

    ver detalhes
  • Árbitros utilizaram o metrô em horário de pico nesta quarta-feira

    Árbitro foi à Arena Corinthians de metrô em horário de pico, acusa entidade; FPF rebate

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes