Fechado para obras! Guarani não libera tobogã para duelo contra Timão

Fechado para obras! Guarani não libera tobogã para duelo contra Timão

Fechado para obras! Guarani não libera tobogã para duelo contra Timão

Fechado para obras! Guarani não libera tobogã para duelo contra Timão

Os torcedores do Bugre não poderão acompanhar o duelo contra o Corinthians, no próximo domingo, às 16 horas, no tobogã. Pelo quarto jogo consecutivo, o setor não será liberado, pois as reformas não ficaram prontas a tempo para o duelo.

A principal exigência é a elevação de um dos muros do tobogã de 1,10m para 1,20m. Outros detalhes de menor magnitude também estão previstos. Como as obras não ficaram prontas à tempo, o tobogão ficará fechado..

Em nota oficial, a assessoria de comunicação do Bugre explicou que o torcedor comum e as torcidas organizadas poderão ficar na cabeceira da entrada principal e no setor abaixo do tobogã. Já os sócio-torcedores, que ficam abaixo do tobogã, poderão utilizar as vitalícias.

As exigências do Corpo de Bombeiros são reparos necessários, que se arrastam desde as administrações de Leonel Martins de Oliveira e Marcelo Mingone. Como a nova diretoria encontrou o caixa vazio, resultado da herança maldita das outras gestões, Negrão foi obrigado a investir dinheiro do próprio bolso nas reformas que serão iniciadas.

Herança maldita
A atual diretoria presidida por Álvaro Negrão tem encontrado muitas dificuldades para administrar o clube. Tudo por conta das gestões aventureiras, sobretudo de Leonel Martins de Oliveira e Mingone, que deixaram uma herança maldita de quase R$ 200 milhões em dívidas.

Ao assumir o Guarani, no final do ano passado, a nova diretoria se deparou com uma 'terra arrasada?. O caixa estava vazio, as cotas do Paulistão haviam sido adiantadas por Mingone ou penhoradas e várias promessas da base foram negociadas. Além disso, muitas dívidas estavam em execução e atrasadas, como duas parcelas do Grupo de Apoio à Execução (Gaex).

Para tocar o clube sem verba, Negrão tem feito uma 'engenharia' financeira, além de pagar algumas dívidas com dinheiro do próprio bolso. O dirigente também tem contado com a ajuda de empresários bugrinos e colaboradores, tanto no pagamento de salários como na contratação de jogadores.

Fonte: Futebol Interior

Veja Mais:

  • Cerca de 200 integrantes de organizadas foram ao Pacaembu neste domingo

    Ato de organizadas tem gritos de 'Vamo Chape' e pedido por liberdade nos estádios

    ver detalhes
  • Kalil, à direita de Roberto de Andrade, pediu licença de 60 dias

    Vice-presidente solicita licença do cargo e dispara contra diretoria do Corinthians

    ver detalhes
  • Bruno César anotou o segundo gol na vitória por 2 a 0

    Ex-jogador do Corinthians marca golaço de falta e dedica à Chapecoense; veja o vídeo

    ver detalhes
  • Maycon conta com o aval de Oswaldo de Oliveira para retorno

    Retorno de Maycon minimiza necessidade por contratação de volante no Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes