Campanha mineira contra homofobia tem adesão de corintianos e palmeirenses

Campanha mineira contra homofobia tem adesão de corintianos e palmeirenses

Se no primeiro dia da união de torcedores de Atlético-MG e Cruzeiro numa campanha pelo facebook contra a homofobia, os grupos “Galo Queer” e “Cruzeiro anti-homofobia” enfrentaram forte resistência de torcedores, nesta sexta-feira a medida começou a ser melhor aceita. Tanto que recebeu apoio de dirigentes dos clubes mineiros e de parte das torcidas de Palmeiras e Corinthians, que aderiram ao movimento.

A criadora do movimento do Cruzeiro, que pediu para não se identificar, por temer a reação de outros torcedores, reconhece que já esperava a repercussão negativa. “Estamos cientes que existirão torcedores que apoiarão e torcedores que não apoiarão a iniciativa. Os mais conservadores tendem a ser até mais agressivos na forma de expressar a sua opinião contrária, ora porque são contra o movimento, ora por medo de a página ser motivo de piadas preconceituosas de rivais contra o nosso time”, disse.

“O nosso objetivo é justamente esse, mostrar que a orientação sexual diferente não é mais motivo de ofensa ou xingamento. Atualmente, não cabe mais esse tipo de ‘brincadeira’, até porque existem muitos torcedores homossexuais que acompanham o time de coração tão fielmente quanto torcedores heterossexuais”, acrescentou a criadora da página celeste no facebook, que foi inspirada na iniciativa atleticana.

Se a repercussão foi negativa com torcedores de Atlético e Cruzeiro, as torcidas de Palmeiras e Corinthians apoiaram a ideia e também criaram páginas no facebook sobre o mesmo tema. “Movimento anti-homofobia e anti-sexismo, destinada à torcida mais fanática do Brasil. Mostrando a todos que o preconceito deve ser extinto também nos estádios de futebol”. Este é o texto de abertura da página “Corinthians Livre”. Com o mesmo argumento, os torcedores alviverdes criaram a página “Palmeiras Livre”

O movimento contra a homofobia ganhou apoio também dos dirigentes dos dois clubes mineiros, Cruzeiro e Atlético. O diretor de futebol alvinegro Eduardo Maluf se posicionou favoravelmente. “Não sabia, pois não tenho facebook, mas sou totalmente a favor de qualquer manifestação. Se juntaram as duas torcidas rivais, sou ainda mais a favor”, disse o dirigente ao UOL Esporte.

A diretoria celeste informou, por meio de sua assessoria de comunicação, concordar com esse tipo de atitude e com as ações dos torcedores, mas ressalvou que não está envolvido na criação do grupo. Já o atacante Anselmo Ramon evitou comentar. “Não sou contra isso, acho que todo mundo tem direito de ser o que quer. Não fico me envolvendo nisso, mas respeito todo mundo”, comentou.

Inspiração na torcida rival

A idealizadora do movimento pelo lado cruzeirense reconheceu que se inspirou na página do maior rival, o “Galo Queer”, cuja página foi criada na última terça-feira. O nome escolhido, “Galo Queer”, faz referência ao termo inglês que significa algo estranho, fora do comum ou padrões, mas é utilizado erroneamente pelos nativos do país para se referir a homossexuais.

A torcedora celeste defende a necessidade desses posicionamentos. “Frente à realidade do Brasil hoje, com as declarações polêmicas de pastores famosos como o Marco Feliciano e o Silas Malafaia e tendo em vista o preconceito que existe no futebol, mostrou-se necessária a criação de um canal que lute contra isso também nesse âmbito que é o esporte”, justificou.

“A Manifestação e indignação das pessoas são e sempre foi muito importante para acabar com a intolerância e o preconceito. E não podemos mais tolerar a falta de respeito e tudo que incite à violência no futebol”, acrescentou a torcedora cruzeirense.

Ela, porém, afasta a possibilidade de o grupo se estender para o campo e virar torcida. “Não, de maneira alguma. O nosso objetivo não é criar uma nova torcida, mas fazer com que haja respeito entre as torcidas, principalmente em relação à orientação sexual dos torcedores”, destacou.

A torcedora celeste aprova a participação de outras torcidas. “É importante que, além de cruzeirenses e atleticanos, cada torcida crie essa iniciativa para que possamos mudar essa realidade brasileira, especialmente nos estádios, afinal, acima de tudo, somos todos iguais, somos seres humanos”, complementou.

Fonte: uol

Veja Mais:

  • Corinthians volta a jogar nesta segunda pela Liga Nacional

    Corinthians encara 'reforçado' Sorocaba na primeira final da Liga Nacional

    ver detalhes
  • Craque do futsal do Corinthians, Leandro Lino deve jogar pelo Sorocaba em 2017

    Quatro campeões do Corinthians recebem proposta do Sorocaba e devem 'virar casaca' em 2017

    ver detalhes
  • Pelada registrada no Amapá, onde Caio presenciou o tradicional 'futilama'

    Do Amapá à Antártida: torcedor do Corinthians, fotógrafo percorre o mundo em busca de peladas

    ver detalhes
  • Cerca de 200 integrantes de organizadas foram ao Pacaembu neste domingo

    Ato de organizadas tem gritos de 'Vamo Chape' e pedido por liberdade nos estádios

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes
  • Últimos comentários

    Foto do perfil de Eduardo

    Ranking: 31º

    Eduardo 8664 comentários

    6º. por @eduardoalves

    Caraca meu, deu uma aula agora, parabéns.

  • Foto do perfil de Samuel

    Ranking: 1196º

    Samuel 491 comentários

    5º. por @samuellira

    Porque tirou meu comentário servidor?
    a pohhaaa da verdade doi é?
    vá com essa viadagem para o morumbi pohhaa !

  • Foto do perfil de Jackson

    Ranking: 336º

    Jackson 1360 comentários

    4º. por @jackson88sccp

    "Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contacto natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro" (Romanos 1:26-27).

    &Quot;Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas... Herdarão o reino de Deus" (1 Coríntios 6:9-10).

    Deus aprova as relações sexuais entre um homem e sua esposa legítima (de acordo com a lei de Deus). Todas as outras relações sexuais sejam homossexuais ou heterossexuais são sempre e absolutamente proibidas (Hebreus 13:4). Não nos cabe procurar desculpas para justificar o pecado. É nossa responsa-bilidade buscar o meio de vencer a tentação (1 Coríntios 10:13; Tiago 4:7-10).

  • Foto do perfil de luis

    Ranking: 2354º

    Luis 246 comentários

    3º. por @luishenrique

    Quando cada um aprender a respeita o direito do outro quem sabe seremos um Pais de primeiro mundo..

  • Foto do perfil de T.

    Ranking: 2017º

    T. 290 comentários

    2º. por @sccpmcmx

    Cara, você pode ter a opinião que quiser (por mais ignorante que ela seja), mas não pode querer reivindicar a exclusão da notícia do site. Ela fala sobre uma ação relacionada à torcida do Corinthians, provavelmente sem a autorização da diretoria, mas que futuramente terá sim o apoio. E misturar piadinha relacionada aos rivais com preconceito, agressividade e violência aos homossexuais é ridículo. Nossa torcida tem mais de 30 milhões de pessoas, e dentro desse número existem heterossexuais, homossexuais, homens, mulheres, cristão, umbandistas, ateístas, etc. Somos o time do povo, o time criado por operários numa época em que só a elite podia jogar futebol! Desde a nossa fundação carregamos essa característica de defender os direitos das minorias e participar dos movimentos sociais (vide a fundação da Gaviões da Fiel). Se você não se identifica com isso, ok, é seu direito. Só não queira impedir a divulgação de uma notícia apenas porque você é contrário ao teor dela.

  • Foto do perfil de Edson

    Ranking: 2182º

    Edson 267 comentários

    1º. por @ed_batera

    Uma página que não tem nem 1000 seguidores tem essa repercussão toda. E outra coisa, estão usando o símbolo do Corinthians indevidamente, pois ao visitar a pagina é nitido que o adm não é corinthiano. Apenas, quer ganhar ibope em cima do clube. Cabe a diretoria tomar providencias.