Cadê a punição Conmebol? Grêmio x Huachipato terminam jogo com pancadaria

Cadê a punição Conmebol? Grêmio x Huachipato terminam jogo com pancadaria

Mal deu tempo de comemorar. Logo após o empate em 1 a 1 entre Huachipato e Grêmio, na noite desta quinta-feira, em Talchuano, no Chile, uma pancadaria tomou conta do gramado do estádio CAP. A origem foi um desentendimento entre os treinadores Jorge Pellicer e Vanderlei Luxemburgo, seguido de invasão de campo de torcedores e correria entre jogadores. O comandante gremista alegou ter sido vítima de agressão.

Na saída de campo, os dois técnicos se cruzaram. Houve desentendimento. Logo, integrantes da comissão técnica do time chileno e jogadores reservas foram para cima do comandante tricolor. Ele saiu em direção ao vestiário, correu e parou antes do túnel, que já estava com policiais na porta. Primeiro, o técnico sorriu. Depois, fez um gesto como quem diz que os chilenos estavam loucos. Ao perceber que os rivais se aproximavam, voltou a correr e, ao tentar desviar de um chute, caiu entre os policiais. No trajeto, jogadores dos dois times trocaram empurrões e discutiram.

- O treinador e o auxiliar deles vieram para cima do Vanderlei. Quando vi, o nosso técnico caiu. Eles vieram para cima e a gente tentou segurar – argumentou o zagueiro gremista Douglas Grolli.
Luxa caiu na entrada do vestiário. Enquanto isso, dentro do túnel, o centroavante Braian Rodriguez discutia e trocava empurrões com os gremistas. Em entrevista coletiva, Luxa deu a sua versão para a briga:

- Foi uma confusão desnecessária. Fui cumprimentar o árbitro, é normal. Às vezes, você vai reclamar, hoje fui cumprimentar. O assistente deles chegou e falou pra mim: 'hoje você não está reclamando como você reclamou lá?". Ele foi se aproximando de mim, percebi que ele ficou nervoso, comecei a correr, percebi que ele queria uma confusão. O treinador também veio chegando. Não entendi o motivo dessa agressividade. Vim correndo para entrar no túnel. Quando fui entrar, fecharam o túnel e eu escorreguei. Tomei uns pisões dos policiais, me atropelaram. Um jogador deles me agrediu, mas não vi quem.

Por sua vez, Pellicer reclamou da postura do comandante gremista. Para o técnico do Huachipato, Luxa teve atitude “anti-desportiva” nos dois confrontos.

- Me lembro que, ao terminar o jogo em Porto Alegre, no qual ganhamos com surpresa, fui me despedir de Luxemburgo. Ele não me tratou bem. A única coisa que escutei é que ele atribuía a nossa vitória à arbitragem argentina. Uma atitude pouco desportiva e não está à altura da instituição de que representa. Aqui, agora, foi irônico, tratou de nos desrespeitar. Mais uma vez, não agiu bem – reclamou.

- O treinador veio falando uma bobagem para mim. Sei falar algumas coisas em espanhol, trabalhei na Espanha. Não sou cabeçudo de não saber que estou xingando o cara em espanhol. É um desequilibrado - argumentou.

Na partida em Porto Alegre, em 14 de fevereiro, Pellicer reclamou da postura de Luxa que, no entender dele, havia pressionado a arbitragem. O time chileno ganhara por 2 a 1.
Na confusão desta quinta, o fotógrafo do Grêmio Lucas Uebel foi atingido por uma pedrada na cabeça. Porém, passa bem. Um rojão também foi jogado ainda onde estava a torcida do Grêmio. Não há informações sobre eventuais feridos.

Fonte: globo esporte

Veja Mais:

  • Michel (à esq.) e o sobrinho foram ao Maracanã naquele 23 de outubro

    Terceiro corinthiano solto no Rio desabafa: 'Fui pra ver o jogo, não pra brigar'

    ver detalhes
  • Torcedores na Arena poderão adicionar patch da Chapecoense em camisas

    Loja da Arena irá personalizar grátis camisas em homenagem à Chapecoense

    ver detalhes
  • Corinthians já definiu profissionais que devem permanecer e ser negociados

    Isaac, Mendoza, Oswaldo... Confira quem chega e quem sai do Corinthians

    ver detalhes
  • É tudo política, estúpido!

    [Marco Bello] É tudo política, estúpido!

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes