Sanchez rebate Kalil e diz que o presidente do Atlético-MG inventa histórias do Corinthians

Sanchez rebate Kalil e diz que o presidente do Atlético-MG inventa histórias do Corinthians

Andrés Sanchez rebateu 'amigo' Kalil: 'ele mentiu'

Andrés Sanchez rebateu 'amigo' Kalil: 'ele mentiu'

Andrés Sanchez não quis entrar em conflito com Alexandre Kalil, presidente do Atlético-MG, que o acusou de ter iniciado conflito no Clube dos 13 para o Corinthians ganhar um estádio como recompensa. Presente na apresentação do recém-fundado Clube Atlético Diadema (CAD), na manhã desta segunda-feira, o habitualmente emburrado mandatário corintiano não elevou o tom de voz ao rebater o dirigente mineiro.

"O Alexandre Kalil é um grande amigo meu, mas ele mentiu nessa história. Até porque todo o mundo sabe que o estádio do Corinthians é o mais investigado do Brasil", argumentou Sanchez, que continua à frente do projeto de construção da arena em Itaquera, na zona leste de São Paulo, apesar de já ter sido sucedido por Mário Gobbi na presidência do clube.

Em recente entrevista à ESPN Brasil, Kalil havia contrariado o amigo corintiano ao falar sobre o enfraquecimento do Clube dos 13: "Ele (Andrés Sanchez) ganharia um estádio. Falou para mim e não pediu segredo. Perguntei para ele: ‘que sacanagem é essa?’. Ele respondeu: ‘Kalil, estou ganhando um estádio’. Virei as costas e saí andando. Porque, se me dessem algo assim, eu também detonava a mesa".

Antes de "detonar a mesa", Sanchez (assim como Ricardo Teixeira, então mandatário da CBF) apoiava o flamenguista Kléber Leite para a presidência do Clube dos 13. Com a sua chapa derrotada pela de Fábio Koff, o corintiano passou a defender a negociação individual dos direitos de transmissão das partidas de futebol - a entidade perdeu poder sem o dinheiro oriundo do acordo coletivo.

Próximo da antiga cúpula da CBF desde o conflito no Clube dos 13, Sanchez depois recebeu a notícia de que futuro estádio do Corinthians em Itaquera era solicitado como sede do jogo de abertura da Copa do Mundo de 2014. "Se a arena fosse só para o Corinthians, já estaria pronta. Felizmente ou infelizmente, quiseram fazer para a Copa e tivemos que mudar o nosso projeto por causa das exigências da Fifa. Concordamos para ajudar a resolver o impasse que existia em São Paulo", lembrou.

O ex-presidente do Corinthians ainda aproveitou o assunto para desabafar. "Estamos assumindo uma grande dívida por causa do estádio, sem falar nos juros, e ainda ficaremos um tempo sem ganhar nada com ele. Os CIDs (certificados de incentivo ao desenvolvimento), que as pessoas tanto criticam, já existiam há muito tempo. Temos muitos políticos aqui, e eles sabem disso. Os incentivos também são concedidos a empresas que prometem dar 2.000 empregos em troca. Elas só dão 300 empregos, e ninguém fala nada. Já o Corinthians... Existe o ônus e o bônus da grandeza do Corinthians", esbravejou Andrés Sanchez, antes de voltar a definir Alexandre Kalil como "parceiro".

Fonte: Terra

Veja Mais:

  • É clássico! Corinthians enfrenta o São Paulo no Morumbi em mais um desafio pelo Paulista

    É clássico! Corinthians enfrenta o São Paulo no Morumbi em mais um desafio pelo Paulista

    ver detalhes
  • Pedrinho está mantido na equipe para o confronto com o São Paulo

    Corinthians divulga escalação com mudanças para clássico no Morumbi

    ver detalhes
  • Com ídolos como Vampeta e Marcelinho Carioca, Corinthians foi campeão mundial em 2000

    Em parabéns a Vampeta, FIFA reafirma: Mundial de clubes só começou em 2000

    ver detalhes
  • Auricchio (à dir.) passou a integrar diretoria da base do Corinthians

    Corinthians nomeia ex-diretor de futebol para cargo na base

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes