Quanto vale o Naming Rights da Arena Corinthians

Quanto vale o Naming Rights da Arena Corinthians

Arena do Corinthians já tem mais de 70% de conclusão

Arena do Corinthians já tem mais de 70% de conclusão

O departamento de marketing do Corinthians acha que tem condições de vender os “naming rights” da arena por um valor superior a R$ 400 milhões.

A ideia, agora, é negociar os direitos de nomear o estádio por mais de 450 milhões de reais. A justificativa é que a Fonte Nova vendeu os “naming rights” para a Itaipava por R$ 100 milhões e a Arena Palestra negociou os seus com o grupo Allianz pelo triplo do valor, enquanto Itaquera, estimam os corintianos, vale pelo menos 50% a mais do que o estádio palmeirense. Em relação ao da Bahia, o valor de mercado seria cinco vezes maior, segundo a direção do clube paulista.

Um dos argumentos para a valorização da arena em Itaquera é que será palco de abertura da Copa, ano que vem, outro é a exposição do próprio Corinthians, clube que a maior quantidade de jogos exibidos em TV aberta no Brasil, especialmente para São Paulo, estado com o maior poder de consumo do país. O terceiro é que a tendência é ficar lotado quase sempre, devido ao programa Fiel Torcedor, que levou quase 25 mil pagantes, por exemplo, para um Corinthians x Atlético de Sorocaba, no Pacaembu, jogo que não valia praticamente nada pelo Paulista.

Curiosamente no ano passado o mesmo Corinthians chegou a cogitar abaixar os valores pedidos pelos “naming rights” devido à dificuldade de vendê-los. O ex-presidente Andrés Sanchez sonhava em negociar a venda do nome do estádio por R$ 400 milhões até fevereiro de 2012. Não conseguiu e uma parte da direção do clube passou a falar em redução da pedida. Agora, diante da movimentação do mercado com as novas arenas, caso da Fonte Nova e da do Palmeiras, voltou a se animar.

O Corinthians chegou a negociar com a Brahma, a Petrobras e a Itaipava, por enquanto sem sucesso. Tem mantido contatos também com empresas de telefonia e instituições bancárias, mas já não fala em prazo para fechar o negócio.

Sinceramente tenho minhas dúvidas sobre o valor, se pode ser maior que os R$ 400 milhões imaginados. Inclusive pelo momento difícil da economia brasileira, que vem patinando na questão do crescimento há algum tempo, com nosso famoso PIBinho, e começa a enfrentar de novo o fantasma da inflação. Que não é como a de outros tempos, tempos anteriores ao Plano Real, mas preocupa. O governo, os investidores e a população.

Fonte: Lance

Veja Mais:

  • Marlone foi o destaque do treino desta quinta-feira

    Marlone marca, Caíque ganha chance e Oswaldo volta a ensaiar escalação do Corinthians

    ver detalhes
  • Léo Jabá, marcado por Balbuena a imagem acima, está à disposição de Oswaldo

    Léo Jabá tranquiliza Corinthians após susto e está à disposição para jogo contra Cruzeiro

    ver detalhes
  • Corinthians tem missão complicada por vaga na Libertadores

    Resultado da Copa do Brasil complica ainda mais situação do Corinthians rumo à Libertadores

    ver detalhes
  • Guilherme Arana disputará Sul-Americano no Equador

    Corinthianos são convocados para Sul-Americano Sub-20; Jabá fica fora

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes