Corinthians em silêncio na cela; time é eliminado do campeonato interno da prisão

Corinthians em silêncio na cela; time é eliminado do campeonato interno da prisão

Os Corinthianos seguem presos injustamente há mais de 2 meses

Os Corinthianos seguem presos injustamente há mais de 2 meses

Na maior parte do tempo, em silêncio. Foi assim que os “Doze de Oruro” acompanharam a derrota do Corinthians para o Boca Juniors, na última quarta-feira em Buenos Aires. Os torcedores corintianos, que estão presos preventivamente em uma cadeia da Bolívia acusados de participarem da morte do jovem Kevin Espada, arrumaram um aparelho de televisão e torceram juntos, em uma cela.

“Ela estava lotada como no Pacaembu”, disse Tadeu de Macedo Andrade, vice-presidente da uniformizada Gaviões da Fiel e um dos presos. “A gente teve que ficar quietinho para não ficar incomodando os outros. Tem que respeitar. Uma hora ou outra, a gente ficou mais exaltado, mas nada fora do limite”, contou.

O time do Corinthians ajudou. Criou poucas chances de gol e perdeu o confronto contra o Boca. “É duro, não pode perder jogo nesta fase de eliminatórias. Mas o time vai devolver no jogo aí no Brasil”, afirmou Tadeu.

Enquanto o jogo não vem, os “Doze de Oruro” continuam esperando pela soltura. Nesta segunda-feira, eles receberão a visita do advogado Ricardo Cabral, que defende a Gaviões. No último dia 1º de maio, o menor H.A.M, depôs para um promotor boliviano no consulado da Bolívia em São Paulo. Ele confessou ter disparado o foguete sinalizador que atingiu e matou Espada, durante a partida entre San Jose e Corinthians.

“A gente espera que, com este depoimento, a Justiça da Bolívia nos coloque em liberdade”, falou Tadeu por telefone. Ele e os outros onze companheiros de prisão alugaram uma casa em Oruro para garantir ao juiz do caso que ele têm residência fixa. “Tudo o que queremos é Justiça. Somos inocentes”.

Enquanto não são colocados em liberdade, os “Doze de Oruro” tocam a vida de cárcere. Além da sessão noturna de tevê, os corintianos ainda compram a comida do almoço e os sanduíches do jantar. O time de futebol formado por eles teve destino pior do que o Corinthians, do Parque São Jorge. “Nesta semana, fomos eliminados do torneio interno aqui da cadeia. Perdemos para um time de bolivianos nas quartas de final”, contou Tadeu.

Fonte: Terra Magazine

Veja Mais:

  • Timão conquistou Paulistão sobre a Ponte Preta; times voltam a se enfrentar logo na abertura de 2018

    Corinthians e Ponte Preta reeditam final na abertura do Paulistão 2018; veja a tabela

    ver detalhes
  • Os 10 momentos mais marcantes do Hepta

    VÍDEO: Os 10 momentos mais marcantes do Hepta

    ver detalhes
  • Alessandro Nunes e Roberto de Andrade são responsáveis por formar elenco de 2018

    Presidente do Corinthians estabelece número ideal de contratações para 2018 e promete time forte

    ver detalhes
  • Timão encara o arquirrival Palmeiras na ida da final da Copa do Brasil

    Com entrada gratuita, Arena Corinthians recebe decisão do Sub-17

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes