Seleção do Paulistão diferente, mas com os melhores 'da rodada'

Seleção do Paulistão diferente, mas com os melhores 'da rodada'

Seleção do Paulistão diferente, mas com os melhores 'da rodada'

Seleção do Paulistão diferente, mas com os melhores 'da rodada'

' Esta é uma Seleção da Rodada diferente, porque além de incluir os dois jogos semifinais do Paulistão, também incluem os dois confrontos pelo Torneio do Interior. É preciso, portanto, dá um desconto ao tentar comparações entre o grau de dificuldade de um lado e de outro.

Mas dentro do bom senso, os analistas do Portal Futebol Interior, tentaram escalar o que viram de melhor neste final de semana. E a Seleção Futebol Interior aparece armada num esquema com apenas um atacante. É o 4-5-1, com dois volantes e três meias.

No comando técnico, um prêmio ao trabalho inovador de Dado Cavalcanti, o técnico mais jovem do Paulistão Chevrolet, com apenas 31 anos. Ele fez do Mogi um time competitivo, eficiente e rápido, que só deixou a briga pelo título da temporada nos pênaltis.

Seleção das Semifinais e Torneio do Interior:

Rafael (Santos);

Caramelo (Mogi), Edu Dracena (Santos), Lucas Fonseca (Mogi) e Rodrigo Biro (Penapolense);

Elias (Linense), Wellington (São Paulo), Guaru (Penapolense), Cícero (Santos) e Chiquinho (Ponte Preta);

Roni (Mogi).

Técnico Dado Cavalcanti (Mogi Mirim)

Goleiro: Rafael (Santos)
Outra vez, nos pênaltis, fez a diferença a favor do Santos. Como já tinha acontecido na decisão diante do Palmeiras, nas quartas-de-final, o goleirão pegou dois pênaltis diante do Mogi Mirim e deixou o campo como herói do Peixe, que vai em busca do tetracampeonato consecutivo histórico.

Dá para destacar também a presença marcante de Cássio, do Corinthians, nas penalidades máximas do Morumbi, bem como de Edson Bastos, da Ponte Preta, que fez quatro boas defesas que seguraram o Linense, em Campinas.

Lateral-direito: Caramelo (Mogi Mirim)
Foi uma grata surpresa na semifinal com o Santos. Marcou bem e também foi ao ataque, desafogando o time pelo lado direito, que ficou sobrecarregado depois que João Paulo, lateral-esquerdo, teve que ser substituído por contusão logo de início.

Zagueiro: Edu Dracena (Santos)
O ex-bugrino tem mesmo um perfil de vencedor. Na reta final do Paulistão voltou ao time com personalidade. E 'achou' o gol de empate em Mogi Mirim, que depois empurrou o Peixe para os pênaltis, onde garantiu sua vaga na final.

Zagueiro: Paulo André (Corinthians)
Com maturidade, ele tem jogado com muita inteligência, correndo menos e marcando muito. Tanto que anulou o atacante Luis Fabiano. Este, por sinal, precisa fazer uma boa terapia, porque anda nervosinho demais. Ou fazendo tipo, o que é anda pior.

Lateral-esquerdo: Rodrigo Biro (Penapolense)
Arma ofensiva de qualidade, fez a jogada individual que mudou o jogo, resultando a expulsão de Zé Antônio e o gol do Guaru, de pênalti, que colocou o CAP de novo na frente do marcador. Namorado pelo Corinthians, ele acertou sua ida para a Ponte Preta.

Volante: Elias (Linense)
De começo ou fim do campeonato ele sempre manteve um ritmo, com força na marcação e incansável dentro de campo. Pela performance geral, merece entrar na Seleção da Rodada nesta sua última chance.

Volante: Wellington (São Paulo)
Na base da disposição, força física e também técnica ele anulou o meia Emerson Sheik, que nos últimos jogos se transformou no 'cérebro' corintiano.

Meia: Guaru (Penapolense)
Está fechando a temporada paulista como grande destaque do Interior. Comandou o time na goleada sobre o Botafogo, por 4 a 1. E não deu sopa para o azar nas duas cobranças de pênalti, marcando dois gols.

Meia: Cícero (Santos)
Tem mantido a regularidade, o que é importante para o Peixe que apresenta alguns jogadores produzindo muito pouco como o meia Montillo e o atacante Miralles. Sem contar que Neymar tem sido muito bem marcado e tem jogado sob forte pressão.

Meia: Chiquinho (Ponte Preta)
Sem a responsabilidade de sozinho armar as jogadas ofensivas da Macaca ele foi bem, se movimentando bastante e chamando o jogo para si. Mais do que isso, marcou o gol da vitória sobre o Linense, que colocou o time na decisão do Torneio do Interior.

Atacante: Roni (Mogi Mirim)
Foi uma 'praga' no ataque do Sapão, dando muito trabalho para a defensiva santista, principalmente para os zagueiros Edu Dracena e Durval. Mesmo baixinho, marcou de cabeça o gol do Mogi e sempre procurou dar velocidade às jogadas. Por obra do acaso coube a ele perder o último pênalti, que decidiu a vaga ao Santos, na defesa de Rafael. Mas mostrou personalidade na saída de campo ao afirmar que 'troquei de última hora o lugar que ia bater e me compliquei. Méritos para o Santos'.

Técnico: Dado Cavalcanti (Mogi Mirim)
Foi o único a representar o futebol do Interior nas semifinais. E Dado conseguiu neutralizar as principais jogadas do Santos, inclusive, numa marcação perfeita em cima de Neymar, o maior craque brasileiro de momento.

O Mogi Mirim sempre foi melhor do que o Santos, saiu na frente no placar e 'deu azar' ao sofrer o empate. Depois o Sapão teve que se virar nos pênaltis, onde prevaleceu a maior experiência santista. Mas Dado marcou seu nome no futebol paulista, aos 31 anos. Agora aparece cotado em vários clubes e, com o tempo, com certeza, vai se transformar num técnico de elite.

Fonte: Futebol Interior

Veja Mais:

  • Alan Mineiro gostaria de permanecer no Corinthians, mas não está nos planos do clube

    Alan Mineiro deve ser vendido pelo Corinthians e disputar a Série B em 2017

    ver detalhes
  • É tudo política, estúpido!

    [Marco Bello] É tudo política, estúpido!

    ver detalhes
  • Diversos torcedores não conseguiram efetuar a troca de ingressos

    Com fila absurda e nova confusão, torcida do Corinthians esgota ingressos para final da LNF

    ver detalhes
  • Oswaldo negou que seus treinos sejam repetitivos

    Oswaldo volta a sinalizar escalação do Corinthians em coletivo e explica semana de treinos

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes